Nuvens sobre a região do polo norte de Titã

A presença de grandes lagos e mares de metano no polo norte de Titã foi confirmada pela primeira vez em imagens de radar obtidas pela sonda Cassini, a 22 de julho de 2006. Na altura, os lagos eram indetetáveis pelos instrumentos óticos da sonda da NASA, porque a região se encontrava ainda imersa numa longa escuridão hibernal. 10 anos volvidos, o hemisfério norte de Titã aproxima-se do solstício de verão, pelo que os grandes mares e lagos da região do polo norte estão agora iluminados durante a maior parte do dia de Titã.

Aproveitando estas condições, a Cassini esteve ocupada no passado fim de semana a observar o movimento e evolução de nuvens sobre a região dos grandes lagos boreais de Titã. A sessão permitiu ainda a recolha de novas imagens com uma resolução sem precedentes dos terrenos a sul de Neagh Lacus. Estas imagens irão ajudar os cientistas a preencher uma grande lacuna no mapa do hemisfério norte de Titã.

Apreciem em baixo algumas das observações realizadas durante esta sessão.

tita_cb3_nac_iss_cassini_291016Detalhes da região do polo norte de Titã, numa imagem obtida pela sonda Cassini a 29 de outubro de 2016, através de um filtro para a região do infravermelho próximo. É possível ver os contornos bem definidos de Kraken Mare, Punga Mare, Jingpo Lacus, Neagh Lacus, Bolsena Lacus e Ladoga Lacus. A leste de Kraken Mare podemos vilumbrar a costa ocidental de Ligeia Mare.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute/Sérgio Paulino.

nuvens_polo_norte_tita_nac_iss_cassini_301016Movimentos de nuvens sobre a região dos lagos e mares boreais de Titã. Esta sequência foi construída com 34 imagens obtidas pela sonda Cassini a 30 de outubro de 2016, durante um período aproximado de 11 horas.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute/Sérgio Paulino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.