Google+

«

»

Dez 07

Descoberto um novo Super-Aglomerado de Galáxias

Crédito: Thomas Jarrett (UCT) / Max Planck Institute

Crédito: Thomas Jarrett (UCT) / Max Planck Institute

O universo em grande escala é algo realmente grandioso.

Se começarmos a pensar em escala, você tem a sua casa, depois a sua rua, o seu bairro, a sua cidade, o seu estado, o seu país, o seu continente, o seu hemisfério, o seu planeta, o nosso planeta está no Sistema Solar, o nosso Sistema Solar na Via Láctea, a nossa galáxia por sua vez está no aglomerado de galáxias chamado Grupo Local, que por fim, se encontra no chamado Super-Aglomerado de Laniakea. Esse na verdade seria o seu endereço completo.

Falei tudo isso só para dizer que os super-aglomerados de galáxias são, talvez, as maiores estruturas do universo. São vastas coleções de galáxias, que não estão isolados, mas sim conectados/ligados por grandes concentrações de galáxias formando verdadeiras paredes de galáxias que circundam grandes vazios da teia cósmica.

Os super-aglomerados de galáxias, não são necessariamente grandes, mas sim massivos, com um poderosa força gravitacional. Na verdade são as estruturas mais massivas conhecidas no universo.

O maior super-aglomerado de galáxias conhecido no chamado universo próximo, localiza-se a cerca de 650 milhões de anos-luz de distância. Ele se chama Super-aglomerado Shapley.

No mês de Novembro de 2016, uma equipa de astrônomos apresentou a descoberta de um novo super-aglomerado de galáxias.
Conhecido como Super-Aglomerado de Vela, ele pode ser tão massivo quanto o Shapley e está a cerca de 800 milhões de anos-luz de distância.

Mas como uma estrutura dessas não tinha sido descoberta antes?
Aí é que está a magia dessa pesquisa: esse super-aglomerado não foi notado antes, porque ele está localizado atrás do plano da Via Láctea: um local onde a poeira e as estrelas tapam completamente a visão das estruturas que estão no fundo.

Para descobrir esse super-aglomerado, os astrônomos fizeram inúmeras observações de muitas galáxias e descobriram que oito novos aglomerados residem dentro da área de Vela.
Posteriormente, medidas de desvio para o vermelho mostraram que todos esses aglomerados pertenciam a uma estrutura ainda maior.

Novas observações ainda serão feitas para caracterizar melhor o super-aglomerado, mas essa descoberta mostrou como aplicar técnicas inovadoras de observação e de análise de dados para descobrir uma estrutura gigantesca, escondida na nossa vizinhança.

E assim, a cada dia que passa, vamos conhecendo melhor o universo onde vivemos…

Fonte: EarthSky

Acerca do autor(a)

Sérgio Sancevero

Formado em Geofísica pela Universidade de São Paulo (USP), Mestre em Engenharia do Petróleo pela Universidade de Campinas (UNICAMP), e Doutor em Geociências também pela Universidade de Campinas (UNICAMP).
Divulgador de Astronomia no SpaceToday.

1 comentário

  1. Arnaldo

    Uma dúvida.

    O Super-aglomerado Shapley é maior que o Huge-LQG ?
    Se é, qual seria a proporção entre eles?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

AstroPT – Informação e Educação Científica is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache