Estrela é muito mais antiga do que se pensava

Rolf Chini, um dos investigadores-principais deste estudo.
Créditos: RUB, Nelle

Os astrónomos sabem a idade das estrelas com base na espetroscopia. O espetro das estrelas é determinado pela sua composição, pelos seus elementos químicos. Em face dos elementos químicos sabe-se se a estrela é antiga ou jovem.
Estrelas muito antigas não têm elementos pesados porque estes formaram-se nas estrelas e por isso só após sucessivas gerações de estrelas é que as estrelas têm mais elementos pesados (as estrelas de primeira geração, as mais antigas, tinham somente os elementos leves hidrogénio e hélio, formados no chamado Big Bang).
Estrelas jovens, como o nosso Sol, possuem mais elementos pesados.

Quando os astrónomos observaram a estrela 49 Lib e determinaram a sua composição química, perceberam que ela continha muitos elementos pesados (mais até que a nossa estrela, Sol). Sendo assim, 49 Lib foi classificada como uma estrela bastante jovem, com cerca de 2,3 mil milhões de anos (isto é, metade da idade do Sol).

Sabe-se agora que isto foi um erro.
A composição química está correta, mas a conclusão final para a idade da estrela depende de um outro fator: interação com outras estrelas.

Percebeu-se que 49 Lib é um sistema binário.
A estrela companheira de 49 Lib seria uma estrela semelhante ao Sol (49 Lib também o é), pouco massiva, que evoluiu naturalmente para gigante vermelha.
Ao tornar-se tão grande, transferiu parte da sua matéria para 49 Lib, o equivalente a cerca de metade da massa do Sol.
Nessa transferência foram incluídos elementos químicos pesados.

Ao “puxar” gravitacionalmente os elementos pesados para si, 49 Lib levou a que os astrónomos errassem quanto à sua idade.

49 Lib não tem 2,3 mil milhões de anos.
Na verdade, tem cerca de 12 mil milhões de anos de idade. Ou seja, esta estrela formou-se na mesma altura da nossa Galáxia.

A estrela companheira de 49 Lib é agora uma anã branca.
49 Lib começou com uma massa semelhante à do Sol. Por isso, irá evoluir para gigante vermelha e depois para anã branca. No entanto, este processo será agora mais rápido, já que 49 Lib tem agora mais massa e por isso irá evoluir mais rapidamente para gigante vermelha (quanto mais massa as estrelas têm, menor é o seu tempo de vida).

Um aspeto interessante desta evolução é que quando chegar a gigante vermelha, 49 Lib vai passar pelo mesmo processo de transferência de massa. Desta vez, será 49 Lib a transferir parte da sua massa para a anã branca sua companheira. Se transferir demasiada massa nessa altura, poderá até levar a que a anã branca expluda como supernova.

Fontes: Comunicado de Imprensa, Artigo Científico

2 comentários

    • Valéria Oliveira Milhomem on 22/01/2017 at 13:40
    • Responder

    Muito bom! Quando definirem o tema que vou defender a tese de mestrado buscarei subsídios em publicações suas.
    Valéria.

  1. I don’t blame you, too many stars to count. Let’s say, Tiny bug? 🙂

Responder a Andre Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.