Google+

«

»

Abr 19

Nebulosa Planetária da Aranha Vermelha

Créditos: NASA, ESA, Hubble, HLA; Jesús M.Vargas & Maritxu Poyal

Uma nebulosa planetária forma-se quando uma estrela pouco maciça, como o Sol, após passar pela fase de gigante vermelha, se contrai rapidamente tornando-se uma anã branca e deixando as suas camadas/gases exteriores ejetados no espaço.

Esta nebulosa planetária, denominada oficialmente NGC 6537 e conhecida popularmente como Aranha Vermelha, contém no seu centro uma das anãs brancas mais quentes conhecidas.
Na verdade, no seu centro existe um sistema binário, onde a anã branca é uma das estrelas.

Os ventos estelares emanados destas estrelas atingem velocidades de mais de 1000 km/s.

Esta nebulosa encontra-se a cerca de 4000 anos-luz de distância na direção da constelação de Sagitário.

Fonte: APOD

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
Foi Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>