DeeDee, um membro distante do Sistema Solar

Crédito: ALMA (ESO/NAOJ/NRAO)

Podemos dizer que conhecemos boa parte do nosso Sistema Solar. Mas existem certas regiões, principalmente aquelas localizadas bem além de Plutão, onde reinam os chamados Objetos Trans-Netunianos, que ainda guardam grandes segredos.

Estudar essa região não é tarefa fácil, mas atualmente os astrônomos possuem as armas certas. Entre elas está o ALMA, que está revolucionando a astronomia.

Crédito: Alexandra Angelich (NRAO/AUI/NSF)

E foi com o ALMA que os astrônomos decidiram vasculhar esse canto escondido da nossa vizinhança e estudar um objeto conhecido como 2014 UZ224, ou DeeDee.

Localizado a uma distância equivalente a 3 vezes a distância de Plutão até ao Sol, o DeeDee é o segundo TNO mais distante conhecido.

Com o ALMA os astrônomos puderam medir o objeto: ele tem 635 km de diâmetro, cerca de dois terços do diâmetro do planeta-anão Ceres.

Com esse tamanho, ele deve ter massa suficiente para ser esférico – o critério necessário para que um objeto seja considerado um planeta-anão.

Atualmente o DeeDee está a 92 unidades astronômicas do Sol.
Nessa distância, ele leva mais de 1100 anos para completar uma volta ao redor do Sol, e a luz que ele reflete do Sol leva 13 horas para atingir a Terra.

Crédito: Alexandra Angelich (NRAO/AUI/NSF)

O DeeDee foi descoberto em 2016 usando o Telescópio de 4 metros Blanco. Foi durante uma pesquisa que não tinha nada relacionado com objetos no Sistema Solar.
A pesquisa era sobre a expansão do universo e produziu uma quantidade imensa de imagens (15 mil), onde foram identificados 1.1 bilhão de objetos candidatos, a maioria sendo estrelas e galáxias e uma pequena porção de TNOs.

Embora um telescópio óptico tenha descoberto o objeto, foi o ALMA com a sua capacidade de observar em detalhe a parte mais fria do universo que pôde caracterizá-lo da maneira correta.

A temperatura do DeeDee é de 30 Kelvin, ou seja, um pouco acima do zero absoluto.

Enquanto que para a luz visível isso é equivalente a observar uma vela colocada na metade da distância entre a Terra e a Lua, para os comprimentos de onda milimétricos ele é até brilhante.

O DeeDee reflete apenas 13% da luz solar que recebe.

Crédito: Alexandra Angelich (NRAO/AUI/NSF)

Objetos como o DeeDee representam os restos da formação do Sistema Solar, e as suas propriedades físicas e orbitais podem revelar detalhes importantes sobre a formação dos planetas, incluindo a Terra.

A descoberta também é animadora pois mostra que é possível detectar objetos apagados e distantes no Sistema Solar.

Fontes: ALMA, Artigo Científico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.