Mais um Planeta no Sistema Solar?

Um objeto com massa planetária do tamanho de Marte seria suficiente para produzir as perturbações observadas no distante Cinturão de Kuiper.
Crédito da ilustração: Heather Roper / Lunar and Planetary Laboratory, University of Arizona.

Será que existem mais planetas? Se sim, como eles são?

Em um artigo científico, pesquisadores da Universidade do Arizona defendem a existência de um planeta, ou de um corpo planetário com massa entre a massa de Marte e da Terra, nos confins do Sistema Solar.

Esse planeta obviamente ainda não foi descoberto, mas de acordo com os pesquisadores ele já mostrou a sua presença, controlando o plano orbital da população de Objetos do Cinturão de Kuiper (KBOs).

Enquanto que a maior parte dos KBOs orbitam o Sol num plano de órbita chamado de plano invariável pelos cientistas planetários, os KBOs mais distantes têm um plano de órbita além desse, inclinado em cerca de 8 graus.
Por outras palavras, existe algo desconhecido que está inclinando o plano orbital médio dos objetos mais distantes do nosso Sistema Solar.

Os pesquisadores analisaram o plano orbital de mais de 600 KBOs para determinar a direção comum da precessão desses objetos.
E com isso, eles descobriram que para distâncias entre 50 a 80 UA o plano médio das órbitas está afastado do chamado plano invariável.

A explicação mais provável para isso seria a presença de um objeto com a massa de Marte orbitando o Sol a uma distância de 60 UA com um plano de órbita com inclinação de 8 graus.
Esse objeto teria influência gravitacional suficiente para inclinar o plano orbital de KBOs num raio de 10 UA.

Esse objeto não seria o famoso Planeta 9, pois esse suposto planeta tem uma massa 10 vezes a da Terra e está localizado entre 500 e 700 UA do Sol.

Os pesquisadores não sabem se este objeto seria um planeta, pois para isso precisa ter sua órbita limpa. É por isso que os cientistas se referem a ele como um objeto de massa planetária.
Os pesquisadores também não descartam a hipótese de ser mais que um objeto…

Por que ainda não observamos esse objeto?
– Primeiro, porque ainda não pesquisamos o céu todo.
– Segundo, porque ele pode estar na direção do plano galáctico: uma região lotada de estrelas, o que dificulta a sua identificação.
– Terceiro, porque pode ser que esse objeto não exista! A inclinação do plano de órbita pode ter sido causada por uma estrela que passou perto do nosso Sistema Solar.

Fontes: Sci-news, Artigo Científico

2 comentários

    • Manel Rosa Martins on 30/06/2017 at 01:09
    • Responder

    O modelo que prevê o Planeta 9 é frágil e especulativo, o “clustering” é um falso positivo e a perturbação das órbitas dos 6 objectos conhecidos que sustenta este modelo também não existe.

    https://www.nature.com/news/solar-system-survey-casts-doubt-on-mysterious-planet-nine-1.22177

  1. Olá Sérgio

    Esta “notícia” está a ser aproveitada por vários media quase como uma certeza. A imagem (representação artística) que utilizam é hilariante.

    Em relação a este artigo do astro.pt (http://www.astropt.org/2015/12/11/tera-sido-detectado-o-objecto-mais-distante-no-sistema-solar-provavelmente-nao/) será que no presente caso existem elementos novos que suportem este estudo ?

    Pondo de parte as várias hipóteses possíveis, e à luz do conhecimento e tecnologias actuais, como e quando poderemos ter mais certezas ?

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.