Nave interplanetária OSIRIS-REx vai sobrevoar a Terra no dia 22 de Setembro

A 9 de Setembro de 2016, a NASA lançou uma sonda interplanetária, dando inicio à missão OSIRIS-REx.
A sonda, que se dirige para um pequeno asteróide, deverá atingir o seu alvo em Agosto de 2018. O objectivo da missão passa por entrar em órbita do asteróide Bennu, recolher amostras do material da sua superfície e trazer essas amostras de volta à Terra.

Para saber mais detalhes da missão e do asteróide, pode ler este artigo.

No entanto, como o plano da órbita do asteróide Bennu tem uma inclinação de 6º em relação ao plano da órbita da Terra, foi planeada uma passagem próxima da Terra, de modo a que a gravidade do nosso planeta acelere e desvie a sonda, colocando-a numa trajectória que a leve de encontro a Bennu, numa órbita com uma inclinação igual à do asteróide.

Esta manobra, a que se dá o nome de gravidade assistida , irá trazer a sonda até uma distância de 17.000 km, às 17h52 de amanhã, dia 22 de Setembro.

A assistência da gravidade da Terra é uma maneira inteligente de deslocar a sonda para o plano orbital de Bennu, utilizando a gravidade da própria Terra em vez de gastar combustível” disse D. Lauretta, investigador principal da OSIRIS-REx na Universidade de Arizona.

Representação artística mostrando a sonda OSIRIS-REx a passar pela Terra.
(Crédito: NASA/Universidade do Arizona)

Após já ter viajado quase mil milhões de quilómetros, a OSIRIS-REx irá aproximar-se da Terra a uma velocidade de cerca de 30.000 km/h. Vai passar sobre a Austrália e atingirá o ponto mais próximo da superfície terrestre ao sobrevoar a Antártida, a sul da América do Sul, às 17h52. Quatro horas após a maior aproximação à Terra, a sonda vai orientar os seus instrumentos para a Terra e a Lua, para efectuar observações que permitirão calibrar os instrumentos.

Durante a manobra de gravidade assistida, a sonda irá atravessar a região envolvente do nosso planeta onde orbitam diversos satélites. Os técnicos da NASA estarão a postos para efectuar pequenas manobras, se necessário, a fim de  evitar qualquer potencial colisão entre a OSIRIS-REx e um satélite.

Como curiosidade, refira-se que quando a OSIRIS-REx entrar em órbita do asteróide, na segunda metade de 2018, Bennu será o corpo mais pequeno que uma nave ou sonda terá alguma vez orbitado, o que representa um grande desafio devido à pequena dimensão e reduzido campo gravítico produzido pelo asteróide que tem apenas 493 metros.

Fonte: NASA

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.