Urano: trocando luas por anéis

Crédito: NASA

Urano, o sétimo planeta do Sistema Solar em ordem de distância do Sol, o terceiro maior, considerado junto com Netuno um gigante congelado, possui:
– uma das atmosferas mais frias do nosso sistema de planetas,
– anéis, como todos os planetas externos,
– e uma grande quantidade de satélites: 27 conhecidos.

Um grupo de pesquisadores resolveu estudar os satélites e os anéis de Urano.
E com esse estudo eles mostraram que um dos anéis, o chamado Eta (da letra grega) não tem uma forma circular, nem arredondada. Esse anel tem uma forma triangular ao redor do planeta.

Essa órbita estranha do anel se deve à força gravitacional exercida pelo satélite Cressida. E essa força gravitacional é exagerada a ponto de mudar a forma da órbita do anel.
Com a força gravitacional que Cressida exerce sobre o anel, os pesquisadores conseguiram calcular a sua massa: cerca de 1/300000 da massa da nossa Lua, com uma densidade de 86% da densidade da água, indicando ser um objeto muito poroso.

Estudando a órbita dos satélites de Urano, os pesquisadores também descobriram que Cressida está em rota de colisão com Desdemona, que atualmente se move numa órbita a apenas 900 km de Cressida. A colisão deve acontecer em 1 milhão de anos.

Cupido e Belinda também devem colidir em algum momento.

Além de tudo isso, muito provavelmente o material dos anéis mais internos de Urano é material remanescente de outros satélites que colidiram e foram destruídos.

Assim, no futuro, Urano vai perder satélites e ganhar anéis.

Fontes: Phys.org, artigo científico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.