Bactéria Extraterrestre na ISS?

Crédito: NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute

Será que foi descoberta vida extraterrestre?

Bem, a história está pipocando por todo lado: a tal bactéria que foi encontrada no lado de fora da Estação Espacial Internacional (ISS).
Tudo isso, porque o cosmonauta Anton Shkaplerov disse que a tal da bactéria veio do espaço externo.

Há alguns anos atrás, Shkaplerov fez uma caminhada espacial, e durante a caminhada, ele levou uns cotonetes para passar nos vidros da estação e em algumas peças, para verificar possíveis vazamentos.
Porém, o que os cotonetes captaram foram bactérias, que ele diz que não estavam no lado de fora do módulo antes de terem sido levadas para a ISS.

Essas bactérias nesse momento estão sendo estudadas em laboratórios na Terra, mas não precisamos entrar em pânico nem correr para as montanhas, pois elas não oferecem risco nenhum.

Na verdade, as bactérias foram levadas para a estação de forma acidental em tablets que são usados pelos astronautas e que ficaram muito tempo na ISS para estudar o comportamento do material no espaço.

Esse é um caso típico de contaminação.
Existem protocolos, níveis de descontaminação pelo qual passam os equipamentos, e uma esterilização completa de instrumentos para a ISS. Mas mesmo assim, os objetos não são totalmente esterilizados. Por isso é que esta já não é a primeira vez que são encontradas bactérias terrestres na ISS levadas nos equipamentos que os astronautas carregam para lá.

Por isso é que a Cassini colidiu com Saturno.
Porque por mais que fosse esterilizada antes do seu lançamento, mesmo assim a Cassini pode ter levado bactérias terrestres bastante resistentes e podia contaminar as luas de Saturno, como Titã ou Encélado.
Assim, a NASA decidiu pela colisão no planeta Saturno. Para não haver esse perigo de contaminação com bactérias terrestres.

Neste caso, provavelmente as bactérias estavam nos tablets e outros equipamentos, e mesmo até nos cotonetes utilizados para a limpeza exterior. Como já aconteceu no passado.

A confusão toda começou porque Shkaplerov conversou com a Agência de Notícias Russa TASS e a partir daí essa notícia começou a se espalhar pelo mundo todo.
É somente um caso de sensacionalismo barato.

Fontes: Space.com, National Geographic, Cnet, Revista Galileu, Globo, Independent, Phys.org, artigo científico, TASS

1 comentário

  1. Outra possibilidade é que existam algumas bactérias que vivam em orbita mesmo.
    Mas não são bactérias espaciais, são nativas do nosso planeta, mas que são adaptadas a viver nessas condições

Responder a Xevious Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.