Exoplanetas Habitáveis ao redor de Pulsares são teoricamente possíveis

Ilustração artística de um planeta habitável (centro) em órbita de um pulsar (direita). O planeta precisa ter uma enorme atmosfera que converta raios-X e as partículas de alta energia do pulsar em calor.
Crédito: Institute of Astronomy, University of Cambridge

Pulsares e exoplanetas.
Num primeiro momento você pode até pensar que não existem exoplanetas ao redor de pulsares.

Os pulsares são estrelas de nêutrons altamente magnetizadas que giram rapidamente expelindo grandes quantidades de raios-X e outras partículas energéticas.
As condições extremas nas imediações dos pulsares, a princípio, poderia impedir ali a formação de planetas.

Existem cerca de 200 mil pulsares na Via Láctea. Desses, cerca de 3 mil já foram identificados.

A história de pulsares com exoplanetas se torna interessante quando em 1992, um grupo de pesquisadores descobre ao redor do pulsar PSR B1257+12, o primeiro exoplaneta da história.
Esse pulsar está localizado a cerca de 2300 anos-luz de distância da Terra, na constelação da Virgem e possui 3 planetas já descobertos ao seu redor.

Agora, um grupo de pesquisadores resolveu usar esse pulsar histórico e calcular a zona de habitabilidade dele, ou seja, tentar descobrir se seria possível encontrar exoplanetas habitáveis ao redor de pulsares.

Os pesquisadores ao fazerem os cálculos mostraram que a zona habitável ao redor de pulsares teria aproximadamente 150 milhões de quilômetros de largura, o equivalente à distância da Terra ao Sol.
Além disso, os exoplanetas teriam que ser do tipo super-Terra e ter uma atmosfera milhares de vezes maior que a da Terra.

Ao observar o histórico pulsar com o Chandra, os pesquisadores descobriram que 2 dos 3 exoplanetas são super-Terras e estão dentro da zona habitável do pulsar.
Ou seja, só dependeria a princípio da presença de uma espessa atmosfera para que esses exoplanetas pudessem ser habitáveis.

Os pesquisadores desejam no futuro explorar esse e outros pulsares com o ALMA, para tentar encontrar mais exoplanetas ao redor de pulsares, e posteriormente tentar estudar de alguma forma os exoplanetas para encontrar algum vestígio de atmosferas espessas.

Fonte: Astron

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.