O Sistema Solar se formou numa bolha ao redor de uma Estrela Gigante?

Crédito: V. Dwarkadas / D. Rosenberg

O cenário mais provável para a formação do nosso Sistema Solar é que há bilhões de anos atrás, uma explosão de supernova perturbou uma nuvem de gás e poeira, que começou a se aglutinar, até colapsar pela gravidade formando o Sol e posteriormente os planetas ao seu redor.

Mas existem outras hipóteses para cenários de formação.

Uma delas começa com uma estrela gigantesca, chamada estrela do tipo Wolf-Rayet, com 40 a 50 vezes o tamanho do Sol.
Essas estrelas são famosas, pois são elas que sopram aquelas bolhas cósmicas que observamos em algumas imagens. A concha dessas bolhas é um dos locais ideais do universo para que ocorra a formação de estrelas.
Cerca de 1 a 16% das estrelas parecidas com o Sol podem se formar nesse tipo de berçário estelar.

Como surgiu essa hipótese?
Pela análise de isótopos de elementos no sistema solar inicial, análises essas feitas em meteoritos.

Os pesquisadores notaram uma grande quantidade de alumínio-26 e uma menor quantidade de ferro-60.
Essa análise de isótopos faz com que a hipótese da estrela Wolf-Rayet tenha alguma vantagem.
No caso do alumínio-26, os grãos formados teriam momento suficiente para passar pela concha da bolha, fazendo com que o alumínio ficasse armazenado dentro da concha. Quando parte da concha colapsou, para formar o nosso Sistema Solar, esse colapso trouxe o alumínio para o nosso Sistema Solar.
No caso do ferro-60, a estrela Wolf-Rayet deve ter terminado sua vida como uma supernova ou como um buraco negro. No caso do buraco negro, pouco ferro-60 seria criado. E no caso da supernova, o ferro-60 criado na explosão não teria momento para penetrar as paredes da bolha.

Ou seja, a formação do Sistema Solar numa bolha de uma estrela do tipo Wolf-Rayet, é algo que pode ser justificável.

Fonte: Phys.org

1 comentário

  1. Estranho essa informação por que já soube de uma outra teoria de formação dos planetas.
    Diferentemente da inicial.
    Nesta segunda teoria os planetas se formam a partir de grandes explosões nas estrelas e que emanam grandes quantidades de massa.
    Estas massas em geral acabam retornando para as estrelas, numa ordem de 99%
    E os 1% restantes acabam orbitando a estrelas e formando os planetas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.