Será que o Curiosity encontrou Vida em Marte?

O ano começou agitado em Marte para o rover Curiosity.

O rover se deparou com duas descobertas interessantes e que podem estar relacionadas com a vida no Planeta Vermelho.
Uma delas está chamando muito a atenção por conta das imagens, a outra é mais, digamos, elusiva.

Vamos falar primeiro dessa mais elusiva.

Créditos: NASA/JPL-Caltech/SAM-GSFC/Univ. of Michigan

O rover Curiosity recentemente mediu um novo pico de emissão de gás metano em Marte.

Mas o que o gás metano tem relacionado com a vida?
Bem, na Terra, as emissões de metano estão em grande maioria relacionadas com processos biológicos, embora processos geológicos também causem a emissão do gás.

Desde que pousou em Marte em 2012, nas ocasiões em que fez essas medidas, o Curiosity notou que em alguns momentos existem picos da emissão desse gás, o que seria uma emissão sazonal.

Esse na verdade é o grande mistério em Marte relacionado ao metano: por que ele tem um pico sazonal?

Isso ainda ninguém conseguiu responder, mas a sonda TGO, a Trace Gas Orbiter, da ESA, está lá para clarificar esse mistério.

Muito provavelmente a fonte de emissão do metano é geológica: o gás pode ficar absorvido nos poros das rochas e de tempos em tempos ocorre essa emissão. Ou pode mesmo estar relacionado a processos biológicos, como na Terra onde micróbios são responsáveis por isso.

Créditos: NASA / JPL-Caltech / MSSS

Para instigar mais ainda a questão sobre vida em Marte, o Rover que está escalando o Monte Sharp, fez imagens muito interessantes, onde mostrou rochas em formas de pequenos tubos nos afloramentos em Marte.
Lógico que olhando num primeiro momento elas lembram muito alguns fósseis encontrados na Terra, ou tubos deixados por certos animais que posteriormente são preenchidos por sedimento, resultado de um processo conhecido como bioturbação, ou seja, a perturbação biológica causada nas rochas.
Os tubos encontrados em Marte, são muito pequenos, de tamanho milimétrico. E muito provavelmente não estão relacionados a alguma forma de vida.
A explicação geológica para a presença desses tubos é que a rocha poderia possuir algum tipo de cristal e esse cristal foi então retirado dali por algum tipo de processo como a percolação de água. Pode ser também um tipo de mineralização que aconteceu na rocha, ou algum tipo de concreção que também são encontradas em rochas na Terra.
Óbvio que para já nenhuma hipótese é descartada. Os pesquisadores estão fazendo mais análises para poder ter certeza do que sejam essas feições.
Se for uma bioturbação, por exemplo, seria espetacular, pois mostraria que algum tipo de vida bem mais evoluída do que simples bactérias estiveram presente em Marte.
Temos que aguardar as análises futuras.

O importante de tudo isso é o seguinte: o rover não tem esse nome do nada. O Curiosity, realmente a cada imagem que faz de Marte, a cada análise que faz do planeta vermelho, desperta e muito a nossa curiosidade sobre o que está acontecendo com o nosso vizinho planetário.

Outra coisa importante: não acreditem em tudo que vocês leem por aí, essa semana já tivemos o caso do zuma, e agora essas imagens de Marte que tem muita gente afirmando com certeza que são tipos de vidas que foram ali encontradas. Tomem muito cuidado com as fake news e com a desinformação que ronda por aí, vão atrás das fontes, leiam as fontes das notícias, e leiam diferentes análises, para poder construir uma visão crítica sobre o assunto.

Mas que desperta a nossa curiosidade, isso desperta!

Fontes: Science Magazine, EarthSky, Space.com

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.