Sistema Multiplanetário descoberto pelo Exoplanet Explorers

Crédito da ilustração: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (IPAC)

Os projetos de ciência cidadã já são uma realidade.

A maior parte deles está centralizada no chamado zoouniverse, onde é possível encontrar projetos desde a área de astronomia como classificação de galáxias, até projetos na área biológica.

Entre esses projetos, existe um chamado Exoplanet Explorer.
Como o nome já diz, a ideia é que pessoas do mundo inteiro nas suas casas com seus computadores, possam ajudar os cientistas a encontrarem exoplanetas.

Só para vocês terem ideia: o Kepler, na sua missão K2, observou 287309 estrelas, e dezenas de milhares de outras devem ser observadas nos próximos meses.
Esse número é muito alto para os astrônomos lidarem. Então nesse caso o projeto de ciência cidadã cai como uma luva.

O projeto Exoplaneta Explorer começou a funcionar em Abril de 2017, e nas primeiras 48 horas, o projeto recebeu mais de 2 milhões de classificações de mais de 10 mil usuários.

Crédito: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (IPAC)

A televisão ABC Australia transmitiu uma série chamada Stargazing Live onde a ideia era mostrar ao vivo como os cientistas cidadãos trabalhavam.
Na segunda noite de programa o projeto já tinha identificado 44 exoplanetas candidatos do tamanho de Júpiter, 72 do tamanho de Netuno, 44 do tamanho da Terra, e 53 super-Terras.
O pessoal do programa queria terminar o programa anunciando pelo menos uma descoberta e depois de trabalhar arduamente, anunciaram a descoberta do sistema chamado K2-138, uma estrela com 5 exoplanetas ao seu redor.

Esse foi o primeiro sistema multiplanetário descoberto por um projeto de ciência cidadã no mundo!

Depois de anunciar a descoberta, os pesquisadores foram então para seus laboratórios e observatórios com a finalidade de validar tudo e caracterizar por completo o sistema K2-138.
Além de já ter feito história pelo facto de ter sido descoberto pelo Exoplanet Explorer, esse sistema apresentava algo inédito: uma ressonância orbital entre os 5 planetas descobertos. Isso nunca havia sido detectado antes!
O facto de estar em ressonância é muito importante para se entender a formação planetária. A formação planetária clama por um espalhamento caótico entre os planetas de um sistema, sem existir essa ressonância. O K2-138 mostrou que isso pode nem sempre ser válido.

Além de ter usado de forma espetacular o projeto de ciência cidadã e ser o primeiro sistema multiplanetário descoberto dessa maneira, o sistema ainda apresentava uma ressonância que contradiz as teorias de formação planetária.

Realmente é algo interessante!
Agora os pesquisadores irão trabalhar em cima disso para tentar resolver mais esse enigma da astronomia.

Fonte: Caltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.