Os mistérios da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

Crédito: Goddard Space Flight Center, NASA

Os astrônomos observam a Grande Mancha Vermelha de Júpiter desde 1831, sendo que as medidas sistemáticas de seu tamanho são feitas desde 1878.
Mas só no final da década de 1970, com as duas sondas Voyager, é que as medidas começaram a ficar cada vez mais precisas.
E atualmente, desde que o Hubble foi lançado, anualmente dentro do chamado projeto OPAL – Outer Planets Atmosphere Legacy -, o tamanho da Grande Mancha Vermelha é medido.

Com isso, os pesquisadores conseguem traçar a evolução da Grande Mancha analisando seu tamanho, sua forma, sua cor e a velocidade com a qual ela deriva em Júpiter, além de estudar a mancha internamente.

Um novo estudo analisou todas essas características da Grande Mancha Vermelha e chegou às seguintes conclusões:
– A mancha está derivando para oeste mais rápido do que fazia anteriormente.
– O estudo confirmou que de maneira geral, desde 1878 a mancha diminuiu de tamanho. Nessa época cabiam 3 Terras dentro da mancha, hoje cabe um pouco mais de um planeta Terra no seu interior. Mas nos anos de 1920 ela temporariamente aumentou de tamanho.
– A mancha está aumentando de altura. Está ficando mais alta à medida que se contrai. Embora seja pouco, é possível ter essa evidência.
– A mancha também está mudando de cor: está ficando mais laranja, principalmente desde 2014.

A Grande Mancha Vermelha, uma das tempestades mais estudadas no Sistema Solar, continua apresentando os seus mistérios.
Os pesquisadores não sabem dizer se ela vai se estabilizar ou se ela irá contrair até desaparecer.

Fonte: NASA

1 comentário

  1. Notaram que ela nunca muda de latitude?
    Desafio a todos a me darem uma explicação para isto..

    Com exessão desta que darei agora.

    Ele nunca muda de latitude, porque na verdade esta fixo no chão

    E trata-se na verdade de um vórtice provocado por uma emanação de massa que ocorre no núcleo de Júpiter.
    Algo como um vulcão, mas tão imenso que nem da pra dar esse nome pra ele.

    (primeiro queria dizer que não é uma teoria minha, já vi cientista de verdade falando a mesma coisa)

    Então se a hipótese estiver correta as deduções sobre a rotação de Júpiter estão erradas já que o vórtice esta preso em termos de coordenadas, a rotação de Júpiter é exatamente a rotação que é observada na Grande Mancha Vermelha.

    Sobre se Júpiter tem ou não tem núcleo, já se chegou a conclusão que sim e que ele deve ser formado principalmente por hidrogênio na forma metálica e inclusive isto explica sua gigantesca magnetosfera dele, já que ao testar esta hipótese se criou hidrogênio metalizado e então foi observado um imenso magnetismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.