Difusão das emissões rádio

A astrofísica, cientista da NASA e investigadora da Missão Kepler, Natalie Batalha partilhou uma imagem ilustrativa do quanto as nossas emissões rádio viajaram, em relação ao tamanho da nossa Galáxia.

As transmissões rádio têm cerca de 100 anos. Sendo assim, estão a ser enviadas para todo o lado no Universo dentro de uma “bolha” de cerca 200 anos-luz de diâmetro.
Ou seja, alienígenas relativamente avançados que tenham rádio-telescópios precisam de estar a menos de 100 anos-luz de distância da Terra para receberem as nossas transmissões. (como comparação, a nossa Galáxia, Via Láctea, tem mais de 100 mil anos-luz de diâmetro)
O mesmo problema tem o programa SETI: para conseguirmos detectar transmissões rádio alienígenas, a civilização alienígena precisa estar relativamente perto de nós. Isto, assumindo que eles desenvolvem comunicação-rádio (podem não desenvolver) e assumindo que a desenvolveram há pouco tempo (como nós), porque se a desenvolveram há muito tempo podem já ter passado para outro tipo de transmissões mais desenvolvidas.

2 comentários

    • Cristiano Gomes on 21/06/2018 at 01:50
    • Responder

    Li em algum lugar que, após uns 2 anos-luz, o sinal das nossas transmissões fica tão fraco que se torna virtualmente indetectável.

    1. Talvez tenha lido aqui, há vários anos atrás. De um estudo feito pelo próprio SETI 🙁

      http://www.astropt.org/2009/08/09/emissoes-que-escapam/

      abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.