Marte ataca!

Revi recentemente o filme Mars Attacks!

A realização esteve a cargo do conhecido Tim Burton.
O elenco é de luxo: Jack Nicholson, Glenn Close, Pierce Brosnan, Sarah Jessica Parker, Michael J. Fox, Danny De Vito, Martin Short, Jack Black, Natalie Portman, etc.

A história é simples: os marcianos invadem a Terra. Enquanto vão exterminando os Humanos, vão-se divertindo e gozando com os Humanos.

Pessoalmente gosto do filme.
Proporciona um bom entretenimento.

Gosto do aspeto silly funny.
É uma comédia, com humor negro e satírico.
Esta fantasia com aparência retro, é divertida, mas com piadas bastante “parvas”.

Os efeitos especiais são muito maus… mas é feito de propósito.

Os discos voadores são bastante tradicionais.

Os marcianos usam fatos espaciais, para poderem andar pela Terra.

Os marcianos passam o tempo a rir-se dos humanos.

Os marcianos dizem que vieram em paz… mas só como mentira para enganarem os humanos.
Ou seja, a invasão foi bem planeada: sob falsas intenções de paz, para assassinar todo o poder político.

O tradutor universal não funciona corretamente, por isso criam-se mal-entendidos.

No filme é assumido que o lançamento de uma pomba é um sinal de paz.
Mas na verdade, esse pode ser um sinal de guerra em Marte.
Foi muito engraçada essa cena, em que os marcianos mudam logo, ao verem a pomba.

No filme, também é assumido que se os extraterrestres são avançados, então serão pacíficos.
E ainda é assumido que se têm cérebros gigantes, então devem ser inteligentes.
Ambas são suposições, sem evidências para essas conclusões.

É estranho o professor inteligente juntar-se romanticamente à jornalista burra.
Mas foi divertido ver o beijo final entre as duas cabeças (do cientista e da jornalista tontinha).
Isto deu-se após as experiências feitas pelos marcianos, em que eles pegam em cabeças de humanos e cães e vão colocando nos corpos errados.

Não gostei de ver os cientistas (Donald Kessler) retratados como uns know-it-all. Ou seja, aparentemente sendo muito sabichões (que têm respostas inteligentes para tudo) mas na verdade estão sempre enganados. Essa é uma conceção errada.

O cientista também é retratado como sendo sempre otimista, pensando em mal-entendidos culturais, etc, sempre defendendo/desculpando os alienígenas.
Pareceu-me também uma forma habilidosa de criticar o cientista.

Também não gostei de ver que os miúdos que jogam jogos é que salvam o presidente. É ridículo. Teve piada, mas é ridículo.

Teve graça após o discurso comovedor de união entre civilizações, o presidente ser morto.

Assim como teve graça ser a música que mata os marcianos.

No filme, temos heróis improváveis: os “falhados” da sociedade não só se salvam, como salvam a humanidade.

Adorei quando foi dito que o marciano “fez o sinal internacional do donut”.

Os pseudos veem a chegada dos marcianos como uma forma de a humanidade se salvar, de se elevar espiritualmente.
A pseudo no filme usa cristais e é retratada como sendo uma tontinha.
Adorei a forma como foi retratada, claro.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.