The Arrival

The Arrival (não confundir com Arrival – Primeiro Encontro, A Chegada) é um filme de 1996, em que o ator principal é Charlie Sheen.
A tradução em português do título do filme foi: A Invasão (no Brasil) e Eles Chegaram (em Portugal).

Revi recentemente este filme.

Zane Zaminsky é um rádio-astrónomo que descobre que há vida extraterrestre inteligente. Devido a isso, é despedido e vê-se envolvido numa conspiração, em que os alienígenas matam os seus amigos e tentam matá-lo a si próprio, para manter a verdade em segredo e os Humanos não descobrirem que os extraterrestres estão entre nós.

Adoro este filme, apesar de promover várias conspirações absurdas.


No filme, um rádio-cientista do SETI descobre que existe vida extraterrestre inteligente através dos sinais rádio.
Assim, inicialmente é parecido com o filme Contacto.

A mensagem extraterrestre vem de um planeta em órbita da estrela Wolf 336, que supostamente se encontra a 14 anos-luz de distância da Terra. Ou seja, é um planeta que estaria na “vizinhança” do nosso sistema solar.

No filme é dito, corretamente, que apesar do planeta estar relativamente perto, é impossível ter uma conversa normal com os extraterrestres, já que cada comunicação demora 14 anos a chegar ao destinatário.
Ou seja, se dissermos “olá”, só teremos a resposta passados 28 anos, pelo menos.

No filme, também é dito corretamente que mesmo que seja uma mensagem extraterrestre, será virtualmente impossível compreendê-la.

Outro aspeto importante e correto cientificamente, é o facto do sinal durar apenas 42 segundos e nunca mais se repetir.
Isto acontece constantemente no SETI, sendo que o mais famoso é o sinal WOW. Isto é semelhante ao que nós próprios fizemos na denominada Mensagem de Arecibo.

Os radio-astrónomos descobrem o sinal alienígena quando estão no Owens Valley Radio Observatory, apesar de lhe chamarem Oro Valley Radio Observatory.


Adorei a esfera metálica que forma singularidades e que suga tudo ao seu redor, incluindo a si própria.
É tipo um buraco negro portátil que só se ativa quando as pessoas querem.


Não entendo porque mataram o colega de trabalho dele e mataram a outra cientista, mas não o conseguem matar a ele.
Não entendo essa ineficácia. Mas claro, é um filme… se o conseguissem matar rapidamente, o filme acabava rápido.


O filme promove várias conspirações:

O aquecimento global na Terra é supostamente uma estratégia dos extraterrestres para “terraformar” o planeta Terra: torná-lo mais quente e mais apropriado para os alienígenas.

O Telescópio Espacial Hubble foi lançado com defeitos iniciais, supostamente por intervenção dos alienígenas, que não queriam que aprendêssemos mais sobre o Universo e eventualmente os descobríssemos.
No filme não explicam porque os alienígenas deixaram que o telescópio fosse reparado com sucesso.

Supostamente os alienígenas já estão cá, mas estão disfarçados de humanos, por isso não os conseguimos distinguir.
Faz-me lembrar o filme Eles Vivem.

Supostamente algumas pessoas já sabem que os alienígenas andam entre nós. Mas essas pessoas são silenciadas ou mesmo assassinadas, para os alienígenas conseguirem manter o segredo. Por vezes, essas pessoas são tratadas publicamente como malucas, e se forem paranoicas como Zane Zaminsky, então esse tratamento público ainda se torna mais fácil.


O que detestei neste filme é o que detesto na grande maioria dos filmes e séries: apesar de Zane estar a combater contra tecnologia e extraterrestres muito mais avançados que ele, mesmo assim ele consegue salvar-se sempre.
É absolutamente irrealista.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.