Quiet Earth

Um homem, Zac Hobson, acorda, sai de casa, e percebe que não há mais ninguém no mundo. Está sozinho.
A solidão faz com que ele não fique bem psicologicamente.

Parece que as pessoas desapareceram de repente, quando estavam a fazer algo: a comer, aquecer água, conduzir, etc.

Até que Zac encontra uma mulher, Joanne. Afinal, não está sozinho!
Entretanto encontram corpos de pessoas que morreram (mas não foram Arrebatadas).
Depois, encontram um homem, Api.

Os sobreviventes não morreram, porque no exato momento em que iam morrer, foi o momento em que se deu uma explosão de luz vermelha.
Quem não estava a morrer, morreu.
Quem estava a morrer no momento da explosão de luz, sobreviveu.
Zac tinha ingerido comprimidos para se suicidar e nesse momento estava a morrer; Joanne estava a ser eletrocutada acidentalmente; e Api estava a afogar-se.

Zac detecta oscilações no Sol.
Percebe que os cientistas estavam a criar uma rede energética planetária, num empreendimento chamado Project Flashlight. E isso afetou o Sol.

Zac, que é cientista, prevê que o Efeito de Rapture (Arrebatamento) vai acontecer de novo no dia seguinte.

Então, os três decidem explodir uma das unidades da rede planetária. Zac é quem conduz o carro contra a unidade, e explode também.
A rede é deitada abaixo.

A seguir, Zac acorda numa praia à beira-mar naquilo que parece ser a superfície de uma lua de Saturno (provavelmente, Encélado)…

O filme é datado: já tem 34 anos (é de 1985).
No filme aparecem, obviamente, computadores bastante antigos e sem internet.

O filme baseia-se num conto de ficção científica com o mesmo título.

Na história, eles descobrem que algumas constantes universais – que nunca mudam e fazem parte do tecido do cosmos – mudaram. Na verdade, só a massa do eletrão mudou.
Mas se isso tivesse acontecido, porque desapareceram as pessoas da Terra? Porque não desapareceu tudo? E porque algumas pessoas continuaram a viver?
Não faz sentido alterar-se uma constante universal e só algumas pessoas desaparecerem devido a isso.

O filme parece dar a entender que os cientistas desenvolvem a ciência e a tecnologia para o bem de todos, mas depois essa ciência (e tecnologia) é utilizada para o mal pelos políticos.

No sentido inverso, a mensagem do filme parece alertar – e meter medo às pessoas – para os perigos da exploração científica. O filme parece dar a entender que os cientistas não sabem o que andam a fazer.

Não gostei da salgalhada de temas científicos: a causa parece ter sido simultaneamente a mudança na constante universal, na oscilação do Sol e na rede energética planetária. Faz pouco sentido…
Ainda menos sentido faz, o efeito ser o Rapture (Arrebatamento) Bíblico. É absurdo!

O final é bastante estranho e enigmático.
Ficamos sem saber se Zac tornou a sobreviver no momento da sua morte e agora irá viver noutro planeta/lua, ou se morreu e aquele local é uma espécie de Paraíso ou Purgatório. Ou então, será outra hipótese qualquer…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.