Hunger Games

Num futuro pós-apocalíptico, a nação de Panem tem 12 distritos.

Todos os anos, cada distrito envia um jovem rapaz (garoto) e uma jovem rapariga (garota) para competirem nos Hunger Games – Jogos da Fome / Jogos Vorazes.
Assim, no total, são 24 concorrentes: dois de cada um dos 12 distritos.

Nestes jogos anuais, a competição vai até à morte.
Só uma pessoa sai vitoriosa (e viva).

Nos 74º Hunger Games, Katniss e Peeta vencem.
Katniss chantageia o diretor dos Jogos, e consegue que ambos ganhem (em vez de ser só um). Assim, ganham os dois do mesmo distrito: o distrito 12 de Panem.

Adorei este filme.
É um filme criativo, que proporciona um excelente entretenimento.

Os Jogos, Hunger Games, são um misto de Circo Romano e Reality Show.
São promovidos pelo governo, como entretenimento e forma de controlo (e intimidação) da população.
Eles visam manter o status quo, em que a população morre à fome e a classe política vive na opulência.
É uma crítica à sociedade atual dos reality shows.

Claro que o governo tem sempre uma desculpa/razão para os Jogos.
Eles dizem que é devido à Rebelião que existiu contra a capital. No passado, os 13 distritos (eram 13) rebelaram-se contra o estado de coisas no país. Obviamente, quem estava no poder, não gostou.
E inventou os Jogos, para lembrar que a Rebelião foi esmagada, e que as pessoas passavam fome devido a essa rebelião. Por isso, deviam se conformar.

Os Jogos também são uma forma de gerir a população nos distritos.
Ao existiram dois concorrentes jovens, todos os anos, de cada distrito, então nos distritos vão existir menos jovens com garra para se rebelarem.

Por fim, também é uma forma de manter acesa a chama da falsa esperança: tal como nas Lotarias da nossa vida, as pessoas veem nos Jogos uma oportunidade de saírem vencedores e finalmente poderem ser ricos (e gozarem de todos os prazeres da vida).
Ou seja, é uma forma de manipulação da população.

Após os concorrentes serem escolhidos, esses mesmos concorrentes vivem como reis antes da matança.
Eles vivem como a população da capital. Vivem como os políticos do país.
Os escolhidos são tratados como se essa fosse a sua última refeição.

Na verdade, existe uma enorme falta de empatia pelos concorrentes que vão morrer. É tudo feito como se fosse um espetáculo, e os concorrentes são tratados como gado.

O distrito que é a capital dos que estão no poder, “obviamente”, não tem concorrentes. Ninguém é sacrificado, daqueles que estão no poder.
A capital é um freak show dos que estão no poder. Existe uma opulência absurda e uma teatralidade ridícula. São demasiado exagerados.
A população da capital (que está no poder) não tem qualquer noção da realidade.

Quanto aos Jogos em si, é tudo uma manipulação.
Os espetadores não entendem o que se passa nos bastidores.
Ou seja, são semelhantes aos reality shows que vemos nas nossas televisões.

Por fim, existe uma manipulação diária, até no discurso utilizado.
A população é enganada por aqueles que estão no poder, a pensar que estão a fazer algo para o seu próprio benefício, quando na verdade estão sempre a dar “tiros no pé”.

Por exemplo, os Jogos têm o lema: “May the odds be ever in your favor”.
Mas como é dito pelos membros da Resistência: “The odds are NEVER in our favor”.

Os dois vencedores (Katniss e Peeta) fazem um obrigatório périplo de vitória pelos distritos.
Durante a digressão, Katniss percebe que está próxima uma revolução contra o governo da capital.
Katniss tornou-se um símbolo de esperança para o povo.

Katniss e Peeta não lêem os discursos pré-escritos para eles.
Em vez disso, mesmo sem querer, promovem a revolução.

O governo decide, então, realizar os 75º Hunger Games.
Estes Jogos têm como concorrentes os vencedores de antigos Hunger Games.
O objetivo é que os antigos vencedores (sobretudo Katniss) não sejam vistos como faróis de esperança.

Durante os Jogos, vários concorrentes morrem para salvarem Peeta.

No final, percebe-se que metade dos concorrentes queriam que Katniss ganhasse, porque há um movimento escondido – do qual faz parte o diretor dos Jogos – para fazerem a Revolução.
O presidente e o governo da capital foram manipulados.
Katniss é o símbolo da Revolução.

Este filme, The Hunger Games: Catching FireOs Jogos da Fome: Em Chamas é igualmente muito bom.
É, mais uma vez, um filme fantástico, com vários aspetos criativos.

O grande problema deste filme é que é muito semelhante ao anterior.
Se não existisse o anterior, este filme seria fabuloso!
Mas sendo sequela, é mais do mesmo…

Os desafios durante os Hunger Games são melhores que no anterior.

Os vestidos que se transformam são fabulosos.

Neste filme, percebemos que os vencedores dos Hunger Games não vivem livres. Esses sobreviventes vitoriosos são, afinal, escravos do poder.

Existe a promoção de uma história de amor entre Katniss e Peeta.
No entanto, é tudo manipulado para a audiência “comer e gostar”.
Esta é, muitas das vezes, a realidade dos chamados reality shows.
Ou seja, é uma crítica à sociedade atual.

As notícias transmitidas também são manipuladas. O objetivo é criar amigos e inimigos da sociedade, contra quem as pessoas possam expelir a sua raiva.
Infelizmente, é muito fácil manipular as pessoas e convencê-las de algo que é falso.
Atualmente, este não é só um problema dos media/mídia. Esta é a realidade das redes sociais. As pessoas acreditam facilmente naquilo que leem e passam a odiar alguém com base nesse peer pressure.

A diferença de classes é perfeitamente visível nesta dicotomia: a população dos distritos passa fome. Na capital, a população no poder faz festas opulentes, onde comem imenso e vomitam só para poderem comer mais.

Não entendi o início dos Hunger Games: os concorrentes (como Katniss) nunca nadaram, nunca treinaram na água. No entanto, logo de início foi necessário nadar, e eles (incluindo Katniss) nadaram eficazmente. Como é que ela sabia nadar se nunca aprendeu a nadar?

A frase-chave deste filme é: “Remember who the real enemy is”.

Este filme, Mockingjay, foi dividido em duas partes: A Revolta / A Esperança e Final.

Na primeira parte, Katniss, mesmo contra a sua vontade, é o símbolo da rebelião contra o governo, contra a capital, contra o status quo.

O Distrito 13 foi destruído na Rebelião anterior, que não deu certo, mas algumas pessoas sobreviveram underground. É lá que está a base da Revolução.

O presidente Snow diz que as pessoas devem continuar a sustentar a capital, de modo a existir paz, ordem e normas.
O Governo da Capital proíbe imagens do Mockingjay/tordo.

Além de lutar, Katniss também entra num sistema de propaganda e relações públicas para os rebeldes, que são sempre necessárias para mudar o sentimento dos indecisos.

Nesta primeira parte, Katniss e os seus seguidores atacam a Capital de modo a resgatar Peeta e outros amigos. No entanto, o Presidente Snow manipula-os. Ele sabia que eles iam lá. Por isso, o ataque é frustrado. E Peeta quase mata Katniss.

Na segunda parte, os Rebeldes têm um alvo claro: o inimigo é o Presidente Snow. Com um alvo bem definido, é mais fácil arranjar aliados e ganhar.

Os rebeldes entram na capital.
Mais uma vez, é tudo gravado como reality show. No entanto, como sempre, as gravações são manipuladas.

Os rebeldes ganham. Apesar de quase todos os amigos de Katniss morrerem, incluindo a sua irmã mais nova.

A nova presidente, antes rebelde, é interina, mas por tempo indeterminado.
A presidente Coin quer realizar os últimos Hunger Games, com os filhos dos cidadãos da Capital. Vários antigos vencedores são contra isso, porque é perpetuar as mesmas atitudes anteriores.

Katniss mata a nova presidente Coin.
O povo mata o antigo presidente Snow.

Katniss recomeça a vida na sua cidade em ruínas, no distrito 12.
Katniss e Peeta constituem família: casam e têm 2 filhos.

Não gostei tanto destes filmes.
A criatividade esfumou-se.
Tornaram-se muito políticos.
Passaram a ser mais política do que ação.
Faltou o Circo: os Hunger Games.

Detesto a divisão em dois filmes: o primeiro fica sempre à espera do segundo. É uma treta.

A utilização do tordo como símbolo de liberdade é muito bem conseguida.

O sinal com as mãos – a saudação com os 3 dedos – também está excelente.

De resto, os filmes demonstram as manipulações constantes (com propaganda) que existem nos media/mídia, na política, nas redes sociais, etc.

Por outro lado, quem está no poder, só quer manter o poder.
Sejam os políticos que já estão lá, sejam os novos políticos que lá chegam, a agenda é sempre a mesma: manter o estado de coisas que os levou ao poder, manter o status quo. É mais do mesmo. São todos iguais.

Ou seja, os erros do passado repetem-se. Os humanos não aprendem.
Surpreendentemente, os cidadãos continuam a acreditar que se as pessoas mudarem, então as coisas vão mudar…

Um das declarações mais emotivas é quando Peeta diz que teria evitado muito sofrimento se tivesse dado o pão ao porco (no primeiro filme, em que dá pão a Katniss que estava com muita fome).
Isto permite-nos refletir como acontecimentos banais podem mudar radicalmente a nossa vida.

O final é demasiado normal: Katniss e Peeta casam e têm 2 filhos.
Se fazem a vida normal, esperada pela sociedade, para que foram os filmes?
Eles estão exatamente no mesmo momento da vida que teriam se não tivessem existido os 4 filmes.

A frase-chave destes dois últimos filmes é: “It’s the things we love most, that destroy us.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.