Ainda existem surtos de sarampo?

O sarampo é uma das doenças mais contagiosas que existem.
O sarampo pode levar a várias outras complicações (doenças), que em conjunto podem provocar a morte. Em 1920, 30% das pessoas que tinham sarampo e, em consequência, desenvolviam pneumonia (devido ao sistema imunitário diminuído), morriam. Antes de 1963, só nos EUA, existiam 4 milhões de casos de sarampo todos os anos, com 48.000 hospitalizações e 500 mortes (todos os anos).

Mas há boas notícias: o sarampo (que pode levar à morte) pode ser facilmente prevenido com a vacina respetiva.
Devido a isso, no ano 2000, o sarampo foi oficialmente considerado como eliminado nos EUA.

Infografia com os casos de doenças antes da vacinação e após o plano de vacinação, no Canadá.
Crédito: Government of Canada

Infelizmente, as pessoas não entendem (ou não querem entender) que é o elevado sucesso das vacinas que faz parecer que as vacinas não são precisas.
Por isso, de forma absurda, aderem a movimentos anti-vacinação e de forma criminosa até proíbem a vacinação nos seus filhos.

E qual é o resultado desta moda anti-conhecimento?

Surtos de sarampo e mortes de crianças e adolescentes.

Em pleno século XXI e na chamada era da informação, algo que se pode facilmente prevenir é vergonhosamente utilizado para criminosamente afetar negativamente a vida de outros.

Ainda estamos em Abril, e só este ano já existiu um surto de sarampo em NY. Neste surto, mais de 550 pessoas foram infetadas com sarampo. Uma pessoa, infetada, que estava em NY, viajou de avião para Michigan, e infetou 38 pessoas no Michigan. Só este ano (em 3 meses e meio), o CDC (Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças) já registou 626 casos de sarampo em 22 estados: esta é a mais alta taxa de infecção dos últimos 5 anos. 71 casos foram registados só na semana passada! No ano passado (2018) existiram 17 surtos só nos EUA. Na Europa, no primeiro semestre do ano passado, existiram mais de 41.000 casos de pacientes com sarampo. Em Portugal, em Novembro e Dezembro de 2018, foram registados 3 surtos de sarampo que infectaram 40 pessoas, em Oeiras, Cascais e na Madeira. Em 2017, existiram 14 países europeus com surtos de sarampo – incluindo com mortes, como por exemplo em Portugal.

A causa não é muito difícil de perceber: os surtos normalmente começam ou se concentram em comunidades onde a “moda” é não vacinar as crianças.

O movimento anti-vacinação aproveita-se, hipocritamente, do elevado sucesso das vacinas.
O movimento anti-vacinação é extremamente perigoso!

As vacinas salvam vidas!
Optar por não vacinar os filhos é condenável moralmente e devia ser condenável criminalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.