Marinho Lopes

Licenciado em Engenharia Física (2008) e mestre em Física (2010) pela Universidade de Aveiro. Doutorado em Física (2014) pelas Universidades do Minho, Aveiro e Porto (MAP-fis). Em 2015 tornei-me investigador de pós-doutoramento na universidade de Exeter (Reino Unido), onde tenho estudado modelos matemáticos de epilepsia. Vejo-me como um teórico com um forte interesse em aplicações. Sinto-me naturalmente fascinado pela “irrazoável eficácia da matemática” para descrever o mundo que nos rodeia, e por isso gosto de explorar a interface entre a matemática, a física e a biologia, em particular as neurociências. Porquê as neurociências? Porque não consigo imaginar nada mais interessante que a mente humana. Estamos apenas a começar a compreender a forma como o cérebro funciona, e é emocionante poder fazer parte desta epopeia científica. O impacto desta investigação irá mudar o mundo! Também me interesso por cosmologia, filosofia e literatura.

Artigos mais comentados

  1. Ciência versus Religião — 32 comentários
  2. Teoria das Cordas — 30 comentários
  3. Buracos Negros — 28 comentários
  4. O Estado do Tempo — 22 comentários
  5. Mal-entendidos sobre Ciência e Religião — 15 comentários

Author's posts

A beleza abstracta – Parte II

Neste artigo apresento-vos os cinco mais belos teoremas da Matemática de acordo com a votação organizada pela Mathematical Intelligencer. Na primeira parte já vos falei da soma infinita dos inversos dos quadrados dos números naturais (5º lugar); dos sólidos platónicos (4º lugar); e da demonstração de que existem infinitos números primos (3º lugar).

Continue reading

A beleza abstracta – Parte I

Qual a origem da beleza? Ou melhor, qual a origem do enlevo que sentimos quando percepcionamos algo que definimos como belo? A simetria, a coerência e a simplicidade são alguns dos elementos que parecem compor a harmonia daquilo que genericamente sentimos ser belo. Somos atraídos pela beleza sem que a razão pareça ter um argumento …

Continue reading

Negligência Paradoxal

Nem tudo o que parece é. Não obstante a existência de paradoxos, é por norma boa prática assumir que uma contradição merece escrutínio. Neste artigo vou abordar uma aparente contradição que por vezes emerge quando analisamos dados de forma categorizada e de forma conjunta. Este tipo de contradição é conhecida como Paradoxo de Simpson, em …

Continue reading

Apresentação do livro “Para Além dos Ombros de Gigantes” – Porto

No dia 28 de Julho às 18h00, no Ateneu Comercial do Porto, irei fazer uma nova apresentação do meu livro “Para Além dos Ombros de Gigantes”. Para quem não teve oportunidade de comparecer às apresentações em Lisboa, Aveiro, Coimbra e Leiria, esta é a vossa chance! O Ateneu Comercial do Porto fica na Rua Passos Manuel, …

Continue reading

“A alma está morta”

Friedrich Nietzsche escreveu “Deus está morto”, um aforismo iluminista que anunciava que Deus não tinha de existir para dar sentido à nossa existência. De facto, o Iluminismo trouxe uma nova Filosofia baseada no poder demonstrado pela Ciência em explicar a natureza. Ilustrativo disso mesmo, Napoleão terá questionado Pierre-Simon Laplace sobre o facto deste ter escrito …

Continue reading

Contas impossíveis

Neste artigo vou abordar algumas curiosidades matemáticas que envolvem cálculos onde a nossa intuição não parece ser suficiente para alcançarmos a solução. Por outras palavras, vou apresentar e justificar várias “contas” que muitas vezes são encaradas como sendo meras convenções (ou, quiçá, como caprichos dos matemáticos).

Continue reading

Outra vez 1?!

Já reparou que o algarismo 1 parece apresentar-se como primeiro dígito mais vezes que todos os outros algarismos? Isto é, quando se depara com um dado número qualquer, parece que o 1 tem uma maior probabilidade de aparecer na primeira “posição” do lado esquerdo do número. Por exemplo, o 1 é o primeiro dígito dos …

Continue reading

Medir o Mundo – Parte IV

Na terceira parte falei de electrostática e da medição de carga eléctrica. Passo agora à carga em movimento, isto é, corrente eléctrica. Irei também falar de medir tensões eléctricas e campos magnéticos. Compreender e medir o electromagnetismo esteve na base de uma das maiores revoluções civilizacionais que a humanidade protagonizou.

Continue reading

Medir o Mundo – Parte III

  Já sabemos como medir distâncias, tempos, massas, velocidades, pressões e temperaturas. Faço notar que a partir destas podem inferir como medir muitas outras, as quais, por isso, não irei detalhar (áreas, volumes, frequências, acelerações, forças, etc.). Nesta terceira parte vou-me focar apenas na medição de cargas eléctricas. Começo, porém, por dar uma breve introdução …

Continue reading

Apresentações do livro em Lisboa, Aveiro, Coimbra e Leiria

O livro “Para Além dos Ombros de Gigantes” de Marinho Lopes* e prefácio de Carlos Fiolhais irá ser apresentado nas seguintes datas e locais: Sexta-feira, dia 2 de Março, às 20h30, na Fábrica Braço de Prata em Lisboa. Apresentação pelo Prof. Rui Agostinho. Evento no facebook.   Sábado, dia 3 de Março, às 11h00, no …

Continue reading

Load more