Google+

Arquivo por Categoria: Nebulosas

Posts com nebulosas.

Mar 21

A Estrela Mais Brilhante da Espada de Orionte “Bate Como um Coração”

Num destes dias, no início da noite, olhe com atenção para a figura imponente da constelação de Orionte. Por debaixo das “Três Marias”, as três estrelas que formam o cinturão de Orionte, poderá ver um pequeno grupo de três estrelas menos brilhantes, na vertical, que marcam a espada do gigante mitológico. A “estrela” central deste …

Continue a ler »

Mar 17

Nebulosa do Cone

O Telescópio Espacial Hubble fez esta imagem da Nebulosa do Cone, que se encontra a cerca de 2.500 anos-luz de distância. O cone tem um comprimento de 7 anos-luz. O topo do cone tem um diâmetro de 2,5 anos-luz: um pouco mais de metade da distância entre o Sol e Proxima Centauri. Estrelas estão-se a …

Continue a ler »

Mar 17

No Coração de Orion

No coração da Nebulosa de Orion existe o jovem aglomerado estelar do Trapézio, com “apenas” 3 milhões de anos de idade. No seu centro existem 4 estrelas dominantes: estrelas quentes e maciças. As estrelas emitem radiação ultravioleta ionizante que faz brilhar toda a região. A estrela principal, mais brilhante, chama-se Theta-1 Orionis C. No centro …

Continue a ler »

Mar 16

A Nebulosa da Tarântula: deslumbre e violência cósmica

No seu 6º trabalho, o grupo iTelescope-Portugal decidiu explorar uma teia. Também conhecida como 30 Doradus ou NGC 2070, a Nebulosa da Tarântula, assim chamada por se assemelhar a uma teia gigante, é uma região HII com cerca de 1.000 anos-luz de comprimento, localizada na Grande Nuvem de Magalhães, uma pequena galáxia satélite da Via …

Continue a ler »

Mar 15

Iota Orionis é como um coração pulsante na Constelação de Orion

Uma equipa de astrônomos do projeto de constelações BRITE (BRight Target Explorer) e do Observatório Ritter descobriu um aumento cíclico de 1% na emissão de radiação por uma estrela muito massiva do sistema Iota Orionis que poderá mudar o nosso entendimento sobre essa classe de estrelas. O sistema binário Iota Orionis é facilmente visível a …

Continue a ler »

Mar 09

A Nebulosa do Caranguejo

A Nebulosa do Caranguejo (também catalogada como M1 ou Taurus A) é um remanescente de supernova que no seu interior alberga um pulsar. O objeto localiza-se na constelação de Touro, dista cerca de 6.500 anos-luz da Terra e tem um diâmetro de 11 anos-luz que se expande a uma taxa aproximada de 1.500 km/s. A …

Continue a ler »

Fev 17

IC 4628: a Nebulosa do Camarão

A sul da estrela Antares, encontra-se a nebulosa de emissão IC 4628 (também chamada Gum 56 ou Nebulosa do Camarão), que se encontra a cerca de 6.000 anos-luz de distância da Terra. A nebulosa brilha devido à luz ultravioleta de jovens estrelas maciças. A cor vermelha deve-se à emissão energética do gás hidrogénio. Fonte: APOD

Fev 17

Orion e os nomes oficiais das estrelas

Em 2016, a União Astronómica Internacional aprovou nomes oficiais para 227 estrelas brilhantes, incluindo as famosas estrelas Sirius, Polaris, e Betelgeuse. Na imagem vemos a constelação de Orion, com os nomes oficiais das estrelas. Na imagem também se vê a Nebulosa de Orion, que se encontra a 1.500 anos-luz de distância da Terra. Fontes: APOD, …

Continue a ler »

Fev 17

Gaivota e Sirius

Na esquerda da imagem vemos a Nebulosa da Gaivota, composta pela nebulosa de emissão NGC 2327 (a cabeça da gaivota) e pela mais difusa IC 2177 (asas e corpo da gaivota), que se encontra a cerca de 3.800 anos-luz de distância da Terra. Na direita da imagem vemos a luz azulada da estrela Sirius, a …

Continue a ler »

Fev 17

Tulipa e Cygnus X-1

Na imagem vemos a Nebulosa da Tulipa (também chamada Sh2-101), que se encontra a cerca de 8.000 anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação do Cisne. A nebulosa brilha devido à radiação ultravioleta de jovens estrelas bastante energéticas, incluindo a estrela supergigante HDE 227018 que se encontra no centro da nebulosa. Também na …

Continue a ler »

Artigos mais antigos «

Ir buscar mais items

AstroPT – Informação e Educação Científica is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache