Google+

Arquivo por Categoria: Orion

Posts sobre a Nebulosa de Orion.

Fev 17

Orion e os nomes oficiais das estrelas

Em 2016, a União Astronómica Internacional aprovou nomes oficiais para 227 estrelas brilhantes, incluindo as famosas estrelas Sirius, Polaris, e Betelgeuse. Na imagem vemos a constelação de Orion, com os nomes oficiais das estrelas. Na imagem também se vê a Nebulosa de Orion, que se encontra a 1.500 anos-luz de distância da Terra. Fontes: APOD, …

Continue a ler »

Jan 24

M78

Na enorme Nuvem Molecular de Orion, existem várias nebulosas azuis brilhantes. Nesta imagem estão duas das mais proeminentes nebulosas de reflexão: nuvens de poeira que brilham devido à luz refletida de estrelas que por lá se encontram. A mais famosa destas nebulosas é a M78, no centro da imagem. À esquerda está a menos conhecida …

Continue a ler »

Out 21

A Nebulosa de Orionte no Infravermelho pelo Telescópio Herschel

Na direcção da constelação de Orionte, a uma distância entre os 1000 e 1500 anos-luz, existe uma concentração anormal de grandes nuvens de gás e de poeira interestelar. Estas nuvens são tão frias que, na superfície dos grãos de poeira, se formam hidrogénio molecular, monóxido de carbono, água, entre outras moléculas mais complexas, percursoras mesmo …

Continue a ler »

Set 07

A nebulosa Cabeça de Cavalo

A Nebulosa Cabeça de Cavalo (também conhecida como Barnard 33) é um objeto bastante apreciado devido à sua forma fazer lembrar uma cabeça de cavalo. Encontra-se à distância aproximada de 1.500 anos-luz e faz parte da Nuvem de Orion, uma grande nuvem de gás e de poeira onde ocorre formação de estrelas e que engloba …

Continue a ler »

Ago 16

Fronteira turbulenta

Estas imagens mostram o limite da vasta nuvem molecular que se situa por trás da Nebulosa de Orion, a 1400 anos-luz de distância da Terra. A imagem da esquerda mostra uma vista de grande angular da região, obtida pelo instrumento HAWK-I, instalado no Very Large Telescope do ESO. Nesta imagem encontra-se destacada com um rectângulo …

Continue a ler »

Jul 26

A nebulosa de Orion (M42); MASERs, Bremsstralung e sincrotrão

  A Nebulosa em Orion (M42) é muito apreciada pelos astrónomos. Pode ser vista sem ajuda de equipamentos como uma pequena mancha difusa na direção da constelação de Orion. Encontra-se entre 1500 e 1800 anos-luz do Sistema Solar e é um exemplo de formação estelar, onde a poeira interestelar forma estrelas à medida que se …

Continue a ler »

Jul 13

A imagem mais profunda de sempre de Orion

Imagens infravermelhas do VLT revelam quantidade inesperada de objetos de pequena massa. O instrumento infravermelho HAWK-I do ESO montado no Very Large Telescope (VLT), no Chile, foi utilizado para sondar as profundezas do coração da Nebulosa de Orion. A imagem obtida revela cerca de dez vezes mais anãs castanhas/marrons e objetos de massa planetária isolados …

Continue a ler »

Mai 26

LL Orionis: quando ventos cósmicos entram em colisão

O que criou essa curiosa estrutura no espaço? Essa graciosa estrutura encurvada consiste em um arco de choque com diâmetro de cerca de um ano luz. Esse objeto foi criado pela colisão do vento estelar da jovem estrela LL Orionis com o fluxo de gás da Nebulosa de Orion. À deriva no berçário estelar de Orion e ainda nos seus …

Continue a ler »

Mai 23

M42: a Grande Nebulosa de Orion

A Grande Nebulosa em Orion é um lugar colorido. Visível sem ajuda de equipamentos em noite escura, ela aparece como uma pequena mancha difusa na direção da constelação de Orion. No entanto, imagens de longa exposição e múltiplos comprimentos de onda como essa mostram que a Nebulosa de Orion é uma ativa vizinhança cósmica de jovens estrelas quentes, gás aquecido …

Continue a ler »

Abr 18

Orion em Vermelho e Azul por David Lindemann

Como é que Orion se tornou tão deslumbrante? Essa colorida renderização de uma parte da constelação de Orion é oriunda da luz avermelhada emitida pelo hidrogênio e enxofre (SII) e a emissão azul esverdeada vem do oxigênio (OIII). Os tons coloridos na imagem em destaque foram digitalmente associados para se tornar indicativos da presença das origens dos elementos, mas também para causar …

Continue a ler »

Artigos mais antigos «

Ir buscar mais items

AstroPT – Informação e Educação Científica is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache