Tag: ESO

Dez 14

Maternidade estelar que salta à vista

A câmara OmegaCAM montada no Telescópio de Rastreio do VLT do ESO capturou esta imagem resplandescente da maternidade estelar Sharpless 29. Podemos ver muitos fenómenos astronómicos na imagem, incluindo poeira cósmica e nuvens de gás que refletem, absorvem e re-emitem a luz de estrelas quentes jovens situadas no seio da nebulosa. A região do céu …

Continue a ler »

Dez 11

Superlua em La Silla

Esta imagem captura o momento em que uma superlua parece descansar sobre o topo das montanhas chilenas, a 4,5 km de distância do cume de La Silla. Apesar de não ser muito interessante em termos científicos, durante este evento relativamente raro, a Lua está um pouco mais perto da Terra, fazendo com que o seu …

Continue a ler »

Dez 06

Chegou o caçador de exoplanetas da próxima geração

O ESPRESSO (Echelle SPectrogaph for Rocky Exoplanet and Stable Spectroscopic Observations ou espectrógrafo echelle para observações de planetas rochosos e espectroscopia de alta estabilidade), instalado no VLT do Observatório Europeu do Sul (ESO), já teve “primeira luz” . O coudé train do ESPRESSO, uma das componentes chave do instrumento, foi construído em Portugal pelo Instituto …

Continue a ler »

Dez 04

O SPHERE do VLT observa mundos rochosos

Estas imagens foram obtidas pelo instrumento SPHERE (Spectro-Polarimetric High-contrast Exoplanet REsearch) do ESO, instalado no Very Large Telescope (VLT), no Observatório do Paranal, no Chile. Estas imagens extremamente detalhadas revelam 4 dos milhões de corpos rochosos que compõem a cintura de asteróides principal, um anel de asteróides entre Marte e Júpiter que separa os planetas …

Continue a ler »

Nov 30

O instrumento MUSE completa o mais profundo rastreio espectroscópico executado até à data

Dez artigos científicos exploram as profundezas por mapear do Campo Ultra Profundo. Com o auxílio do instrumento MUSE montado no Very Large Telescope do ESO no Chile, os astrónomos levaram a cabo o rastreio espectroscópico mais profundo realizado até à data. Os investigadores focaram-se no Campo Ultra Profundo do Hubble, medindo distâncias e propriedades de …

Continue a ler »

Nov 28

Por que é que os astrónomos usam o ALMA? Porque o ALMA observa através das Nuvens Interestelares Frias.

O Universo não é espaço vazio — está cheio de poeira! Algumas regiões são, de facto, muito, muito poeirentas. Novas estrelas bebés, por exemplo, encontram-se rodeadas por um disco de poeira que alimenta de matéria a jovem estrela, fazendo-a crescer. Esta fase vital da vida de uma estrela jovem deve ser bem estudada de modo …

Continue a ler »

Nov 28

O planetário e o pilar solar

Um céu limpo, um belo pôr do Sol e as curvas futuristas de um planetário e centro de visitantes de vanguarda — que mais se pode pedir de uma Fotografia da Semana do ESO? Esta imagem, no entanto, tem ainda algo mais para nos oferecer: um pilar solar. Esta coluna de luz de brilho suave …

Continue a ler »

Nov 21

Observações do ESO mostram que o primeiro asteróide interestelar não é como nenhum objeto observado até à data

VLT revela objeto escuro, vermelho e extremamente alongado. Os astrónomos estudaram pela primeira vez um asteróide que entrou no Sistema Solar vindo do espaço interestelar. Observações feitas com o Very Large Telescope do ESO no Chile e noutros observatórios do mundo, mostram que este objeto único viajava no espaço há milhões de anos antes do …

Continue a ler »

Nov 20

MUSE observa estrutura gigante a acretar matéria em torno de um quasar

Esta Fotografia da Semana mostra uma enorme nuvem de gás em torno do quasar longínquo SDSS J102009.99+104002.7, obtida pelo instrumento MUSE (Multi Unit Spectroscopic Explorer) montado no Very Large Telescope do ESO (VLT) no Observatório do Paranal. Os quasares são centros luminosos de galáxias ativas, que se mantêm em atividade devido ao material que cai …

Continue a ler »

Nov 15

Exoplaneta temperado descoberto à volta de estrela próxima do Sol

A apenas 11 anos-luz de distância, o exoplaneta Ross 128 b tem o tamanho da Terra e orbita uma estrela anã vermelha pouco ativa, sendo o segundo planeta temperado mais próximo de nós. Este exoplaneta foi detetado com o espectrógrafo HARPS (ESO) por uma equipa que inclui o astrofísico do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço …

Continue a ler »

Load more