Luz é gerada a partir do nada

“(…) Um exemplo típico da estranheza do mundo quântico é o vácuo: faça um vácuo perfeito, eliminando tudo de um determinado espaço, até a última molécula e o que você terá? Nada? Não exatamente: você terá o vácuo quântico. (…)
Ora, se o vácuo quântico é uma sopa na qual pululam partículas virtuais, deve ser possível detectar ou mesmo capturar essas partículas. (…)
(…) O vácuo quântico é o tecido do próprio Universo e sempre houve curiosidade dos cientistas em saber se seria possível extrair energia dele. (…)
Pela primeira vez, uma equipe de físicos afirma ter conseguido gerar coisas desse “nada” quântico. Mais especificamente, eles fizeram com que vácuo quântico gerasse fótons reais. Ainda mais claramente, tentando trazer isso para o senso comum, eles emitiram luz do nada.
Será necessário esperar que outros grupos refaçam o experimento; mas, se confirmado, esta certamente se transformará em uma das experiências científicas mais bizarras e famosas da história, e uma importante prova prática da validade da mecânica quântica. (…)”

Leiam o artigo completo no Inovação Tecnológica, e o artigo científico.

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Ora ai está, a nova vaga de alquimistas! Fiat Lux! Flaaashhh! Ohhh, Ohhh, it’s a miracle!
    Eu não pápo espaço-tempo e propagação de ondas em vazio. Para algo interagir na presença de uma massa e para uma onda se propagar tem de existir algo! Algo para envolver a $€massa€$ e algo para propagar a onda (Desinformação)!
    Se não temos tecnologia para o detectar ou não é conveniente anunciá-lo, isso é outra história!

  2. A ciência está cada vez mais estranha.

    Chegará o dia em que já não saberemos mais o que possa diferenciá-la da pura fantasia, a não ser o fato que a fantasia foi criada por alguém.

    1. A verdade é mais estranha que a ficção… 😉

        • Cristiano on 13/06/2011 at 09:02

        Concordo! 😀

  3. A energia deve ter sido fornecida pelo aparelho que utilizaram, o “SQUID”. Pelo menos é o que diz aqui:
    http://www.physorg.com/news/2011-06-researchers-create-light-from-almost.html

    • António Castanheira on 12/06/2011 at 22:52
    • Responder

    Pois, isto é tudo muito bonito mas já estou como o Luís Lopes:

    Se fosse possível criar luz a partir do nada poderíamos dizer adeus ao princípio de Lavoisier e teríamos de reescrever quase toda a Física e quase toda a Ciência….mas é sempre necessário estar atento a novas hipóteses, aguardemos desenvolvimentos.

    1. “e quase toda a Ciência”
      O_o

  4. Muito interessante.

    Estou no entanto confuso com uma coisa. O vácuo quântico está realmente repleto de partículas virtuais (o referido efeito de Casimir é uma das demonstrações claras dos efeitos deste mundo virtual, um outro igualmente espectacular é o efeito de Lamb). No entanto, estas partículas não são reais, correspondem a violações **temporárias** da conservação de energia, permitidas pelo princípio de Heisenberg. Para tornar estar partículas virtuais (que ocorrem em pares partícula/antipartícula, no caso o fotão é a antipartícula dele próprio), é necessário excitar o vácuo fornecendo-lhe energia. É isso que acontece nos aceleradores de partículas.

    Se os meus pressupostos estão correctos, fico aqui a pensar o que é usado nesta experiência para fornecer essa energia ao vácuo. A simples observação dos fotões virtuais corresponderia a uma violação permanente da conservação da energia e não percebo como isso é permitido. O vácuo terá de estar a receber energia de alguma forma para compensar a observação dos fotões.

    Alguém me sabe corrigir e/ou esclarecer ?

    Ab.

    Luis

  5. Holy sh…
    Isto é potencialmente a base do que os ZPM(Zero Point Module, Stargate) são feitos… :O

  6. Muito giro… mas o que realmente interessa saber é quando vão construir um ZPM 😛
    http://stargate-sg1-solutions.com/wiki/Zero_Point_Module_%28ZPM%29

    E pensar que tudo começou quando o Casimir andava a estudar o movimento de fluídos como a maionese 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.