Os 600 “mistérios” do telescópio Fermi

A equipa do telescópio espacial Fermi (NASA) divulgou o segundo catálogo de fontes de raios gama que foram detetadas pelos satélites LAT (Large Area Telescope). Das 1873 fontes detetadas, cerca de 600 são completamente desconhecidas. A sua origem é desconhecida.

“O Fermi deteta raios gama que surgem de todas as direções no céu onde, à primeira vista não parecem existir objetos capazes de produzir esta radiação”, afirma David Thompson, cientista do projeto Fermi. Os raios gama estão ligados a alguns dos fenómenos mais violentos e energéticos do Universo, são produzidos em buracos negros ou em explosões de estrelas de grande massa. São de tal forma energéticos que a deteção feita através de telescópios óticos não funciona, o que complica a tarefa de identificar as fontes que produzem esta radiação.

Dois terços das fontes deste novo catálogo foram identificadas como estando próximas de objetos já conhecidos como emissores de raios gama, como pulsares ou blazares mas, para as restantes fontes não foi, até agora, possível encontrar uma origem. “Algumas destas misteriosas fontes poderão ser nuvens de matéria escura – algo nunca antes detetado”, especula David Thompson. Cerca de 85% de toda a matéria do Universo é matéria escura, matéria que sabemos que existe, pois vemos os efeitos que exerce sobre a restante, mas não se conhece ainda a sua natureza, pois a matéria escura não emite nem difunde luz. Os astrónomos não conseguem detetar matéria escura diretamente usando telescópios óticos ou radiotelescópios, mas talvez seja possível que a matéria escura esteja ligada a eventos relacionados com raios gama.

Mais informações disponíveis na astronotícia do CAUP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.