Legendagem em português – Movimentos da Terra

Como sabem, o AstroPT está a desenvolver diversas funcionalidades de modo a melhorar o produto que fornecemos a todos os nossos visitantes. De futuro, iremos fazer encontros, realizar palestras, vender produtos astronómicos, criar uma nova plataforma online com chats, multimedia, hangouts, etc, etc, etc. Vamos ter várias excelentes surpresas para os nossos visitantes nos próximos tempos.
Como já sabem, transformamos a nossa página de Facebook, e vamos dar livros de astronomia.
Agora, venho-vos dar conhecimento de outro projecto:

Iremos traduzir e colocar online no astroPT os fantásticos vídeos do Projecto Cassiopeia. A tradução ficará a cargo da tradutora profissional Sandra Monteiro, que fará também a legendagem dos vídeos em português.

Para perceberem a excelência dos vídeos e a óptima tradução e legendagem, deixo-vos desde já um vídeo como exemplo daquilo que pretendemos fazer em muitos mais vídeos. Vejam se gostam:

Este é um vídeo que explica alguns Movimentos da Terra, nomeadamente a translação (órbita de 1 ano), ano sideral, ano trópico, ano sinódico, dia, solstício, equinócio, precessão, estações, ciclo de inclinação, ciclo de inclinação da órbita, etc.

16 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. De acordo com a NASA: http://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/questions/question18.html

    O Sol encontra-se a cerca de 28.000 a.l. do centro da Galáxia e move-se em torno desse centro à velocidade de 828.000 km/h

    Ora eu estive aqui a fazer umas contas e ficamos com estes dados:

    Se efetuar uma translação em torno do centro da Galáxia mantendo-se sempre a esta distância do centro, então percorre uma distância de 175840 anos luz (2.PI.28000 a.l. = 175840 al) ou seja 175840 X 9,467×10^12 km = 1,6646×10^18km (qualquer coisa como 1.664.600.000.000.000.000km).

    Como todo o Sistema Solar se desloca em torno da Galáxia à velocidade de 828.000 km/h, leva uns fantásticos 229 Milhões de anos a dar uma voltinha… (1,6646×10^17km / 8,28×10^5km/h = 2.010.386.473.429 horas = 83.766.103.059 dias = 229.339.000 anos).

  2. Gostei bastante do video… e da legendagem.

    Já agora, tenho uma dúvida…

    Qual é a velocidade do movimento do sistema solar á volta do centro da nossa galáxia?

    De acordo com este link: http://en.wikipedia.org/wiki/Galactic_year a velocidade será de ” According to NASA, the Solar System is traveling at an average speed of 828,000 km/h (230 km/s) …”

    Link do GSFC: http://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/questions/question18.html

    Encontrei um video “meio-científico” mas que tem uma bonita animação em computador, e que indica que o movimento do sol é de apenas 70 000 Km/h:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0jHsq36_NTU

    Gostava de saber onde encontrar online uma animação igual ou semelhante mas com dados mais exactos.

  3. Os erros foram corrigidos na legendagem 🙂

    • Manel Rosa Martins on 14/11/2012 at 01:41
    • Responder

    O Projecto Cassiopeia que autorizou a Tradução e Legendagem é muito claro num ponto importante: este projecto de divulgação das Ciências não pretende substituir aulas, nem leitura de livros escolares ou outros de Física, é um Projecto de Divulgação de Ciências para não especialistas e é nesse Ethos que as soluções que são mais claras subjugam os outros critérios em caso de 2 ou mais soluções de tradução correctas.

    • Manel Rosa Martins on 14/11/2012 at 01:36
    • Responder

    Momento em Português também está correcto. No meio da legendagem e da frase poderia dar confusão e momentum não causa qualquer confusão. Em caso de 2 soluções correctas usa-se o critério da linguística que é sua regra de ouro: usa-se a solução que não causa confusão.

    Porque a opção correcta de “momento” poderia induzir as pessoas que a lêem e não sabem de Física em erro.

    Usar Momentum é usar uma palavra que está no Dicionário de Língua Portuguesa.

  4. Momentum (p vetorial) recapituladamente, é um termo da Física que se refere ao produto da massa de uma partícula e seu vetor-velocidade, quando tratar-se de quantidade de movimento linear e, tratando-se de quantidade de movimento angular (L vetorial), é o produto vetorial do vetor posição r pelo momentum linear.

    Momento, como o Manel a bem se referiu, é alusão para “tempo”. Ora, percebemos, cavalheiros, que existe um pequeno equívoco entre momentum e momento. São opostos. Infelizmente, existe tal erro crasso nos livros de Física e nos dicionários. Deve-se manter a expressão em latim momentum para os dois casos da Física, separando-as expressão momento. Momentum acaba por ser um falso cognato de momento.

  5. Estranho usarem momentum angular. Não encontro isso em qualquer livro de Física de língua portuguesa (de Portugal). O que não invalida claro que seja correcto. Mas dá-me comichão usarem termos assim. Deve ser coisa de físicos do “momentum”. 🙂

  6. Não vi o vídeo todo mas se se referem ao momento angular, o termo correcto em Português é momento angular e não momentum angular. Idem para momento linear. Esses eram os termos que sempre vi na física do secundário e faculdade.

    Nos livros em Inglês usa-se momentum. Nos antigos livros de física em Português (leia-se muito muito antigos tipo séc XIX ou princípio do séc. XX 🙂 ) suponho que a palavra momentum seria a usada por ser mais próxima do latim.

    • Manel Rosa Martins on 13/11/2012 at 17:33
    • Responder

    Nota: ali não é momentum angular, é momentum linear, que estabelece a relação entre 2 corpos, que tb pode ser estabelecida pela Energia. Momentum angular é uma propriedade intrínseca das partículas sub-atómicas, aka Spin.

    • Manel Rosa Martins on 13/11/2012 at 17:30
    • Responder

    Olá Jorge, tens razão na Eclíptica e já está a ser corrigido, tinha tb notado bem como uma Senhora Professora que alertou o Carlos.

    Momentum existe em Português, e deve ser usado para nunca se confundir com momento, no sentido de instante, como a legendagem tem limite de espaço draconiano é a solução cientificamente e linguisticamente correcta.

    Um abraço,

  7. Mau exemplo que dei… a wikipedia não pode estar certa em dizer “momentum angular”. Se queremos ser coerentes, temos de usar sempre a mesma língua. É como falar ‘portunhol’. “Hola a astronomia es fixe”. (Hola, es são palavras espanholas).
    É como no caso muito usado na taxonomia em abusar-se de ordem Lepidoptera, quando o correcto seria dizermos Ordo Lepidoptera. Concedo que é talvez pormenor que não interessa muito, mas se queremos ser coerentes e correctos no uso; e existem os termos consagrados a tal há que usá-los. Claro que nem tudo é perfeito.
    E nos livros de Física não vi até hoje momentum angular usado – mas acredito que apareça tal nos livros brasileiros.

  8. Andei a ver nos livros de Física e na wikipedia:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Angular_momentum – em inglês é angular momentum.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Momento_angular – em português é momento angular. Eu entendo que seja referente a MOMENTO ANGULAR.

    Agora quero ver a opinião do Manuel ROSAS para dar o tiro final.

  9. Correcto: é eclíptica 🙂

    Incorrecto: é momentum 🙂

  10. Evangelina:

    Tanto quanto me é dado a ver o termo “elítica” não existe. A grafia “eclíptica” é válida tanto em Portugal como no Brasil. E tanto no novo acordo ortográfico (e, a meu ver, desastroso a todos os níveis) como no antigo acordo (a meu ver o que deve ser usado, já que até hoje não vi uma única pessoa, uma instituição a ser coerente a 100% no uso do novo (des)acordo).

    O eixo de inclinação da Terra aponta para um ponto da galáxia que é mais ou menos fixo. Varia sim a sua orientação relativa em relação ao Sol. http://www.enchantedlearning.com/egifs/Earthseasons.GIF Vendo essa imagem é notório que o eixo de rotação está fixo em relação a um ponto bem longíquo desse sistema Terra-Sol, mas se reparar a orientação relativa em RELAÇÃO AO SOL muda com o tempo. No solsticio de Verão (que dever-se-ia chamar de solstício de Junho já que no Hemisfério Sul temos Inverno nesse mês) vemos que o eixo de rotação do lado Norte da Terra parece estar mais “próximo” do Sol, e que no solstício de Inverno (que dever-se-ia chamar de solstício de Dezembro já que no Hemisfério Sul temos Verão nesse mês) o eixo de rotação do lado Norte parece mais afastado do Sol, mas como pode ver a inclinação do eixo de rotação é a mesma em relação ao plano da órbita da Terra. Notar que o ângulo de 23,5º que aí é mostrado mostra dois vectores: um que é o relativo ao eixo de rotação da Terra (está a vermelho) e o outro (a cinzento) refere-se ao vector normal (ou seja PERPENDICULAR) ao plano da órbita da Terra – o Ângulo entre esses dois vectores é o chamado ângulo de inclinação do eixo de rotação da Terra – que, para complicar mais as coisas, vai variando de ângulo num espaço de tempo muito considerável (na prática, para o tempo de vida humana isso é praticamente fixo).
    Já agora o Sol e Terra não estão à escala… se estivessem a Terra quase que não se veria. (e seria necessário ter cuidado com a distância Sol-Terra).

    • Jorge Almeida on 12/11/2012 at 23:01
    • Responder

    Aos 8:25 o termo “momentum” deve ser rectificado para “momento”.

    No vídeo, foi pena não terem abordado a teoria do caos associado à dinâmica planetária.

    Já agora, a Terra com o Sistema Solar tem movimento ondulatório (e, claro vão fazendo as suas voltas em torno do “centro” da Via Láctea – o centro é na verdade o baricentro do sistema em causa e não será bem, bem no centro, daí as aspas). Se bem me lembro estamos agora no Norte galáctico. A distância desde o plano MÉDIO do sistema solar ao plano da Galáxia não é bem conhecida com precisão, mas andará na casa de uma dúzia de anos-luz ou pouco menos. A Terra demora cerca de 230 milhões de anos a dar a volta em torno do baricentro da Via Láctea. Ou seja, grosso modo umas meras 19 voltas galácticas já foram dadas considerando que a Terra surgiu, grosso modo, há cerca de 4,5 mil milhões de anos. Sim, já andam por aí ignorantes a dar voltas sobre si próprios e a praguejar nomes por tamanhas (e supostas, para essas pessoas) “heresias” – “A Terra, não tem 6000 anos, seu ignorante?”. Bem, estas “heresias” são as que melhor se adequam e são mais aceites pela comunidade de astrónomos e pessoas críticas. Saiam um pouco fora e observem as montanhas….
    Bye.

  11. Acho uma ideia ótima.
    O filme está impecável, no entanto, fiquei com 2 dúvidas:
    – quando dizem elítica referem-se à eclítica, mas escrita de acordo com a nova ortografia?
    – solstícios definem-se por uma maior inclinação da Terra?
    Continuem.
    Obrigada
    Evangelina

  1. […] 1 – Vamos oferecer livros. 2 – Vamos traduzir os melhores vídeos, colocando legendagem em português. 3 – Já melhoramos a nossa página de Facebook. 4 – Pretendemos criar uma plataforma […]

Responder a Rui Costa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.