Dancem, macacos, dancem

wise monkeys

Dancem, macacos, dancem” é uma expressão que já entrou na cultura popular. A partir dessa expressão, Ernest Cline fez este vídeo com esta fantástica mensagem.

Temos a mania que somos importantes, que somos o topo da evolução no Universo, mas não passamos de macacos… ou quiçá somente ovelhas que seguem o mesmo rebanho de ideias pré-concebidas sobre nós próprios.

12 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Um dos textos mais sublimes e interessantes da REAL condição humana que li, destacando o tema evolução.

    “Darwin – O Homem que Matou Deus”

    http://super.abril.com.br/blogs/crash/darwin-o-homem-que-matou-deus/

  2. Lembrei desta frase, que considero relevante para o tema:
    “Os homens nunca usaram totalmente os poderes que possuem para promover o bem, porque esperam que algum poder externo faça o trabalho pelo qual são responsáveis”
    John Dewey

    1. Os homens são uma espécie que é consequencia de uma história de bilhões de anos de evolução, vivendo e sobrevivendo num ambiente difícil e inconstante.

      Nossas raízes incluem milhões de anos de ação do instinto de sobrevivência.

      As espécies que nos derivaram fizeram muita matança para comer e sobreviver, caçando ou se defendendo dos predadores e das espécies rivais por alimento, depois, das tribos e sociedades rivais. As espécies tiveram de sacrificar velhos e crianças durante os tempos de longas jornadas atrás de alimentos.

      Então esperar que tenhamos de ser “bonzinhos”, de uma hora para outra, é algo até surreal.

      Se chegamos até aqui foi porque fomos muito “malzinhos” em boa parte da nossa história evolutiva, seja por instinto ou por necessidade de sobrevivência de forma mais consciente.

      Não entendam que estou defendendo o lado negro da força, estou apenas dizendo que é surreal achar que devemos ser um exemplo de bondade para o universo, temos raízes naturais que nos impedem esse comportamento de forma generalizada. Essa é a realidade.

        • Betinho on 16/09/2013 at 16:42

        Cada qual com suas convicções e princípios…eu penso que o segredo da dita evolução é não agirmos como animais…ou seja, que os instintos básicos não nos dominem…entretanto sou obrigado a entender que nem todos compartilham dos meus pensamentos…e a vida segue…outra coisa…”Os homens são uma espécie”….discordo de vc…a espécie humana, que envolve tanto gênero feminino qto masculino, seria uma melhor forma de vc se expressar….

        Um abraço

        🙂

        • Jonas on 17/09/2013 at 00:27

        Quando falei em “homens”, usei a forma de me expressar comum no Brasil (não sei se você é brasileiro) que, em muitas situações, fala de homens não como gênero específico, mas como espécie humana, agregando ambos os gêneros. Veja o que diz o Michaelis em 1, 2 e 4, foram nesses sentidos que usei a expressão, não a 3.

        ho.mem
        s. m. 1. Ser humano em geral. 2. Indivíduo da espécie humana. 3. Ser humano do sexo masculino. 4. A humanidade.

        Aliás, meu comentário é mais um complemento ao seu (por isso ficou como resposta) do que um comentário à parte.

        Não existe segredo na evolução, ela funciona sempre do mesmo jeito para todas as espécies, é uma soma de dois fatores: mutação (mudança) do DNA e seleção natural.

        Pensar que há algo a mais que isso é livre-pensar, nada mais, pois não há prova nem evidência que o ser humano é diferente do resto.

        O ser humano não é mais especial, não tem missão sobrenatural alguma vinculada a ele, não evoluiu de um hominídeo para ser uma espécie única para levar ao bom mocismo moral e não está aqui para dar lições ao universo de bem ou de mal.

        O que você diz é apenas influência ideológica de fundo religioso (mesmo que você não seja), isso está permeado em todas as culturas desde o tempo das cavernas e vem desde lá, de geração em geração, logo, não é uma evidência, é uma mera crença que começou com a ignorância (falta de conhecimento) do tempo das cavernas.

        Como qualquer espécie, estamos aqui para multiplicar, comer e sobreviver, e muitos usarão de força para isso.

        A espécie sobreviveu às intempéries e à seleção natural porque aprendeu a viver de forma coletiva, criando regras e penalizando os “malzinhos”, isso sim é ser realista, mas penalizar os malzinhos não signfica que eles vão parar de nascer ou que o ser humano ficará imune a esse instinto de sobrevivência.

        A evolução não nos fez gerar de propósito (se um grande asteroide não tivesse caído há 60 milhões de anos, não estariamos aqui), não vai nos fazer uma espécie de “todos bonzinhos” por conta e nem existe isso com uma regra embutida nela.

        • Betinho on 17/09/2013 at 11:57

        Na boa Jonas, não vejo nada de especial no ser humano…vejo sim muitas falhas…mas nós humanos não podemos nos basear num pensamento simplista de que não podemos ajudar uns aos outros porque “está em nosso DNA” o erro, a violência e o egoísmo…Não creio que cometer alguma maldade contra humanos ou contra outra espécie sem razão fundamentada seja justificável por ser considerada como normal, visto que teoricamente estaria tal atitude presente na luta pela sobrevivência na vida de nossos ancestrais.

        Também considero pouco verdadeira a ideia de que ” estamos aqui para multiplicar, comer e sobreviver”…eu, pelo menos, penso que a vida é muita mais do que isso…e outras pessoas assim o fazem…longe de mim querer-me comparar a essas pessoas, mesmo porque careço de muito mais conhecimento e vivência, entretanto, muitas pessoas inteligentes, verdadeiros pensadores, acreditam que o sentido da vida vai além do individual, para eles a vida é preservar o coletivo. Cito Carl Sagan, por exemplo, que passou sua vida toda tentando incutir o pensamento científico na sociedade…felizmente em mim ele teve êxito…

        Só para facilitar sua compreensão exemplifico: em nossa evolução não estavam asas…nem por isso deixamos de voar…não sei se vc percebe, mas mudanças na sociedade começam ações individuais…é a partir dos atos individuais que se inicia uma revolução..eu já deixei de priorizar meus instintos básicos e comecei a pensar no coletivo há algum tempo….é muito fácil criticar a violência se vc mesmo não consegue se controlar e acaba agindo com violência….muitos falam em preservar a natureza e têm pavor do transporte público…

        Em relação à religião ou a crença em um deus ou deuses ou sei lá como alguém possa chamar algo assim, eu, particularmente, não defendo a existência ou não de algo assim ou de algum poder em religiões…creio que cada um sabe de si…não sou eu que pretendo mudar a crença dos outros…como não pretendo mudar a sua concepção de humanidade, meu caro Jonas…se vc realmente pensa que estamos aqui para multiplicar, comer e sobreviver vc tem seu ponto de vista..eu respeito..há sim alguma razão que vc deve basear em suas experiências vividas, porém, eu penso que podemos ir além disso…sem qualquer sentimento especial, de criação divina, ou algo nesse sentido…
        Somos sim os macacos pelados…mas podemos evoluir ainda mais…e falo em termos de humanidade e ciência…
        abraços

        • Jonas on 18/09/2013 at 16:49

        Meu caro, a palavra crença não está no meu dicionário, não é uma crença pessoal o que eu escrevi.

        O fato de que a vida é nascer, crescer, alimentar-se, reproduzir e morrer, num mundo natural que não temos controle, e o DNA evoluindo (mudando) durante esse processo no decorrer do tempo de uma espécie, é a única verdade inevitável sobre o propósito da própria vida, a única que temos evidência.

        Mas não é isso que nos limita, como espécie ou como seres individuais, a alcançarmos grandes níveis de conhecimento e consciência para agirmos bem, em prol de alguns ou de todos. Agora, quando algo não funciona, quando há diferenças, sentimentos negativos, ignorância, quando não há paz, isso faz parte, somos apenas mais uma espécie também com toda uma carga biológica e de influência do meio concernente ao “lado escuro” da vida.

        O link abaixo da SuperInteressante espelha uma realidade sobre a vida que não deixa de ser sublime.

      • Betinhofloripa on 19/09/2013 at 18:10
      • Responder

      Parece que não falamos da mesma coisa…eu falava de princípios e fundamentos da sociedade e não de biologia…Vejo que o seu ponto de vista tem algum fundamento sim. Qdo as coisas realmente apertam, como na Segunda Guerra Mundial, muitos não exitam em se beneficiar a sipróprios em detrimento dos mais fracos, tal como na biologia …no entanto, a história mostra que existem pessoas que pensam diferente…eu fico do lado dessas últimas…abraços

        • Betinhofloripa on 04/10/2013 at 12:17

        Só para completar minha linha de raciocínio…

        http://www.revistabula.com/971-operario-cruzou-bracos-diante-hitler/

  3. Um tapa na cara….para acordar…muito bom..abraços

  4. Muito realista…

  1. […] Comprimido Vermelho. Pense Diferente. Americana. Humildade vs. Arrogância. Calvin & Hobbes. Dancem, macacos, dancem. Olha para as […]

  2. […] « Dancem, macacos, dancem […]

Responder a Betinhofloripa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.