Google+

«

»

Dez 11

Novos Mapas Globais de 6 luas geladas de Saturno

Em 1980, a sonda Voyager 1 passou pelo sistema de Saturno. Em 1981, foi a vez da sua irmã-gémea conseguir tal feito. Ficamos com alguns mapas de algumas das luas mais importantes de Saturno.

Agora, quase 35 anos após as Voyager, a sonda Cassini, após 10 anos no sistema de Saturno, enviou-nos novos mapas globais das seis maiores luas geladas de Saturno (conhecidas antes da Era Espacial): Mimas, Encélado, Tétis, Dione, Reia e Iapetus. (em Titã não conseguimos ver a superfície)

Estes novos mapas foram produzidos por Paul Schenk, da equipa da Cassini e do LPI (Lunar and Planetary Institute).

Comparem as fotos e notem como progredimos na nossa visão:

Encélado, pela Voyager

Encélado, pela Voyager

Encélado, pela Cassini

Encélado, pela Cassini

Mimas, pela Voyager

Mimas, pela Voyager

Mimas, pela Cassini

Mimas, pela Cassini

Tétis, pela Voyager

Tétis, pela Voyager

Tétis, pela Cassini

Tétis, pela Cassini

Dione, pela Voyager

Dione, pela Voyager

Dione, pela Cassini

Dione, pela Cassini

Reia, pela Voyager

Reia, pela Voyager

Reia, pela Cassini

Reia, pela Cassini

Iapetus, pela Voyager

Iapetus, pela Voyager

Iapetus, pela Cassini

Iapetus, pela Cassini

Estes são os melhores mapas globais destas luas, até esta altura.
São também os primeiros mapas que mostram variações de brilho natural e cor.
No entanto, note-se que os mapas, além de luz visível, incluem comprimentos de onda no infravermelho e ultravioleta (para nos darem mais informação sobre as luas), por isso a visão humana não veria as luas desta forma.

Grande parte das luas tem coloração avermelhada nos hemisférios que estão voltados para Saturno, devido a serem afetados pela radiação da sua magnetosfera.
Já as cores mais suaves devem-se à superfície ficar coberta com poeira congelada vinda do Anel E de Saturno, cuja proveniência são pequenas partículas com origem nos geisers do polo sul de Encélado.
Enquanto isso, Encélado envia gás e poeira para o espaço, que retorna para a superfície, “pintando” esta lua de Saturno.

As cores amarela e magenta denotam diferenças na espessura dos depósitos das partículas lá depositadas.
O azul em Encélado deve-se às fraturas recentes na superfície, expondo algum gelo.

Leiam em inglês, aqui e aqui.

Saturn's_Rings_PIA03550

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
Foi Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>