Descoberto um novo asteroide quase-satélite da Terra

repres_trajetoria_asteroide_2016HO3_TerraRepresentação da trajetória do asteroide 2016 HO3 relativamente à Terra.
Crédito: NASA/JPL-Caltech.

Astrónomos da NASA identificaram um novo objeto co-orbital da Terra. Designado provisoriamente 2016 HO3, o pequeno asteroide parece seguir uma trajetória elíptica em redor do nosso planeta, contudo, como se mantém fora do domínio gravitacional da Terra, não é considerado um verdadeiro satélite terrestre.

“Uma vez que 2016 HO3 dá voltas em redor do nosso planeta sem nunca se aventurar para muito longe à medida que ambos orbitam o Sol, referimo-nos a este objeto como um quase-satélite da Terra”, disse Paul Chodas, responsável do Centro de Estudos dos Objetos Próximos da Terra da NASA. “Outro asteroide, [designado] 2003 YN107, seguiu um padrão orbital semelhante durante algum tempo, há aproximadamente 10 anos, mas afastou-se desde então da nossa vizinhança. Este novo asteroide está muito mais ‘agarrado’ a nós. Os nossos cálculos indicam que 2016 HO3 tem sido um quase-satélite estável da Terra há quase um século, e deverá continuar a seguir este padrão como companheiro da Terra por mais alguns séculos.”

 

De facto, 2016 HO3 é o melhor e mais estável exemplo até hoje conhecido de um quase-satélite da Terra. Com uma órbita com um período de 365,9 dias e uma excentricidade de 0,104, o pequeno asteroide executa uma espécie de dança orbital com o nosso planeta, acelerando ou abrandando a sua velocidade relativamente à Terra consoante se encontra ligeiramente mais próximo ou mais longe do Sol que o nosso planeta. A sua órbita encontra-se também ligeiramente inclinada, pelo que atravessa duas vezes por ano o plano orbital da Terra.

A trajetória de 2016 HO3 tende ainda a oscilar relativamente ao nosso planeta, ao longo de várias décadas. “De ano para ano, as voltas do asteroide em redor da Terra deslocam-se ligeiramente para a frente ou para trás”, acrescentou Chodas. “No entanto, quando esta oscilação é demasiado intensa, a gravidade da Terra é suficientemente forte para a reverter e segurar o asteroide de forma a que este nunca se afaste mais do que cerca 100 vezes a distância da Lua. O mesmo efeito impede o asteroide de se aproximar mais que cerca de 38 vezes a distância da Lua. Com efeito, este pequeno asteroide encontra-se preso numa pequena dança com a Terra.”

2016 HO3 foi descoberto pelo programa PanSTARRS no dia 27 de abril de 2016 e o seu diâmetro deverá situar-se entre os 40 e os 100 metros.

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Como posso manter-me melhor informado? Os sinais do céus me interessam, e muito há mais dev20 anos, mas agora mais do que nunca. Minha paixão vai muito além da astronomia, sou adepto da teoria da nova era sob novos céus. Parabéns pelo trabalho. Grato!.

    • Reinaldo da Silva on 20/06/2016 at 21:48
    • Responder

    Professor este objeto poderia ser classificado como um objeto troiano, assim de alguma forma semelhante ao de Júpiter?
    Uma vez que este objeto de alguma forma esta atrelado a Terra.

    1. Olá Reinaldo,

      Não. Os objetos troianos permanecem em posições estáveis nas proximidades de um dos pontos langrangianos L4 ou L5 (pontos localizados 60º à frente ou atrás do objeto de maiores dimensões). Embora seja um objeto co-orbital da Terra, este asteroide segue uma trajetória distinta, com um ponto de libração muito mais próximo do nosso planeta. O asteroide 2010 TK7 é, até agora, o único troiano conhecido do nosso planeta.

        • Reinaldo da Silva on 27/12/2016 at 22:59

        Professor, gostaria de perguntar ao senhor se algum destes objetos poderia ser considerado uma segunda lua terrestre.

      1. Como é dito no título: é uma quase-lua 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.