Rever a Teoria da Gravidade

galaxia girassol

Como já por diversas vezes fizemos aqui referência, a matéria negra e a energia negra, poderão ser “simples” “epiciclos”, quando o que será necessário é uma revisão/modificação da Teoria da Gravidade.
Hoje li mais um artigo sobre isto. Cliquem aqui, para lê-lo.

As frases mais significativas:
“A matéria escura pode não existir e os movimentos anômalos das estrelas nas galáxias poderiam dever-se a uma modificação na gravidade em escalas extragalácticas.”
“Somente 4% do universo é composto dos elementos que conhecemos. Mas as estrelas e os gases nas galáxias movem-se tão rapidamente que os astrônomos especulam que a gravidade desses corpos celestes não seria suficiente para mantê-los agrupados. Assim surgiu o conceito da matéria escura, um halo hipotético de um material desconhecido que seria responsável pela “gravidade faltante.” Até o momento, contudo, não há qualquer evidência direta de sua real existência, e mesmo uma explicação mais sólida a seu respeito continua sendo procurada.”
“Segundo o Dr. Zhao: É possível que uma quinta força, não-gravitacional, esteja controlando a matéria escura com uma ‘mão invisível’, deixando os mesmos rastros em todas as galáxias, independentemente de suas idades, formatos e tamanhos. Uma força assim poderia resolver um mistério ainda maior, conhecido como energia escura – outro conceito teórico, sem evidências diretas, elaborado para explicar a aceleração da expansão do Universo.
Uma solução mais radical seria uma revisão da lei da gravidade, desenvolvida por Isaac Newton em 1687 e refinada por Albert Einstein, em sua teoria da relatividade. Einstein nunca decidiu inteiramente se suas equações deveriam ou não adicionar uma constante omnipresente, a constante cosmológica, agora chamada de energia escura.
Segundo o Dr. Zhao: Se analisarmos nossas observações com uma lei da gravidade modificada, faz total sentido substituir a acção efectiva da matéria escura hipotética por uma força estreitamente relacionada com a distribuição da matéria visível.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.