Marte húmido

Evidências para um Marte molhado, com água, no passado!

De forte evidência em forte evidência, parece não haver já muitas dúvidas que Marte teve em tempos água a correr na sua superfície – foi num passado distante, mas mesmo assim é significativo.

As chamadas “blueberries” que são uma forte evidência para água.
mars-blueberries.JPG

Uma elevada concentração de sílica:
mars-silica.jpg
O Spirit descobriu sílica no solo de Marte!
A origem desta sílica estará relacionada com nascentes de água quente ou locais onde existem gases vindos do interior da Terra.
silica
Ou seja, no passado, nesses locais onde actualmente existe a sílica, o ambiente seria um desses mencionados.
E, na Terra, esses ambientes são propícios ao aparecimento de vida!
Isto deixa entender que em face desses ambientes, talvez no passado Marte possa ter tido microorganismos no sítio onde actualmente o rover Spirit encontrou a sílica.

A sonda Mars Reconnaissance Orbiter da NASA, que orbita o planeta desde 2006, descobriu na superfície marciana o mineral opala que precisa de água no estado líquido para se formar.
opala marciana
Leiam em inglês aqui e aqui, e aqui em português.

O DN trazia a notícia sobre a descoberta de carbonatos em Marte. Um artigo simpático, mas com um título escusado: “Minerais dão provas de vida em Marte”. Não dão prova nenhuma, quando muito revelam um passado propício à vida, nada mais do que isso. A sua detecção significa que não se dissolveram em meios ácidos e que existiu água em Marte. Dizer mais do que isto é pura especulação.
Mas além do título explosivo, a jornalista enganou-se na sonda. Não foi a Phoenix foi a Mars Reconnaissance Orbiter.
Os carbonatos na Terra podem surgir de duas formas: ou através de um processo puramente químico ou pela acção dos seres vivos. Em ambos os casos, precisam de água líquida.
O processo químico envolve o dióxido de carbono, que se dissolve nas águas superficiais. As moléculas de CO2 combinam-se com a água para formar iões de carbonato, que depois se unem ao cálcio ou ao magnésio para formar compostos sólidos como a pedra calcária. Ora, se a atmosfera de Marte é em grande parte dióxido de carbono, é previsível que em tempos remotos este CO2 tenha reagido com a água marciana e tenha criado carbonatos. O problema é que até agora os carbonatos nunca tinham sido detectados em grandes extensões como nesta descoberta, embora a sua detecção seja regional e não global como seria de esperar num planeta coberto de água no passado.
Mesmo assim, uma descoberta importante que confirma a existência de água líquida no passado de Marte.

Em Julho de 2008, imagens da Mars Reconnaissance Orbiter permitiram ver terrenos perto do Pólo Sul de Marte que foram certamente esculpidos com a ajuda de largas quantidades de água a passar por eles.
Fez-me sorrir a forma como a MSNBC publicitou essa notícia. Na TV, como comparação, disseram que a área de Marte que deverá ter tido imensa água perto do Pólo Sul, é maior que a França!

Esta imagem/animação de Março de 2009 parece mostrar uma bolha de água, que desaparece passados vários dias:
water blobs mars
Eu acho que não! E vários cientistas também são da opinião que não.
phoenix mystery
Mas pelos vistos foi mesmo descoberta água salgada, líquida numa perna da Phoenix. É a primeira vez que se vê água líquida em Marte.

É uma descoberta curiosa, pois pensava-se que a água só podia existir em Marte na forma de vapor ou de gelo, por causa da baixa temperatura do planeta e da pressão atmosférica.
Mas parece que não. As variações de temperatura na região árctica e a existência de sais no solo marciano podem criar condições para a formação de pequenas gotas de água líquida muito salgada.

Poderão haver pequenas bolsas de água salgada abaixo da superfície marciana.

Parece que a água no estado líquido esteve em Marte em tempos mais recentes do que se pensava – há cerca de meio milhão de anos.
Nessa altura, assistiu-se a pequenos degelos, que terão provocado durante pouco tempo alguns pequenos laguitos.

Através de Raios Gama temos agora mais uma evidência para a existência de oceanos no passado de Marte.

Em Agosto de 2008, pela 20ª vez, a NASA afirmou que descobriu água em Marte.
Podem ler a notícia, aqui em português no Público. Aqui está a notícia original em inglês: notem que não se fala em “liquid water”.
A diferença desta vez é que a confirmação veio a partir de um método directo: a Phoenix tocou-lhe e experimentou com ela. Antes tinha só havido confirmações indirectas, através das sondas em órbita do planeta.
Mas não fiquem muito entusiasmados. A água é em estado sólido. Ou seja, a sonda Phoenix encontrou gelo…
Vejam esta pequena reportagem (2 minutos) da NBC, com parte da conferência de imprensa da NASA, e excelentes animações:

Em Junho de 2008, imagens da superfície Marciana, tiradas pela Phoenix, são enigmáticas.
O braço escavador da Phoenix, retirou um pouco da terra à superfície e deixou à vista um material branco e brilhante.
Será Gelo? Sal? Pedra raspada?
geloousal
Sabou-se depois que é gelo. O “branco” desapareceu… evaporou-se.
geloousal
Podem também ler esta notícia do Público sobre o assunto.
Vejam esta imagem comparativa da APOD, com a explicação aqui e aqui.
APODgeloousal
Vejam também esta animação da NASA, com explicação:
NASAgelomarciano

A sonda Mars Reconnaissance Orbiter descobriu em Novembro de 2008, através de radar, grandes quantidades de gelo subterrâneo, com uma fina camada de superfície a cobri-lo, longe dos pólos, entre os 35º e 60º de latitude, em ambos os hemisférios.
Não se sabe como o gelo “chegou” lá… mas suspeita-se/teoriza-se que se deve à inclinação do eixo do planeta (tal como na Terra).
A descoberta pode trazer vários benefícios: ser uma fonte de água para futuras missões humanas, perceber-se melhor as condições que existiam antigamente em Marte, e quiçá até haver fósseis de microorganismos marcianos nesse gelo.
Como curiosidade, o principal autor do artigo a sair hoje sobre esta descoberta é o John Holt, um geofísico aqui da Universidade do Texas em Austin. Ele, mais conhecido por Jack Holt, trabalha juntamente com o Don Blankenship, de quem falei aqui.
Leiam mais sobre isto, no Mars Daily e no Universe Today.
Em português, podem ler aqui no Público, que até tens bons artigos científicos – só é pena os comentários ridículos e absurdos que existem, como o Jorge já disse aqui, e se prova novamente com esta notícia.

A Phoenix tirou esta foto ao solo por baixo de si, que mostra gelo que estaria por baixo da poeira marciana (que tinha sido afastada pelos motores da Phoenix).
gelo under
3 meses depois, noutra imagem, percebe-se que o gelo desapareceu.
gelo under phoenix

Em Setembro de 2009, novas imagens mostram gelo:
water ice
A camera HiRISE da sonda Mars Reconnaissance Orbiter fotografou jovens crateras na superficie Marciana.
As crateras estão na região Arcadia Planitia, cerca de 50° N 150° W.
As fotos foram tiradas a 18 de Outubro de 2008 (na esquerda), e a 14 de Janeiro de 2009 (na direita). Ve-se claramente que o gelo sublimou em poucos meses.
water crater
3 coisas a sublinhar:
– o gelo é de água.
– o gelo é quase puro (99% gelo e 1% poeira).
– encontra-se gelo em latitudes cada vez mais baixas, e não só perto dos pólos como se imaginava.
Leiam mais sobre isto, em inglês, aqui e aqui.

Recentes impactos na superfície Marciana fez com que se pudesse ver o que está sob o solo marciano mas bastante perto da superfície.
E parece que existe gelo, como se pode ver nesta foto da HiRISE:
mars-ejecta
(crédito da imagem: NASA/JPL/University of Arizona)

A sonda Phoenix vê neve a cair em Marte!
É o primeiro registo de sempre de tal evento no planeta vermelho. O mais curioso é que a neve cai a 4 km de altitude, evaporando-se depois, não atingindo assim o solo.
O Colbert aproveitou para fazer um trocadilho com o que por vezes acontece nos EUA (fecham as escolas).
Vejam aqui os últimos 10 segundos destes cerca de 30 segundos:

“It’s snowing on Mars, so the following schools are closed: Microbe Academy, Bleep Blorp Elementary, and St. Teresa’s Blessed Crater”

Parece que neva à noite em Marte, segundo os cientistas responsáveis pela sonda Phoenix, que se encontra na região norte (“ártico”) de Marte.
snow clouds
snow
Nuvens, chuva, e neve, parecem ser acontecimentos frequentes nessa região norte.

Imagens da superfície marciana parecem mostrar vulcões de lama (também aqui e aqui):
mudvolcano mars

Os vulcões marcianos podem não estar extintos. Investigações levadas a cabo no Hawaii levam a crer que os maiores vulcões marcianos podem estar apenas numa fase dormente.
Embora os cientistas nunca tenham observado um Marte vulcânico, as imagens capturadas pela Mars Express da ESA (agência espacial europeia) sugerem que os vulcões de Marte estiveram recentemente activos nos últimos 2 milhões de anos e podem ainda estar. Além disso, as crateras dispersas em torno dos vulcões sugerem possível actividade recente de erupções.

1 ping

  1. […] Exploração. Geologia. Meteoritos. ALH 84001. Comparação. Humor. Luas (Medo e Terror). Metano. Água a fluir em Marte. Vida. Oposição (2012, 2014). Sobrevoar a superfície. 1.000.000.000 pixeis. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.