Água e mais água. Água por todo o lado!

Water-Molecule

In energ-y.com

A água é ridiculamente comum, uma das moléculas mais comuns do Universo.

Nicolas Cowan, University of Washington in Seattle

A fascinante descoberta de gelo de água na superfície Lunar, veio a levantar ainda mais questões sobre a possibilidade quer da possível existência de vida noutros pontos do Universo, quer da hipótese de futuras colónias humanas no Espaço.
Pelos vistos, existe água e/ou gelo de água por todo o lado no sistema solar e até mais além.
Pelo que veremos a seguir, não é de todo errado pensar que a água é abundante…no Universo.

Comecemos pelo Sistema Solar:

SISTEMA SOLAR INTERIOR:

– Mercúrio: O eixo de rotação de Mercúrio é praticamente perpendicular ao plano da sua órbita, ou plano da eclíptica. Isto torna o ângulo de incidência dos raios solares nos pólos muito reduzido. Assim, o interior de um dado número de crateras estará sempre com sombra, a temperaturas muito baixas (~ – 200 ºC). As imagens que foram efectuadas por radar apontam para a existência de um determinado material muito reflectivo, o que poderá sugerir a presença de gelo de água, possivelmente levado por meteoritos ou cometas.

– Vénus: Imagens da Venus Express sugerem que Vénus deverá ter tido oceanos no passado, apesar de ser um mundo infernal na actualidade. O efeito de estufa descomunal de Vénus terá, provavelmente, feito evaporar os oceanos.

– Lua: foi detectada água na Lua.

– Marte: A Mars Express detectou gelo de água no Pólo Sul de Marte. A Mars Odissey criou um mapa da água presente no Pólo Norte Marciano. A Phoenix Mars Lander, confirmou, no ano passado, a existência de gelo de água no Ártico Marciano. Recentemente, a Mars Reconnaissance Orbiter, detectou gelo de água subterrâneo a baixas latitudes.

Asteróides: descobriu-se gelo de água e compostos orgânicos na superfície do asteróide 24 Themis. Leiam, em inglês, aqui, aqui, e aqui.
E Ceres parece também estar cheio de água, como podem ler aqui.
icy asteroid

SISTEMA SOLAR EXTERIOR:

– Júpiter: – Europa, Ganimedes e Calisto: os satélites galileanos são pontos importantes. O primeiro é composto por uma superfície de gelo de água e, poderá ter, como resultado das forçs de maré e campo magnético induzido, uma fonte de calor interna, podendo assim ter um oceano subterrâneo de água líquida. O mesmo poderá acontecer com Ganimedes e Calisto.

– Saturno: – Titã e Enceladus: Titã é um mundo fascinante. Tem um conjunto de factores que a assemelham à Terra primordial. Tudo indica que haja criovulcanismo, isto é, erupção de água e outros líquidos (neste caso amoníaco), devido ao calor interno de um planeta ou satélite natural). Isso indica que possa haver, igualmente, um oceano de água líquida subterrâneo. Enceladus, por sua vez, poderá também ter um oceano de água líquida, debaixo da sua superfície gelada, que é levada (pensa-se) através de jactos da mesma para a superfície.

Urano e Neptuno são gigantes gelados, ricos em água, amoníaco e metano. Titânia e Oberon (satélites naturais de Urano) e Tritão (satélite natural de Neptuno) sugerem igualmente ter oceanos “escondidos”.

– Plutão: O planeta “despromovido” mais conhecido, é, segundo se pensa, constituído por 30% de gelo de água.

– Cintura de Kuiper: Zona de corpos gelados, nomeadamente de planetas anões gelados (Eris, por exemplo).

– Nuvem de Oort: Grande reservatório de cometas. Tal como se sabe são corpos constituídos por gelo de água, poeiras e gases gelados.

Fora do Sistema Solar, já foram detectados sinais de água em planetas extra-solares (HD 189733b, HD 209458, GJ 1214b).
Mas não é água tal como estamos habituados a pensar nela (líquida, a correr pela superfície do planeta).

Foi detectada a molécula de água na colossal estrela VY Canis Majoris.

Foi detectado vapor de água num jacto criado por um buraco negro supermassivo, no centro da galáxia MG J0414+0534. A radiação detectada demorou cerca de 11 mil milhões de anos-luz a chegar até nós.

O que pensar?
A molécula de água é mesmo comum no Espaço.
Assumindo que é essencial para a vida (como a conhecemos), não é descabido pensar que outras formas de vida possam existir no Universo.

3 comentários

2 pings

  1. Se evoluirmos a ponto de chegarmos em outros pontos do sistema solar teremos desenvolvido algo que utilize, nem que só um pouco, a energia que o sol emana.

    • José Simões on 25/04/2014 at 21:35
    • Responder

    Possíveis locais para a humanidade emigrar quando o Sol ficar mais velhote.

    Sem sair do sistema solar e, portanto, sem necessidade de grandes avanços tecnológicos (que poderão nunca se concretizar). Uma excepção, porém é necessária uma tecnologia avançada para produzir energia. Sem fusão nuclear controlada não iremos a lado nenhum.

  2. centauri-dreams.org…

    Um artigo interessante:
    http://www.centauri-dreams.org/?p=16913

  1. […] Uma sugestão frequente é busca pela água. Mas isso é uma grande bobagem: O Universo é inundado de água, graças à abundância de seus dois ingredientes atômicos, o hidrogênio e o oxigênio. Esses dois elementos químicos estão em toda a parte! […]

  2. […] – Água em todo o lado no Universo: exemplos. Cometas de água. Estrela L1448-MM. Quasar APM […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.