Na quinta-feira o asteróide 2010 GA6 vai passar próximo a Terra

Um asteroide recém descoberto passará próximo da Terra na quinta-feira, 08 de abril de 2010. Este objeto não representa uma ameaça de impacto em nosso planeta, embora sua passagem seja mais próxima da Terra que a órbita da Lua.

O asteroide 2010 GA6 é relativamente pequeno, com 22 metros de diâmetro. O objeto foi descoberto pelos astrônomos da Catalina Sky Survey em Tucson, Arizona, EUA.

A rocha espacial irá voar dentro do espaço da órbita lunar em seu fly-by a 07h06m EDT (23h06m GMT).

Os astrônomos fazem questão de frisar que não há o menor perigo: “Os objetos próximos da Terra (NEO) fazem rasantes em nosso planeta, passando a distâncias menores que a da Lua, com freqüência praticamente mensal”, afirmou o astrônomo e coordenador Don Yeomans do programa da NASA Near-Earth Object (NEO) no Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, Califórnia, em declaração para o público.

Em sua aproximação máxima, o asteroide 2010 GA6 ficará a uma distancia de 359.000 km da Terra. Isso representa cerca de 90% da distância média entre a Lua e a Terra. Em 2010 já tivemos outros objetos que fizeram visitas a Terra: em janeiro o pequeno asteroide 2010 AL30 passou a ‘apenas’ 130.000 km de distância. Outras rochas do espaço passaram a distâncias maiores, da ordem de várias centenas de milhares de quilômetros.

Rotineiramente as agências espaciais rastreiam asteroides e cometas que tem o potencial de passar perto da Terra através de uma larga rede telescópios tanto na Terra como no espaço. O Programa NEO (Near-Earth Object Observations program), mais conhecido como Spaceguard, tem como papel principal encontrar asteroides com potencial de perigo para a Terra, mapear suas órbitas para determinar o nível de risco de atingir nosso planeta.

Recentemente, o telescópio orbital WISE (Wide-field Infrared Survey Explorer), lançado em dezembro de 2009, tem entre suas atribuições a caçada de novos asteroides antes indetectáveis, devido ao seu tênue brilho que se destaca apenas na faixa infravermelha do espectro luminoso, ou seja, o WISE consegue ver o que os telescópios convencionais óticos não conseguem.

Até agora o WISE já tem descoberto dúzias de asteroides obscuros diariamente. Algumas destas rochas espaciais foram marcadas para maiores investigações, pois podem possivelmente apresentar algum potencial de risco para a Terra.

O artigo acima é uma tradução livre (com adaptações editoriais e complementos), baseada na fonte abaixo:

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.