HARPS Descobre mais Super-Terras e Neptunos

Uma equipa de astrónomos encabeçada por Francesco Pepe do Observatório de Geneva, e que inclui o português Nuno Santos, acaba de disponibilizar um artigo em que anuncia a descoberta de 5 novos planetas, e a confirmação da existência de um outro, com o espectrógrafo HARPS (High Accuracy Radial velocity Planetary Search). Os planetas orbitam três estrelas: HD20794 (82 Eridani !) – 3 Super-Terras; HD85512 – 1 Super-Terra na zona habitável da estrela, e; HD192310 – 2 Neptunos.

O artigo reporta os primeiros resultados de um programa de observação iniciado em 2009 cujo objectivo é o de observar com uma cadência mais elevada um conjunto de 10 estrelas com espectros particularmente estáveis, seleccionadas do programa mais extenso de observação do HARPS (designado de Upgrade GTO – Guaranteed Time Observations), na tentativa de detectar os sinais provenientes de planetas de pequena massa, eventualmente nas zonas suas zonas habitáveis. A figura seguinte mostra as estrelas selecionadas.


(Crédito: Pepe et al.)

A figura seguinte mostra os parâmetros das 3 estrelas referidas no artigo. Assinalados com caixas vermelhas, de cima para baixo, temos: tipo espectral, magnitude visual (V), distância (em parsecs, 1pc = 3.26 anos-luz), luminosidade (L, em unidades solares), massa (M, em unidades solares) e temperatura fotosférica (T, em Kelvin). A verde estão assinaladas as metalicidades ([Fe/H]) de HD20794 e HD85512 que são muito baixas. Por exemplo, o valor para a primeira estrela indica que a sua metalicidade é de apenas 10-0.40=0.39 vezes a solar.


(Crédito: Pepe et al.)

As restantes figuras deste artigo mostram tabelas com as características dos planetas descobertos. Assinalados com caixas vermelhas, de cima para baixo temos: o período orbital (P, em dias), a excentricidade orbital (e), a massa mínima obtida pelo método da velocidade radial (Msin(i), em massas terrestres) e semi-eixo maior (a, em unidades astronómicas).

A primeira descoberta importante é um sistema formado por 3 Super-Terras em torno de HD20794 ou 82 Eridani, uma anã de tipo espectral G8V. Como podem ver pela figura seguinte os planetas têm massas de 2.4, 2.7 e 4.8 vezes a massa da Terra e períodos de 18, 40 e 90 dias, respectivamente. O planeta com período de 40 dias necessita de mais dados para ser confirmado definitivamente. A amplitude do sinal é de apenas 0.56 m/s, a mais baixa jamais detectada para um exoplaneta !


(HD20794b/c/d. Crédito: Pepe et al.)

Em torno de HD85512 foi detectado um planeta, uma Super-Terra com 3.6 vezes a massa da Terra e um período orbital de 58 dias. Uma vez que a estrela é uma anã de tipo espectral K5V, muito menos luminosa que o Sol, isto coloca o planeta na parte interior da sua zona habitável.


(HD85512b. Crédito: Pepe et al.)

Finalmente, a equipa confirmou a existência do planeta HD192310b, anunciada em 2010. O dito é tão maciço como Neptuno e tem um período orbital de 74 dias. A análise das observações permitiu detectar um outro planeta no sistema, 50% mais maciço, com um período orbital de 525 dias.


(HD192310b/c. Crédito: Pepe et al.)

A descoberta destes planetas reforça indicações de outros estudos de que os planetas pouco maciços como Neptunos, Super-Terras e Terras parecem ocorrer com muita frequência (possivelmente mais de 30%) em órbita de estrelas do tipo solar. O artigo está aqui.

3 comentários

  1. ahhh já tá 🙂 Cheers!!! 😉

    1. Sono a mais … sorry 😉

  2. “O artigo está aqui.”

    Onde? 🙂 eheehehe 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.