Astronomia Estranha

Em 1975, Edward Nather, um professor de astronomia na Universidade do Texas em Austin, criou um curso inovador chamado “Astronomia Bizarra”, com algumas das coisas exóticas na astronomia.
O curso teve tanto sucesso pelos alunos que o departamento teve que abrir uma nova secção, com o mesmo conteúdo. Essa nova secção ficou a cargo de Craig Wheeler, outro professor aqui na Universidade do Texas em Austin.

Com Craig Wheeler, o curso foi evoluindo na direcção de estrelas, estrelas binárias (numa altura em que pouco ou nada se falava nelas), buracos negros supermassivos, supernovas, explosões de raios-gama, buracos de verme, etc.

Há uns anos atrás ele publicou um livro baseado no curso.
Ele deu-me o livro há uns anos atrás, mas só esta semana o estive a ler.

O livro é um bocado datado (2000), mas nem se nota muito.
Não é um livro de divulgação, mas sim direccionado ao ensino de astronomia.
Não é um livro para leigos, mas sim um livro após já se ter as bases de astronomia.
O livro tem algumas partes mais “densas”, mas que se lê bem se se souber do assunto.

O livro é baseado no curso, e o curso é para “non-science majors”, por isso uma das vantagens do livro é precisamente estar acessível para toda a gente, logo que já compreendam os conceitos iniciais da astronomia.

17 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Ana Guerreiro Pereira on 22/09/2011 at 18:44
    • Responder

    oooooooookay, já percebi que isto não é livrito p ignorantes cosmológicos como alguns de nós 😀

  1. Carlos, não sei se para vocês esse assunto pode ser considerado “bizarro”, mas é para nós, iniciantes na cosmologia. Gostaria de saber sua opinião sobre a teoria do Multiverso.

    Abraço.

    1. Olá,

      Já respondi nesta entrevista:
      http://www.astropt.org/2011/01/30/carlos-oliveira-o-emigrante-cosmico/

      “Eu não gosto de diversas teorias científicas”: SETI, Quântica, Big Bang, Multiverso, ” (…)

      “o Universo não quer saber do que eu penso e das minhas filosofias. Os resultados científicos nem sempre são aqueles que eu gosto”.

      Exponho os meus pensamentos sobre o Multiverso na entrevista total:
      http://bitaites.org/livros/carlos-oliveira-o-emigrante-cosmico

      abraços

        • Cavalcanti on 22/09/2011 at 21:50

        Excelente entrevista. Entretanto, de todas as frases a mais enigmática sem dúvida foi essa: “Eu não gosto de diversas teorias científicas”: SETI, Quântica, Big Bang, Multiverso.”

        Big Bang?????? Essa teoria não é a mais “plausível” dentre a comunidade científica atual?

      1. É. Mas os meus gostos e o que se sabe do Universo nem sempre coincidem 😛

        • Cavalcanti on 22/09/2011 at 22:46

        Bom, tomara que os resultados dos experimentos no LHC invalidem “seus gostos” (risos). Brincadeira, Carlos.

        Grande abraço. 🙂

    2. Tem também as notícias aqui no blog sobre o Multiverso:
      http://www.astropt.org/category/cosmologia/multiverso/

      abraço

  2. Também já li o livro há uns anos. Concordo com o Nuno, o livro é excelente. Aliás, acho que uma das reviews na Amazon é minha 😉 (26 Dezembro, 2000)

    Há uma edição mais recente (2007), não sei se muito diferente em conteúdo.

    ab.

    Luís

    1. Sim, é uma actualização do que se foi sabendo nos 7 anos desde o 1º 🙂
      http://www.amazon.com/Cosmic-Catastrophes-Exploding-Mapping-Universe/dp/0521857147/

      Eu continuo a dizer que é um livro apropriado para quem já sabe algumas coisas sobre a matéria 🙂 e gosta destes temas, claro 🙂

      Nota que o curso tem esse pré-requesito 😉

      abraços 🙂

    • Ana Guerreiro Pereira on 22/09/2011 at 12:28
    • Responder

    Bolas, vocês aí no Texas ocupam-se de formas bem estranhas… ele é cursos de astronomia bizarra, ele é cursos inovadores de astrobiologia…

    Só falta mesmo terem o Sheldon Cooper a dar aulas!! 😀

    1. Um dia destes… 🙂

    2. Tá quase… tá quase 🙂

  3. Ena, ena… Um livro que eu consegui ler primeiro que tu. Devo dizer que tenho e adorei o livro. Primeiro por abordar alguns dos meus temas favoritos e depois precisamente por ser para “non science majors”, foi muito fácil para mim acompanhar e perceber todo o livro.

    Aliás, acho que foi uma das fontes de informação que utilizei para a uma das minhas apresentações em Lousada, no fim de semana do espaço, lembras-te?

    Quem for curioso pelos temas, aconselho vivamente a lê-lo.

    1. Lembro-me de Lousada… não me lembro do que tu falaste 😛
      Nem me lembro do que eu falei… 😛

      Pessoalmente estes temas estelares “não me chamam”… porque não metem ETs 😛
      Enfim… são gostos 🙂

      1. És uma vergonha. No mínimo. Eu falei no 1º dia sobre evolução estelar e os diversos tipos de estrelas e fins que as esperam. No 2º dia falei precisamente sobre “enigmas” do Universo, onde abordava buracos negros, pulsares, lentes gravitacionais, quasares e cenas do género.

        Tu não falaste sobre nada de jeito. 😛

      2. Não foi em Guimarães que falaste sobre Enigmas? 😛

      3. Também. Numa versão revista e melhorada. Em Guimarães falei sobre isso e sobre os planetas Marte e Saturno (por algum motivo que não me lembro agora, escolhi esses dois…Provavelmente havia ou dados novos ou sondas a caminho ou a chegar lá). 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.