O cometa suicida e a ejecção de massa coronal

O SOHO registou no passado Sábado mais uma passagem de um cometa da família Kreutz pela atmosfera solar. Nos derradeiros momentos de vida do fragmento cometário, o Sol libertou uma espectacular ejecção de massa coronal, aparentemente, na direcção oposta ao local do impacto. Estarão os dois fenómenos relacionados?


O coronógrafo LASCO do observatório solar SOHO observou no passado dia 01 de Outubro de 2011 o mergulho fatal de um cometa suicida na atmosfera do Sol, seguido de uma violenta ejecção de massa coronal. A imagem estática do Sol (visível ao centro) foi obtida dias antes e representa o tamanho relativo do disco solar.
Crédito: LASCO/SOHO Consortium/NRL/ESA/NASA/Helioviewer.

Não é a primeira vez que o SOHO capta imagens de ejecções de massa coronal na sequência da desintegração de cometas na atmosfera solar. No entanto, é muito improvável que objectos tão pequenos como os cometas possam interagir de forma tão dramática com o Sol, pelo que a explicação mais simples (e mais provável) é que a ocorrência quase simultânea dos dois fenómenos seja mera coincidência.

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. A APOD também se pronunciou hoje sobre isto:
    http://apod.nasa.gov/apod/ap111005.html

  2. Como disse o Plait, é só uma questão de probabilidades.

    Com tantas CMEs a acontecer frequentemente, é totalmente normal que de vez em quando uma delas coincida com cometas… sem haver qualquer causalidade.

  3. Obrigado Paulino. Ótimo video exposto. Achei bem legal o modo descontraído do Phil explicar sobre o fenômeno. 😀

    Existe uma maneira de descobrir (posteriormente) se há relação entre a explosão solar e este cometa? Ou fica-se apenas nas conjecturas?

    Abração. 🙂

  4. Creio eu que, pela imagem ser em apresentada em duas dimensões, não temos a “noção” de profundidade – ou seja, não sabemos exatamente em qual direção o astro se aproximava do Sol. É mais provável que o cometa não tenha se chocado na superfície “inferior” do Sol, tal como o vemos no video, mas sim “atrás” do mesmo – podendo ter ocasionado a explosão na superfície solar.

    Abraço.

    1. Caro Cavalcanti,

      O Phil Plait publicou um post com um excelente vídeo que resolve a “questão da profundidade” ao adicionar as perspectivas dos dois observatórios STEREO: http://blogs.discovermagazine.com/badastronomy/2011/10/04/the-comet-and-the-coronal-mass-ejection/. Mesmo assim, não é possível perceber o que realmente aconteceu.
      No entanto, mesmo que o cometa tenha colidido com a fotosfera (geralmente os cometas da família Kreutz apenas rasam a superfície solar), acho muito improvável que tenha estado na origem da explosão solar. Geralmente, estes objectos não ultrapassam os 100 metros de diâmetro, pelo que dificilmente sobrevivem à passagem pela coroa solar. E mesmo que sobrevivessem, teriam de interagir com o campo magnético solar e destabilizá-lo ao ponto de desencadearem uma violenta explosão.

        • Jonas on 05/10/2011 at 03:41

        O Phil é uma grande figuraça.

        Aqui um link com alguns vídeos. Nos dois localizados na parte mais inferior da página, não acontece nada (somente para ficar registrado):

        http://sohowww.nascom.nasa.gov/gallery/Movies/comets.html

  5. Já vi vários vídeos com a mesma “coincidência”, mas também vi vídeos que não aconteceu nada. Se ainda ocorresse a ejeção no mesmo ponto do “encontro”, mas no outro lado?

    O que me é mais curioso de saber um dia é o que aconteceria com a matéria orgânica presente nos cometas, o que poderia acontecer quando ela “volta” para a usina solar. Um novo “reprocessamento”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.