Asteróide 2005 YU55 passa hoje pela Terra

O asteróide 2005 YU55 vai passar hoje muito perto da Terra.
O momento de maior aproximação será às 23h28m de Portugal.

É um asteróide considerado potencialmente perigoso devido à sua dimensão e ao “quase beijo” na Terra.
Mas descansem. Não é necessário enviar o Bruce Willis 😛

Este asteróide vai passar a cerca de 325.000 kms de nós – como a Lua está a cerca de 385.000 kms, então este asteróide irá passar abaixo da órbita da Lua.

Em termos cósmicos, o asteróide vai passar de raspão.

É a maior aproximação de um asteróide deste tamanho, de que tivemos conhecimento antecipadamente.

O 2005 YU55 é enorme, tendo cerca de 400 metros de diâmetro (equivalente ao comprimento de 1 porta-aviões ou 4 campos de futebol) e pesa cerca de 55 milhões de toneladas.
Lembremo-nos que o asteróide que provocou toda a devastação em Tunguska tinha somente 50 metros. De qualquer modo, é muito menor que aquele que extinguiu os dinossauros, que tinha cerca de 10 kms de diâmetro.
Ou seja, se o asteróide batesse na Terra, teria uma energia de impacto equivalente a 40 bombas de Hiroxima, provocaria uma devastação enorme, incluindo um terramoto de 7.0, uma cratera de 6 kms de diâmetro, e provavelmente levaria a alguns milhões de mortos. No entanto, a Humanidade não seria completamente dizimada.

O YU55 tem uma rotação a cada 18 horas. É um asteróide quase esférico e rico em carbono. Tem um ar poroso, cheio de crateras, e tem uma cor muito escura.

A boa notícia é que não vai bater aqui, ao contrário do que dizem alguns sites e vídeos pseudos.

Mesmo a influência gravitacional do asteróide será praticamente nula (sem qualquer efeito detectável na Terra ou na Lua).

Infelizmente não se vai ver no céu, não vai ser visível a olho nú. Terá magnitude 11 no momento de maior aproximação, o que faz com que só com telescópios razoáveis seja possível observá-lo. “Para tornar a observação ainda mais difícil, o asteróide vai mover-se muito rápido pelos céus“. O facto de ser muito escuro também tornará a observação ainda mais difícil.

Será sim uma oportunidade única para os astrónomos profissionais estudarem o asteróide.

Por outro lado, terá melhores condições de visibilidade em Portugal, nos EUA e no Canadá.

O YU55 orbita o Sol de 14 em 14 meses.
A próxima vez que este asteróide irá passar perto da Terra será em 2041, mas não colidirá com a Terra pelo menos nos próximos 100 anos.

O próximo grande asteróide próximo da Terra será o 2001 WN5, a 26 de Junho de 2028.



Video streaming by Ustream

Leiam também este post e este post.

12 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. nossa vc tem alguma luneta pra ver,onde vc mora quero saber se é perto pra eu ve tambem

    1. Olá Gabriel,

      Esta notícia é de Novembro. O asteróide 2005 YU55 já seguiu o seu caminho e encontra-se neste momento muito longe da Terra para poder ser observado através um telescópio amador.

  2. Podem ver o asteróide em directo, aqui:
    http://www.astropt.org/2011/11/08/ver-em-directo-a-passagem-do-asteroide-2005-yu55/

    😀

    • Jamerson Tavares on 08/11/2011 at 22:19
    • Responder

    É, realmente vai ser um evento maravilhoso… É uma pena que eu não tenho telescópio ou luneta para ver … queria tanto ver… Pena que nem o Stellarium nem o Celestia contêm o 2005 YU55… 🙁 Deveriam ter… Pelo menos viria a simulação… Mas, postem fotos no blog okay? Muito obrigado pelas informações!!!

    • Renato Romão on 08/11/2011 at 21:33
    • Responder

    Óptima oportunidade para testarmos algumas “armas” para desviar a rota do asteróide. Apesar dele não causar qualquer problema.

    Era curioso ver o resultado prático por exemplo, das tais sondas que através da gravidade alterariam ao final de um tempo a rota dos asteróides.

    Pois… custaria muito dinheiro e agora até estão a canaliza-lo pra futura 3ª guerra. Na minha opinião.

    Enfim…

    Abraço

    1. Mas neste momento o asteróide é seguro 😉

      E se, sem querer, o desviássemos para aqui? 🙂

      Quanto às armas desenvolvidas… é o contrário 😉
      Os mesmos cientistas que fazem “hole-in-one” em Marte, poderiam na mesma fazer com o asteróide. Seria certamente mais fácil atrasá-lo, não só para ele bater na Terra, mas para cair numa zona da Terra que eles quisessem 😉
      Mas não o fazem… não estão interessados nisso 😉

      abraços

        • Renato Romão on 08/11/2011 at 22:57

        “E se, sem querer, o desviássemos para aqui?”
        Os modelos através de computador também permitem estimar o resultado final do teste e sem dúvida seria menos dispendioso. No entanto, algo poderia correr mal na tragetória de abordagem ao asteróide e o que era inofensivo poderia-se tornar numa ameaça. Sem dúvida, o risco existiria neste caso.

        Já agora, a sonda a que refiro-me por exemplo é a Hayabusa (que serviu para colher amostras de um asteróide) e ao mesmo tempo corrigiria a tragetória do asteróide (a Hayabusa não fez isto) através da rotação da sonda colocada cirurgicamente junto ao mesmo durante um determinado periodo de tempo.

        Bem na realidade… nada melhor do que a prática/teste para completar a teoria com os pormenores. Apenas a minha opinião.
        Assim já estariamos preparados para alguns problemas que poderiam existir neste contexto.

        Ressalvo que o meu conhecimento nesta matéria deverá estar desactualizada.LOL

        Abraço

  3. Boas tardes,
    E eu a pensar que 325 mil km era muito perto, vá lá, ainda bem!

    • Carlos Eduardo Santos on 08/11/2011 at 15:45
    • Responder

    E o asteroide apophis em 2029? quais são as possibilidades dele se colidir com a terra ou a lua?
    Pela imagem acima, ele vai passar bemmmmmm perto de nós..

    1. Olá,

      Sobre o Apophis:
      http://www.astropt.org/2010/01/02/apophis/

      O perigo está em 2036 😉

      abraços

    • Manel Rosa Martins on 08/11/2011 at 15:33
    • Responder

    Passa a mais de 1 segundo-luz. A determinação da mesma distância por 2 telescópios de radar diferentes prova mais uma vez a Teoria Geral da Relatividade.

    • Cavalcanti on 08/11/2011 at 15:18
    • Responder

    “(…) No entanto, a Humanidade não seria completamente dizimada.”

    Estava bom demais pra ser verdade… 🙁

  1. […] Desviar. Passagem. Lutécia com muitas imagens. Vesta. 2009 DD45. 2011 CQ1. Tempel 1. Toutatis. 2005 YU55. 2012 DA14 (características, risco de bater em 2110). Portugal. Bólides. Indonésia. Canadá. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.