Google+

«

»

Dez 13

Astrofotografia, dúvida frequente

olá a todos. Hoje num fórum de astronomia em que participo, fizeram uma questão pertinente sobre a astrofotografia e as longas exposições, na ordem das várias horas. Como é possível fazer uma exposição assim tão longa? Decidi publicar aqui a minha resposta, porque a dúvida é recorrente.

É de facto possível fazer muitas horas de exposição de um só objecto. O método é bastante simples. Em vez de fazer uma exposição única de muitas horas, que estaria à mercê de nuvens, satélites ou aviões que passam, e outras vicissitudes, fazem-se muitas exposições de vários minutos. Por exemplo, em vez de fazer uma exposição de uma hora, fazem-se 12 exposições de 5 minutos. É por isso normal ver-se nas astrofotografias números como por exemplo 12*300 em que 12 é o número de exposições e 300 o tempo de exposição em segundos (300s/60s=5minutos, e portanto 12*5minutos ou 12*300segundos=3600 segundos, ou seja uma hora :))
Por exemplo, a seguinte foto foi feita com 19 horas de esposição:
Orion, 19 horas de exposição
Ver créditos desta foto aqui.
É impressionante o detalhe.

Em cima, no exemplo, falei-vos de uma hora, e porque não 61 horas?
Constelação de Orion, 61 horas de exposição
Créditos da imagem aqui.

A foto seguinte é uma foto de 6 minutos:
Nebulosa de Orion, 6 minutos :P
Foto minha, sem crédito nenhum 😉 😀

Não tem nada a ver, eu sei. Fui eu que tirei ;D ;D ;D

Começa-se de “poucochinho”! É possível fazer fotos com tantas horas porquê? Porque os objectos que lá estão nas fotos, a menos que seja uma estrela variável ou que surja uma supernova, não mudam ::)
Quanto mais horas de exposição mais “sinal” vai haver, mais detalhe, mais pormenor. Claro que se se aponta um telescópio numa montagem motorizada para um grande objecto do céu profundo, em poucos segundos com ISO a 1600 ou mesmo 800 já se consegue ver “a cores” esses mesmo objectos.

Para fazer “grandes” astrofotos como as que estão em cima, o que se faz é juntar muitas exposições de alguns segundos ou minutos. Elas não são justapostas mas sobrepostas. O que faz o programa de imagens (Maxim DL, Iris, DSS e outros) é justapôr as imagens. O que “não é de lá” sai das imagens (ruído, inconstâncias, uma nuvem rápida :)), o que é de lá são as constantes, os fotões, a luz, isso não muda, e é isso que importa na fotografia (do grego fotós+grafê, ou seja escrita com luz).
Há astrónomos amadores (Portugueses e Brasileiros) a fazer muitas horas de exposição com material entry level. Não é preciso um observatório ou ser milionário. Para isso precisam de dias ou semanas. Mas os resultados são brutais, como os que mostro em cima.

Depois de se justapôr as imagens é preciso trabalhar com ela os níveis, a luminosidade, o contraste, as curvas, a temperatura da cor. E isso faz-se nos programas de que falei em cima, ou noutros programas próprios de fotos com o Photoshop e companhia. E depois de muito trabalho, ficamos contentes ao ver o resultado e já temos mais um motivo para fazer um buraco na parede e para lá colocar a nossa conquista 😉
Boas fotos (e boas festas) a todos! Tentai! Uma e outra vez. É a tentar que se aprende, e tentativa e erro é um método infalível, pelo menos depois de muitas tentativas 🙂
Um abraço

Qualquer dúvida é só perguntar. Se souber respondo, se não souber, haverá alguém que vos responda. 😉

Acerca do autor(a)

Cristóvão Cunha

Apaixonado pela vida e pelas maravilhas do cosmos, astrónomo amador desde 2002 e apaixonado pelo céu desde muito novo, Diácono da diocese de Viseu, está a terminar a sua tese de mestrado sobre astronomia e religião, na Universidade Católica de Braga.

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Pedro

    O crédito está em partilhar… 😉 Boas fotos…

    1. Cristóvão Cunha

      Obrigado! Igualmente 😉

  2. Cavalcanti

    Lindas imagens, Cristóvão.

    Parabéns! 😉

    1. Cristóvão Cunha

      Olá Cavalcanti. Obrigado pelos cumprimentos mas as fotos não são minhas. Só a última é que é 🙂
      Um dia destes, pelo Natal, ofereço-me a mim próprio uma foto deste género, feita por mim 😉
      Abraço

  3. Álisson dos Santos

    olá cristóvão,desculpa pela minha ignorancia no assunto da astrofotografia,porém,tenho uma duvida simples,eu mal consigo tirar fotografias da lua com minha camera digital,como faço pra obter belas imagens da lua com uma camera simples,obs que as imagens que pretendo tirar são da lua logo de manhã,pouco antes do alvorecer.
    um abraço!

  4. Cristóvão Cunha

    Olá Álisson, dizem que a fotografia só depende do fotógrafo. Na astrofotografia não basta isso. O material é importante. Sobre como fazer fotos? Há muitas maneiras. Depende da maquina que tens. Se for uma bridge, ela terá umas 12xs de zoom óptico e com mais um toques de zoom digital são possíveis grandes fotos sem outro material. Para fazer exposições de um segundo por exemplo, para se ver o earthshine é necessário que se tenha um tripé. Se se usa um telescópio para fazer as fotos podem usar-se dois métodos: afocal e foco primário. O método afocal pode ser usado com qualquer máquina fotográfica, mas é usado sobretudo com máquinas compactas. Consiste em “encostar” a lente da maquina fotográfica à ocular do telescópio.
    O método afocal é o método mais usado para AF. Consiste em acoplar a máquina fotográfica ao telescópio. A máquina tem que ser reflex, digital ou analógica, e o telescópio “faz de” teleobjectiva. Eu uso por exemplo, um SkyWatcher de 80mm de abertura, 600mm de focal (F7,5) com o qual fiz a foto de seis minutos que aparece em cima.
    Boas fotos.
    Abraço

    1. Álisson dos Santos

      Cristóvão,obrigado pela explicação e pela dedicação em saciar minha duvida 😀

      Um forte abraço!

  5. Renato

    Olá Cristovão,

    Adorei o seu artigo e fiquei, obviamente, espantado com tanto as fotos como o conceito que é usado para as obter. Boa explicação!
    Tenho cerca de 350€ para comprar um telescópio, e estando ciente de que as fotos acima foram muito provavelmente conseguidas através de máquinas fotográficas e telescópios do mais alto nível, gostava de saber qual o melhor telescópio que posso comprar.
    A minha pesquisa levou-me a um Meade ETX-90 PE (f/13.8) (link em baixo).
    Será uma boa compra?

    http://www.shopatron.com/products/productdetail/part_number=3514-03-55RE/1323.0.1.1.28926.36859.0.0.0

    1. Carlos Oliveira

      Olá Renato,

      Veja se este post do Luis (e comentário do Ricardo), o conseguem ajudar 😉
      http://www.astropt.org/2011/11/21/prendas-astronomicas/

      abraços

  6. Gustavo

    Olá, muito legal o seu post Cristóvão Cunha xD.

    Eu queria uma ajuda sua se possivel, é eu comprei um telescópio D=60mm / F=700mm, para observar a lua e os planetas até ai tudo bem consegui sem problemas, só que eu queria saber se eu consigo tirar fotos igual a sua que voce tirou com varias estrelas e com varias cores no céu eu acho essas fotos muito lindas. Eu preciso de um telescópio maior? ou tenho que ter uma camera apropriada tipo aquelas profissionais de fotografia? e como funciona essa fotografia de minutos e horas eu preciso de um tripé motorizado?

    Até então eu uso um telescópio Greika Refrator 60mm/700mm e uso uma wecam que consegui fazer um suporte para ela.

    Desculpa perguntar tanta coisa é que eu sou novo nessas coisas de astrofotografia xD.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>