«

»

Dez 13

Kepler-22b, o planeta gémeo da Terra?

Achei este “poster” fantástico.
Leiam sobre esta espantosa descoberta da primeira Super-Terra dentro da zona habitável de uma estrela semelhante ao Sol, neste excelente artigo do Luís Lopes.

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
É actualmente Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Ana Guerreiro Pereira

    Olá!

    ;)

  2. Cavalcanti

    Sei não, mas se os keplianos conhecerem bem a humanidade, não vão querer muito papo conosco… :(

    E já agora, tenho a impressão de que os mesmos são safadinhos. Quando percebem que nossos telescópios lhe são apontados, tratam logo de deslizar as luzes de suas cidades ;)

    (bazinga) :P

  3. Marco

    - Olá!

    1200 anos depois:

    – Olá! Como vai isso por aí?

    1. Piter

      - Open a subspace channel to Kepler 22-b, Uhura.
      – Aye, aye, sir!

  4. Marco

    Na verdade, chegam a ser angustiantes… Por causa do pouco tempo que por cá andamos. Mais uma demonstração de que o Universo é e não quer saber dos nossos dilemas existenciais para nada. SE, por mera hipótese, descobríssemos algum indício sério de atividade biológica no planeta (não sei se a poderíamos detetar na decomposição da luz do planeta, quem saiba por favor me corrija ou elucide, obrigado), seja como for teríamos uma empreitada para dezenas e dezenas de gerações de cientistas.
    Já para não dizer que seria a maior descoberta científica da história. Espero viver o suficiente para acompanhar o início dessa grande aventura!

    1. Ana Guerreiro Pereira

      Bem, o Manoel de Oliveira faz 103 anos no próximo Domingo… se ele lá chega, tu tb! :D :P

    2. Carlos Oliveira

      Quais gerações de cientistas :P

      Eu tou a construir o meu foguetão no meu quintal… mal saiba onde haja vida, parto logo :P

      Sabes que o que disseste, bastante acertado, como sempre, está exemplarmente exemplificado no livro The Listeners, do James Gunn. O contacto com ETs lá é muito mais realista que no filme/livro Contacto de Carl Sagan ;)

      Lê o que já escrevi sobre isto ;)

      http://www.astropt.org/2011/05/25/desafio-28/

      abraços

      1. Ana Guerreiro Pereira

        Fogetão movido a neutrinos supraluminais ainda não confirmados? :P ou a taquiões? :D

      2. Ana Guerreiro Pereira

        Ninguém me dá com um dicionário grandalhão na cabeça?…

        *Foguetão

        Se tu vais de foguetão, eu vou num buraco de verme, pode ser? Ou num salto quântico! http://www.imdb.com/title/tt0096684/ (nem te vou dizer o que é que encontrei enquanto procurava pelo Quantum Leap…:D)-

    3. Manel Rosa Martins

      Sim Marco, há marcadores de actividade biológica como o CO2 que já foram detectados em exoplanetas, no caso que mostro no link foi num Júpiter quente a 60 anos-luz.

      De todo o candidato ideal, mas antes o facto real.

      http://www.universetoday.com/22080/carbon-dioxide-detected-on-exoplanet-hd-189733b/

  5. Thiago

    como podemos viajar 600 anos luz para chegar la?
    vao consceguir atalhos?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>