Superstição e Ciência

A nossa jovem leitora Letícia Gama deixou-nos esta mensagem no Facebook, que achei interessante partilhar (com a autorização dela e alguma edição minha):

“No decorrer do tempo a ciência pôde sanar e criar dúvidas, suprindo necessidades, e ajudando o ser humano a explorar as suas possibilidades.

Por meio da ciência foi possível desvendar os grandes paradoxos que perpetuaram a sociedade, por meio de questionamentos, observaçõe​s, experiências, e por fim alcançando-se a comprovação.
Segundo a Filosofia, a verdade plena é inexistente. Contudo, a ciência, em todas suas perspectivas, é a que mais se aproxima da verdade absoluta.

A ciência prova o que afirma. Ela utiliza a razão, induz a pensar, a buscar, a criar, a descobrir, a comprovar, a ​evoluir.
É ela que sempre moveu, e que ainda move o mundo. Ela amplia constantemente os campos de conhecimento.
Nada é mais certo e evolutivo que a ciência, em especial minha insubstituível astronomia.

Uma visão crítica e construtiva ensina muito.

Me parece um tanto quanto paradoxal que no início deste milênio, durante o que se chama “era da ciência”, tantos ainda acreditem em profecias do fim do mundo.
Muitos preferem acreditar em ideologias supersticiosas ao invés da verdade exposta pelo conhecimento científico.
Com tantos avanços e com uma vasta série de descobertas, criações e fatos provados pelo método científico, é inviável seguir crendices supersticiosas.

O Direito me escolheu, mas nunca vou abrir mão da astronomia. Foi graças a ela que ampliei meus conhecimentos e pude entender de forma ampla e profunda o mundo que me cerca. O desejo de sempre buscar saber mais veio por efeito da astronomia!”

4 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. 🙂

    São explicadas, são.
    Os deuses é que criaram o Universo como ele é.
    E foi o deus que quis que assim te acontecesse caíres. Ele escreveu lá no caderninho do teu destino que caírias e a Gravidade é uma súbdita dele. O atrito da queda provocou a faísca relâmpago que serviu de luz que iluminou o teu caminho até à Internet, ao Facebook para mostrares a fotografia do teu estado amassado depois da queda divinal. Sim, foi uma queda divinal! O que é um consolo para aliviar as dores…

    eh eh eh

    1. Mas o “Intelligent Falling” depende de se acreditar num ser superior…
      O conhecimento não depende dessas crenças pessoais 😉

      http://www.theonion.com/articles/evangelical-scientists-refute-gravity-with-new-int,1778/
      😉
      http://en.wikipedia.org/wiki/Intelligent_falling

  2. “A ciência prova o que afirma. Ela utiliza a razão, induz a pensar, a buscar, a criar, a descobrir, a comprovar, a ​evoluir.
    É ela que sempre moveu, e que ainda move o mundo. Ela amplia constantemente os campos de conhecimento.”

    A questão é que podemos substituir a palavra ciência pela palavra religião. E os senhores da religião e os seus seguidores tomavam estas afirmações como suas.
    A razão será uma razão espiritual.

    “razão
    (latim ratio, -onis, conta, cálculo, consideração, livro de contas, relação, inteligência, raciocínio, motivo)
    s. f.
    1. O conjunto das faculdades intelectuais. = COMPREENSÃO, INTELIGÊNCIA
    2. Fonte do raciocínio.
    3. Capacidade para decidir, para formar juízo ou para agir de acordo com um pensamento. = DISCERNIMENTO, JUÍZO, LUCIDEZ
    4. Comportamento ou pensamento que se considera justo, legítimo ou correcto. = LEGITIMIDADE
    5. Justiça, dever, equidade.
    6. Raciocínio que conduz a outro ou a uma conclusão. = ARGUMENTO
    7. Aquilo que explica alguma coisa ou que faz com que algo exista ou aconteça. = CAUSA, MOTIVO
    8. Prova, fundamento.
    9. Firma que adopta uma casa de comércio.
    10. [Matemática] Quantidade que numa progressão opera sempre do mesmo modo.”
    in Dicionário Priberam da Lingua Portuguesa

    É que a religião oferece aos crentes a mesma sensação de verdade que a ciência oferece aos cientistas.
    É esta coisa do mundo ser aquilo em que se acredita. Ser aquilo que ensinámos ao nosso cérebro.
    A ciência dá muito mais trabalho: é muito raciocínio, é muita operação matemática, é muita teoria, são muitos nomes, muitas famílias, géneros e espécies. E traz-nos à nossa dimensão pequenina no Universo.
    A religião é exactamente a fuga a essa pequenez, é o consolo de se ser muito maiores e melhor do que se aparenta e termos missões muito maiores do que sermos apenas mais um da mesma espécie. Diz a Biblia: “Quem acredita em mim, terá a salvação”. E as pessoas acreditam que serão salvas (não sei de quê). Depois morrem e nunca mais se saberá se a pessoa foi salva ou não. Se foi para o paraíso prometido. Elas trabalharam tanto aqui em vida, fizeram tantos sacrifícios, como é que a morte pode ser só morte?…
    E o crente na religião vai encontrar sempre verdade no seu processo de evolução espiritual.
    E o cientista vai sempre encontrar a verdade no seu trabalho de desenvolvimento do conhecimento científico.
    Cada um vai defender e tentar trazer o outro para a sua causa.
    E quando morrerem vão parar no mesmo sítio…

    O Homem tem estes milhares de anos de evolução como espécie e desde sempre houve esta questão da dimensão humana.
    Para além de que há discrepância de oportunidades de acesso ao conhecimento e é uma condicionante muito forte, apesar de se pensar muito que se a pessoa quiser ela consegue ( na minha opinião, poderá não ser bem assim, pois para a pessoa se virar naquela direcção terá de se acender uma luz para despertar a pessoa – lá me está a fugir a razão para o outro lado… eh eh eh – ainda há muito lugar no mundo sem electricidade).
    É muito bom termos conhecimentos suficientes para termos o nosso sentido crítico desenvolvido, mas a maioria da população não o terá, basta olhar para as classificações que os alunos conseguem na escola apesar de tudo muito mais facilitado e muito mais apelativo em relação ao que eu tive no meu percurso escolar.

    Daí a importância deste meio como meio de divulgação do conhecimento científico.

    Bem hajam!

    p.s Eu acho muito engraçado, por causa da Igreja ter aceitado suspender os feriados santos, as pessoas a porem em causa a religião. “Então mas afinal estes dias santos que guardávamos tão religiosamente, agora suspendem-se à conta duma crise económica? Mas que raio de coisa é esta? Onde que ponto fica o sagrado?”

    1. Há uma diferença enorme entre ciência e religião. 😉

      A ciência não depende da vontade individual de cada um. A ciência baseia-se em experiências objectivas que podem ser comprovadas por todos de igual modo. 😉

      A Gravidade, a Electricidade, a Internet, etc, não são explicadas por “lei divina” 😉
      Ninguém cai para o solo porque crê ou não em Deus. Todos caem por igual.
      Ninguém cai para o solo porque acredita que vai cair. Acreditar é irrelevante para as leis científicas.

      Ou seja, crença é muito diferente de conhecimento 😉

      abraços!

  1. […] Bananas. Visão da Ciência. Ursos de Peluche. Frankenweenie. Burro e Feliz. Mundo estranho pseudo. Superstição. Porque preferimos o conhecimento. Morte dos Especialistas. Anti-Intelectualismo. Validar a […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.