Colisão entre a Via Láctea e Andrómeda

Ilustração sobre o que veremos no nosso céu dentro de quase 4 mil milhões de anos. Crédito: NASA; ESA; Z. Levay and R. van der Marel, STScI; T. Hallas; A. Mellinger

Pensava-se que seria em metade do tempo, mas novos cálculos da NASA, baseados nas observações do Telescópio Espacial Hubble, mostram que a colisão entre a enorme galáxia de Andrómeda e a nossa Galáxia Via Láctea dar-se-à dentro de quase 4 mil milhões de anos.

Yahoo:
“(…)”Após quase um século de especulações sobre o destino de Andrômeda e nossa Via Láctea, finalmente temos uma ideia clara de como se desenvolverão os eventos nos próximos bilhões de anos”, assinalou em comunicado Tony Sohn, do Space Telescope Science Institute, em Baltimore (Maryland, EUA).
As simulações com computador realizadas com os dados do Hubble mostram que, após o impacto inicial, ambas as galáxias demorarão outros 2 bilhões de anos para se fundirem totalmente sob o efeito da gravidade e tomarem a forma de uma única galáxia elíptica, similar às que são comumente vistas no universo.
As estrelas dentro de cada galáxia estão tão longe umas das outras que os especialistas não acreditam que possam se chocar entre si, mas é possível que elas “sejam lançadas a uma órbita diferente ao redor do novo centro galáctico”, explicou a Nasa.
Os cientistas observaram repetidamente uma região específica da Via Láctea em um período entre cinco e sete anos e concluíram que, embora esperem que nossa galáxia sofra mudanças, “a Terra e o Sistema Solar não correm perigo de serem destruídos”. (…)”

Inovação Tecnológica:
“(…) Dentro de “exatamente 4 bilhões de anos”, a Via Láctea se chocará com a nossa galáxia vizinha, Andrômeda.
“Nossos resultados são estatisticamente consistentes com uma colisão frontal entre a galáxia de Andrômeda e a Via Láctea,” garante Roeland van der Marel, da equipe do telescópio Hubble.
Após a trombada galáctica, em mais dois bilhões de anos uma nova galáxia se estabilizará com os resquícios das duas. (…)
Embora, segundo os astrônomos, nosso Sol seja arremessado para algum lugar da nova supergaláxia, “nossa Terra e o Sistema Solar não correm perigo de serem destruídos”. Isto porque, no meio das galáxias, as estrelas ficam tão longe umas das outras que é muito improvável a colisão direta. As simulações mostram que nosso Sol ficará muito mais distante do centro da nova galáxia do que está hoje do centro da Via Láctea.
O problema é que, somando os 4 bilhões até a trombada galáctica, mais os 2 bilhões para a estabilização da nova supergaláxia, supera-se o tempo de vida esperado do Sol – as previsões afirmam que ele deverá se transformar em uma gigante vermelha entre 5 e 6,5 bilhões de anos, engolindo Mercúrio e Vênus e tostando totalmente a Terra.
Atualmente Andrômeda está a 2,5 milhões de anos-luz, mas o curso de colisão parece certo. (…)”.

ilustração com uma sequência de imagens de como se verá a colisão. Crédito: NASA; ESA; Z. Levay and R. van der Marel, STScI; T. Hallas, A. Mellinger

BBC:
“(…) As duas galáxias estão se aproximando devido à gravidade que exercem uma sobre a outra. Cientistas acreditam que elas começarão a se fundir dentro de 4 bilhões de anos. E dentro de outros 2 bilhões de anos elas deverão ser uma única entidade.
Quando isso ocorrer, a posição do nosso sol será abalada, mas tanto o astro como os planetas que orbitam em torno dele enfrentam pouco risco de serem destruídos.
Por outro lado, o céu noturno visto da Terra deverá ter uma aparência espetacular. Partindo do princípio, é claro, de que a espécie humana ainda estará presente dentro de bilhões de anos para poder olhar para cima.
(…)
As duas galáxias estão separadas por uma distância de 2,5 milhões de anos-luz, mas estão convergindo a uma velocidade de aproximadamente 400 mil quilômetros por hora.
“Poucas coisas fascinam os seres humanos mais do que o nosso destino cósmico e qual será o nosso futuro. O fato de que podemos prever que esse pequeno objeto difuso um dia irá engolir e encobrir o nosso sol e o nosso sistema solar é uma descoberta verdadeiramente notável e fascinante”, diz van der Marel.
(…)
Em 7 bilhões de anos, a fusão formará enorme estrutura elíptica com um centro brilhante
Mas apesar da provável fusão das duas galáxias, estrelas individualmente não irão colidir porque o espaço entre elas permanecerá sendo grande. O abalo gravitacional deverá, no entanto, mudar a localização do sistema solar, acreditam os pesquisadores. (…)”

Leiam também na NASA, NASA, Hubble site, Discovery News, Science Daily, Universe Today.

12 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Mas gostaria d saber se a galáxia M33 (Triângulo) colidirá tmb c a via Láctea, uma vez q a distância da mesma é parecida c a Andrômeda p a nossa!??

    1. Sim.

      Todas as Galáxias no Grupo Local vão colidir.

      Muito provavelmente, Via Láctea e Andromeda colidem primeiro. M33 passará a orbitar a galáxia que vai resultar da colisão da Via Láctea com Andromeda. E posteriormente M33 também colidirá.

      abraço!

  2. Todo esse tempo parece ser uma eternidade🙀

    • Renato Romão on 14/06/2012 at 22:28
    • Responder

    Carlos, a primeira colisão será com a galáxia de Cão Pequeno. Esta simulação respeita este futuro evento?
    Tendo em foco o nosso sistema solar. Como referes, “Quando isso ocorrer, a posição do nosso sol será abalada, mas tanto o astro como os planetas que orbitam em torno dele enfrentam pouco risco de serem destruídos.”

    Apenas tive a ver um documentário no Discovery Channel e lembrei-me deste post.

    Abraços.

      • Renato Romão on 15/06/2012 at 19:10
      • Responder

      Corrigo; a pequena galáxia de Cão Maior.

    1. Sim, quer a Via Láctea quer Andrómeda, quer outras galáxias, vão engolindo galáxias-anãs.

      Neste caso, não só existe uma galáxia-anã na direcção da constelação de cão maior, mas também existe outra galáxia-anã na direcção da constelação de sagitário, que estão neste momento a ser engolidas pela Via Láctea.

      Recomendo a visualização deste vídeo:
      http://www.astropt.org/2008/03/15/qual-a-galaxia-mais-proxima-da-nossa/
      🙂

      Entretanto, a Via Láctea irá engolir mais algumas galáxias-anãs na sua vizinhança, assim como Andrómeda o irá fazer 😉
      http://www.astropt.org/2009/11/01/grupo-local/

      A Via Láctea até tem uma nuvem gigante a vir na sua direcção 😉
      http://www.astropt.org/2012/01/27/nuvem-gigante-vai-colidir-com-a-via-lactea/

      A simulação acima só diz respeito à colisão com Andrómeda, porque será a única que terá um efeito suficientemente grande na Via Láctea para a modificar 😉

      abraços! 🙂

        • Renato Romão on 15/06/2012 at 20:04

        Tanks Carlos. Vou já “devorar” os links. 🙂

        Pensei (leigo) apenas na lógica de evento sucedido poderá influenciar o seguinte evento e assim por diante. Até este referido no post.

        Mais uma vez obrigado não só pela informação mas também pela paciência. 🙂
        Procurei na web e nada me “satisfez” a curiosidade. Tinha de ser o Carlos. 🙂

        Abraços.

      1. Obrigado pelas palavras 🙂

  3. não é possivel que o sol seja jogado para fora da Lactomedra? pelo video parece haver algumas estrelas que se afastam consideravelmente do centro

    1. Possível é… mas improvável, segundo as simulações actuais 😉

  4. Obrigado Carlos pelas maravilhosas imagens.
    Abraços

    1. Obrigado pelo feedback 🙂

  1. […] Nuvem molecular em forma de trança. Andrómeda (comprimentos de onda, visível). Milkomeda (aqui e aqui). Já colidiu. Grupo Local. 61 próximas. Evolução. Colisões. Fusão. Colisão de […]

  2. […] Como sabem, a Galáxia de Andrómeda e a nossa Galáxia Via Láctea estão a aproximar-se e irão colidir dentro de quase 4 mil milhões de anos. Leiam aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.