Recomendação para os Jovens Cientistas

O biólogo E.O. Wilson deixa conselhos a quem quer compreender a ciência e o mundo:

– não esperem pelos líderes para mudarem a vossa vida. Eles não o vão fazer. Mudem a vossa vida constantemente, e por vocês, sem porem a culpa nos outros.

– escolham um trabalho que vocês adorem e que sejam competentes nele. E façam por o ter! E tornem-se especialistas nisso! Através do conhecimento.

– escolham um trabalho revolucionário, e não sigam aquilo que é a “moda” da altura só porque os outros também vão para lá. Sigam o vosso caminho, e não aquilo que é aceite na altura. Criem o vosso próprio grupo. Inovem!

– não se preocupem com a matemática. Existem os especialistas para isso. A matemática não é o “bicho-papão” da ciência.

– sejam cientistas ou não, no mundo em que vivemos hoje, é bastante importante ter-se uma vasta gama de conhecimentos diferentes. É crucial um conhecimento multidisciplinar na ciência e na vida.

– o mais importante para a vivência na sociedade actual, é ter literacia científica.

(cliquem em CC para activarem as legendas em inglês, e depois em CC de novo – traduzir legendas – português, para lerem as legendas em português – a tradução está longe de ser perfeita, mas é o que se arranja automaticamente)

4 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Dinis Ribeiro on 11/07/2012 at 02:13
    • Responder

    Muito interessante!

    Em particular, gostei da parte em que ele explica que foi estudar matemática (Cálculo) quando já dava aulas de biologia, e nessas aulas estavam alunos dele de biologia.

    Concordo “profundamente” que a Matemática é uma linguagem… é uma questão de sermos fluentes.

    Fluir como a água… 😉 Sem estar gelada, nem a ferver…
    Só uma gota é pouco, mas se formos para fora de pé, podemos morrer afogados…

    Aliás, o que é ser “fluente” numa linguagem? Será apenas uma questão de prática?

    1) http://en.wikipedia.org/wiki/Language_processing
    2) http://en.wikipedia.org/wiki/Verbal_fluency_test
    3) http://en.wikipedia.org/wiki/Monolingualism#Vocabulary_size_and_verbal_fluency
    4) http://pt.wikipedia.org/wiki/Multilinguismo
    5) http://pt.wikipedia.org/wiki/Bilinguismo

    E em particular:

    6) http://en.wikipedia.org/wiki/Language_of_mathematics
    7) http://en.wikipedia.org/wiki/Language_development
    8) http://en.wikipedia.org/wiki/Babbling

    Gosto da expressão “blá blá” e penso que muito da proto ciência é um balbuciar…

    http://en.wikipedia.org/wiki/Proto-science e http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_protoci%C3%AAncias

    Num crescimento saudável, nós devemos poder deixar de falar tat-bitat e falar como adultos…

    Nesse sentido a pseudo-ciência e a sua “linguagem distorcida” e as “alegres” provocações a tudo e a todos, lembra-me as pessoas que falam como adolescentes, cheios de emoções descontroladas e palavrões repetitivos…

    Para se entender melhor a agressividade insolente da pseudo-ciência, poderá ser útil (re)ver esta obra: http://en.wikipedia.org/wiki/Lord_of_the_Flies & http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Senhor_das_Moscas

    9) http://en.wikipedia.org/wiki/Teenager

    Relativistic thinking

    Compared to children, adolescents are more likely to question others’ assertions, and less likely to accept facts as absolute truths. Through experience outside the family circle, they learn that rules they were taught as absolute are in fact relativistic.

    They begin to differentiate between rules instituted out of common sense—not touching a hot stove—and those that are based on culturally-relative standards (codes of etiquette, not dating until a certain age), a delineation that younger children do not make.

    This can lead to a period of questioning authority in all domains

    9) Procuro pessoas que saibam muito mais do que eu (sei muito pouco) sobre a evolução das línguas em geral e da língua Portuguesa, em particular.

    Porquê? Por causa do trabalho de Martin Nowak.

    In a paper featured on the front cover of Nature Nowak and colleagues demonstrated that the transition of irregular verbs to regular verbs in English over time obeys a simple inverse-square law, thus providing one of the first quantitative laws in the evolution of language.

    Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Martin_Nowak

    1. Eu acredito sem dúvida que no futuro vamos ter só uma língua unificada. Isto é uma coisa que se vê bastante até hoje – o homem português é muito mais internacional do que era há 20 ou 30 anos. Em grande parte por causa do aparecimento da internet, e das comunicações a longa distância. Nesse sentido eu (e se calhar vocês também) sinto-me abençoado de ter aprendido inglês desde muito novo. Algo que para mim é indiscutível e que eu tenho vindo a reparar durante a minha vida toda é que existe muito mais, mas MUITO mais informação disponível em inglês do que em qualquer outra língua. Sobre seja o que for!

  1. Um grande nome da etologia e biologia evolutiva!

  1. […] é a Vacina. Valor do Pensamento Racional. Ciência é a ponte. Reter conhecimento. Compreender. E.O. Wilson. Correlação e Causalidade. Ilusões Óticas (cinzenta). Michael Shermer. Navalha de Ockham. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.