Atlântida Britânica afundou há 8500 anos

Já tenho dito por diversas vezes que a Atlântida poderá ter existido, mas essa ilha terá sido engolida por um tsunami; e a história de Noé também terá sido verdadeira e terá sido devida a um tsunami.
Ou seja, terras normais, com populações pouco avançadas (o avanço que existia na época), terão sido engolidas por tsunamis, em desastres locais que depois os sobreviventes transformaram em mitos e imaginaram que teria sido todo o planeta engolido pela água (lembremo-nos que no passado, as pessoas pensavam que o seu canto era o planeta inteiro e não tinham ideia nenhuma do que eram fenómenos naturais como tsunamis, por isso atribuíam essas desgraças a deuses).

Agora mergulhadores encontraram evidências de uma outra terra com uma enorme população (dezenas de milhares de pessoas) que foi engolida por um tsunami e subida do nível do mar.
A terra chamada Doggerland fazia a ligação entre a Escócia e a Dinamarca (a Grã-Bretanha não era uma ilha), e foi engolida por um tsunami no Mar do Norte perto do ano 6.500 A.C. após milhares de anos de subida do nível do mar (um ciclo da Terra que existe há milhares de milhões de anos).

Leiam aqui.

18 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Renato Romão on 02/10/2012 at 22:00
    • Responder

    Obrigado pelos links.
    Admito que possa estar errado. O cruzamento de informação que fiz através de alguns estudos (+ou- 4/5 anos) deparei-me com algumas perspectivas e pontos de vista sobre a astronomia destes. Fui indagar e já não encontro nada na WEB, tenho de facto de ir ao meu outro portátil para procurar melhor.
    Isto tudo (pesquisa) devido ao culto do touro nas civilizações.
    Lembro-me de ter lido vários estudos onde apontam estas interpretações, onde ligavam apenas estes conhecimentos à astronomia, pois, eram principalmente os “agricultores” que dominavam este conhecimento e as observações mencionadas.
    Volto a realçar o importante factor da distinção da religião ao conhecimento destes “agricultores/astrónomos”. Eu sei Carlos, que estou (contexto) num campo altamente pantanoso e sem certezas de nada e não sou ninguém dotado de conhecimento para abordar este tema com a devida credibilidade.

    Pois, “Second, I endeavored . . . to make available reasonably reliable translations of many of these documents to the academic community” de Samuel Noah Kramer, a questão é que Sitchin e Allegro também disseram isto. É muito complicado traduzir exactamente a escrita Suméria.

    Não lhe vou tomar mais tempo sobre este assunto. 🙂

    Abraço!

    • Renato Romão on 02/10/2012 at 21:13
    • Responder

    Pois, aí é que está. Não consigo, nem ninguém até ao momento. Apenas focar o relevo do Sol nas representações não é suficiente. Mas, a ergonomia da arquitectura permitiu apenas a representação numa parede vertical colocar algum relevo nos astros. Como nos corpos das pessoas representadas, isto não significa que não tenham o respectivo braço esquerdo ou a parte esquerda da cabeça.

    Para o Carlos entender melhor o “meu” raciocínio. Existe uma imagem (talvez a mais conhecida de todas) ligada à pseudo teoria dos Anunnaki, em que passo a descrever (tentei um link, mas só encontro blogs desprezíveis), com um homem sentado em frente a dois outros homens em pé e uma representação no topo esquerdo do nosso sistema solar. A pseudo teoria atribui ao “homem” sentado como um ser que se estivesse em pé era muito maior que os restantes homens. A teoria “mais” racional atribui ao homem sentado o estatuto de professor(a sua representação é idêntica aos outros), que ensina às restantes “personagens” o conhecimento que tinham do cosmos. Mas, tinha de vir logo os religiosos para aflorar o respectivo conhecimento.
    Nesta representação o conhecimento está em foco em vez realçar os valores ou conceitos religiosos.
    Um dos grandes problemas deste conhecimento adquirido pelos Sumérios são as transcrições, como neste erro caíram Sitchin e Allegro.

    Vá lá Carlos, pelo menos que o Sol está no centro do nosso sistema solar. 🙂

    Abraço!

    1. Fui ver o que tenho escrito no curso, onde tenho diversa bibliografia de livros sobre a história da astronomia.
      Em nenhum livro é falado de heliocentrismo ou da Terra ser esférica.
      Pelo contrário, os Sumérios são claros na sua escrita de que pensam que a Terra é um disco plano, e por cima estavam as estrelas, o Sol e a Lua. Não existe qualquer referência à Terra viajar pelo espaço em órbita do Sol ou algo similar.

      Para não ser exaustivo, falo só de um autor com vários livros sobre este assunto:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Samuel_Noah_Kramer
      Kramer, Samuel Noah, & Maier, John (1989). Myths of Enki, the Crafty God. New York: Oxford University Press.
      Kramer, Samuel Noah (1981). History Begins at Sumer. Philadelphia: University of Pennsylvania Press.
      Kramer, Samuel Noah (1963). The Sumerians. Chicago: The University of Chicago Press.
      Kramer, Samuel Noah (1961). Sumerian Mythology. New York: Harper & Brothers.

      Penso também que esta imagem representa bastante bem o que eles pensavam:
      http://mukto-mona.net/new_site/mukto-mona/Articles/brent_meeker/cosmology_files/image004.jpg

      abraços!

    • Renato Romão on 01/10/2012 at 20:18
    • Responder

    Xevious,
    “Mas mesmo assim nenhuma teve alguma evidência de alguma civilização que estivesse mais avançada doq o esperado.”. Bem, observe este ponto de vista. Como disse e bem “onde existem até pirâmides submersas”, portando para alem dos anos de construção das mesmas terá de somar os anos que levou ao conhecimento matemático e arquitectónico dos tais edifícios. A isso deverá observar também ao “fenómeno” social como refere o texto do post “Agora mergulhadores encontraram evidências de uma outra terra com uma enorme população (dezenas de milhares de pessoas) que foi engolida por um tsunami e subida do nível do mar”. Este contexto refere-se há 8.500 anos, agora tente somar hipoteticamente os anos a que referi-me anteriormente.
    Agora pense um pouco e tente enquadrar todo este contexto entre duas eras;
    1.ª – Paleolítico Superior de (40 – 30 000 até 10 – 8000 anos atrás). O Homem vive em pequenos grupos nômadas e se abriga em cavernas.
    2.ª – Inicio do período Neolítico de (10 000 a 3 000 a.c.), onde os historiadores nos dizem que nesse periodo “os povos aprendem aos poucos como se organizar e trabalhar em sistemas cooperativos” e “ampliam-se as conquistas técnicas, como a produção de cerâmica.”

    Ter em atenção que existem duas variáveis importantes, o factor que os períodos mencionados podem variar consoante o desenvolvimento de cada “cidade”, ou seja, conforme o desenvolvimento social e do conhecimento, uma cidade poderia já ter entrado na Idade do Bronze enquanto outra “cidade” afastada ainda poderia estar no Neolítico.
    A evolução do conhecimento histórico é contínuo, não estagna. Conforme vão existindo novas descobertas a história vai-se reescrevendo-se.
    E sim caro Xevious, há civilizações que já estariam mais avançadas do que o esperado. Por exemplo, os Sumérios (nada haver com a pseudo-teoria dos extraterrestres, que repúdio) já desenhavam os planetas redondos e agora pesquise e veja até quando é que considerada a teoria da Terra Plana.

    Abraços.

    1. Completamente de acordo, mas tenho só dois pontos 😉

      Aqui não havia pirâmides 😉

      E desenhar planetas redondos (em disco… não são esféricos) está de acordo com a teoria da Terra Plana 😉

      abraços!

        • Renato Romão on 02/10/2012 at 02:26

        Apenas mencionei as pirâmides devido ao comentário do Xevious. As noticias passadas sobre uma hipotética pirâmide submersa ao largo do Japão, por exemplo, mais parece uma cidade escavada/esculpida numa imensa rocha (talvez uma pequena montanha), do que propriamente um monumento em forma de poliedro regular.

        No segundo ponto, confesso que não consigo provar o meu ponto de vista. As interpretações do relevo contidas nas representações astronómicas, dá-nos a ideia que estes seriam interpretados de forma cilíndrica.
        Note também, que os Sumérios já colocavam o Sol no centro do nosso sistema, muitos antes da Teoria do Geocentrismo como defendia Ptolomeu no séc.II.

        Abraço!

      1. Sinceramente não tenho agora livros sobre isso 🙂

        Mas fiz uma procura rápida no Google, sem atentar à credibilidade das fontes ;), e encontrei isto:
        http://www.sarissa.org/sumer/sumer_rel.php
        “The Sumerians regarded the universe as consisting of heaven and earth. The Sumerian term for universe is an-ki, which translates to “heaven-earth.” Earth was seen as a flat disk surrounded by a hollow space. This was enclosed by a solid surface which they believed was made of tin. Between earth and heavens was a substance known as lil, which means “air” or “breath.” The moon, sun, stars, and planets were also made of lil, but they were also luminescent. Completely surrounding the an-ki was the primeval sea. The sea gave birth to the an-ki, which eventually gave rise to life.”

        abraços! 🙂

        • Renato Romão on 02/10/2012 at 20:24

        Carlos,
        Isso é religião e não astronomia. São interpretações do cosmos por “religiosos”. Não tenha duvida que eles saberiam muito (para o período de tempo) sobre astronomia. Quem observava os astros eram pessoas que principalmente queriam compreender os ciclos devido aos recursos necessários para a sua subsistência, no entanto foram aproveitadas por uns “iluminados religiosos” que se puseram a “divagar”.

        Por exemplo, “Os sumérios são geralmente considerados os inventores da astronomia, o estudo da observação dos astros. Nas ruínas das cidades sumérias escavadas por arqueólogos desde o princípio do século XX, foram encontradas muitas centenas de inscrições e textos deste povo sobre suas observações celestes. Entre estas inscrições existem listas específicas de constelações e posicionamento de planetas no espaço, bem como informações e manuais de observação.”
        http://pt.wikipedia.org/wiki/Sum%C3%A9ria.

        Carlos, tente olhar para as representações astronómicas que estes fizeram. Com o tal olhar critico que muito lhe elogio. Tente “ver” com os olhos de quem observa (astrónomo) e não por quem interpreta (religioso).

        “Muitas destas inscrições, cuja idade ultrapassa os 4500 anos de idade, estão agora conservadas no Museu do Antigo Oriente Próximo[1], um conjunto de 14 salas na ala sul do Museu Pergamo.”

        Temos de lhes dar pelo menos o mérito de colocarem o Sol no centro do nosso sistema.
        Quem desvirtuou o conhecimento ancestral sobre a astronomia ao longo da história, foram de facto as religiões e as suas interpretações.
        Abraço!

      2. Mas Renato,, onde estão essas fontes astronómicas a dizer que os Sumérios já sabiam que a Terra é esférica? 😉

        http://en.wikipedia.org/wiki/Anu
        “Anu existed in Sumerian cosmogony as a dome that covered the flat earth; ”

        http://chem.tufts.edu/answersinscience/relativityofwrong.htm
        “Perhaps it was the appearance of the plain that persuaded the clever Sumerians to accept the generalization that the earth was flat;”

        abraços

      3. http://faculty.uml.edu/ethan_spanier/Teaching/documents/HIST213L4Sumer.pdf
        página 8: “Sumerian Cosmology. Mesopotamia was a flat disk with a rim of mountains. – all floating on a sea of water. “

  1. Há evidências de que o mar teria subido até 50 metros e muitas civilizações teriam desaparecido com este evento. Há evidências de cidades submersas também nas antilhas e no japão, onde existem até pirâmides submersas. Mas mesmo assim nenhuma teve alguma evidência de alguma civilização que estivesse mais avançada doq o esperado.

    1. A subida de mares por aquecimento acontece lentamente num período de tempo de séculos, dá tempo de sobra para as civllizações mudarem-se, deixando para trás vestígios da presença delas, a não ser que estivessem morando em ilhas sem contato com continentes. Já com relação a tsunamis não há essa chance.

  2. Na Grã-Bretanha existem várias lendas deste tipo – Atlântida perdida, ou mesmo Avalon -, quase todas de origem Celta, além desta – Doogerland -, temos o Hy Brasil, e até as Ilhas Afortnadas (provavelmente os Açores, Madeira, ou Canárias) – os Gregos já falavam delas -, sendo que a ‘origem’ Britânica destas histórias – muitas já existam, mas foram ‘reforçadas’ – deve-se essencialmente ao São Brandão – Navegador Irlandês que viveu entre 484 a 577.
    Tendo quase todas um fundo de verdade, com o tempo, foram romantizadas, e chegaram aos nossos dias como lugares miticos, mas podem ter existido…

    Abraços

  3. a um tópico que falas carlos, da atlantida «atlantis«, e vi lá uma pergunta em que dizia, porquê que atlantida é mais falada, se tantas outras ficaram também submersas, era mais ao menos isso …

    bem, acho que a 2000 anos atrás, aliás, com esta história de jesus Cristo entre outros, não havia essa garra de aventura, aliás nem meios suficiente para se aventurar ao meio do mar sem contactos, sem mergulhadores totalmente experientes para descobrirem isso… portanto para mim funciona como a bíblia, tudo e apenas para ganharem dinheiro… a invenção.

    1. Quem fala são os sobrviventes.

      Pode-se especular que nas outras não houve sobreviventes. Ou se existiram os eventos foram divulgados para tribos ou sociedades que desapareceram. Ou pode ter acontecido de os sobreviventes não terem contado como uma “grande epopéia” aos outros. Ou. no caso da Atlantida, sobreviveu aos tempos porque chegou aos ouvidos da pessoa certa, Platão, pessoa de importância sabida na História que ajudou a arautar a coisa, se tivesse caído nos ouvidos de “Amâncio”, o grego, mas padeiro, não saberíamos.

      Motivos factíveis como esses explicariam porque um mito sobrevive ao tempo e outros não.

      1. “Ou. no caso da Atlantida, sobreviveu aos tempos porque chegou aos ouvidos da pessoa certa, Platão, pessoa de importância sabida na História que ajudou a arautar a coisa, se tivesse caído nos ouvidos de “Amâncio”, o grego, mas padeiro, não saberíamos.”

        LOLLL
        bem-visto! 🙂

        Vou aos livros de História atrás desse padeiro Amâncio 😛

        • paulo santos on 29/09/2012 at 21:32

        hahahaha

  4. bom tópico

  1. […] curtos). Super-Tempestade no Texas. Relâmpago. Tornado de Fogo. Local mais frio. Porta do Inferno. Doggerland. Destino da Terra. Salvar a Terra (não é preciso). Ego vs. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.