Out 04

Hoje é dia do Animal… e o Bicho Aproveita

Gosto de escrever sobre animais e já escrevi sobre a minha cadela, a Chilly e sobre os meus porcos-da-índia (aqui e aqui). Acho muitos animais racionais ao contrário do mito que existe. Eles têm raciocínio e só falta a capacidade de falar e de transmitir para a geração seguinte a informação.

Se não houvessem ferramentas de eternizar a informação todos nós teríamos de inventar a roda, inventar uma lança e aprender a caçar. A fala, a pintura e, depois, a escrita são as ferramentas da passagem da informação de geração para geração. Por isso não é preciso inventar a roda para construir um automóvel, basta um chassi aerodinâmico. A isto pode-se chamar pormo-nos às cavalitas para ver mais longe. Estamos às cavalitas dos senhores das primeiras e últimas descobertas.” (Aqui no AstroPT)

Hoje é dia do animal. A inauguração deste dia foi a 4 de Outubro de 1931 e é celebrado em vários países, através de vários eventos e iniciativas. Como qualquer dia especial este é o dia de sensibilizar, mostrar a importância e celebrar a iniciativa.

 É do senso comum num dia especial de um evento não realizar eventos opostos. No dia da árvore não é normal promover um evento de corte de árvores e no dia dos direitos do Homem não se realizam eventos de enforcamento.  É de bom senso ético. Aliás, é básico e humano.

 Desta forma, e tendo em mente este dia tão especial para os cães, gatos, girafas, tigres, formigas, minhocas, javalis, etc, a RTP1 promove esta noite um evento em que se celebra o animal humano em detrimento do animal, em que se sensibiliza a necessidade de proteger os nacos dos talhos em vez do animal e em que se mostra a importância de um animal para regozijo sádico de uma plateia.

 É um evento que demonstra que os animais são racionais e que há humanos que são irracionais. É um evento pago por mim porque é uma estação pública. Não gosto disso. Não há nenhum programa da RTP que seja mandar calhaus à cabeça de seres bípedes que espetam farpas em animais (e disso tenho pena, visto que tenho uns trocos no bolso e pagava para ver).

13 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Parabéns pelo primoroso post, Dário.

    Tenho percepção semelhante acerca dos animais.

    Saiu algo a respeito na EXAME:

    http://exame.abril.com.br/ciencia/noticias/animais-tambem-tem-consciencia-dizem-neurocientistas

    Abraços.

  2. Já somos dois. Odeio touradas! A única morte que defendo de outros seres vivos é mesmo (apesar de um bocado egoísta) a morte para a nossa alimentação. Apenas porque é necessária. Tudo o resto, é apenas parte da crueldade humana que pode e deveria ser evitada.

    • Renato Romão on 05/10/2012 at 19:19
    • Responder


    A não esquecer.
    Quando vão ao circo com as crianças, também explicam que não é normal o elefante fazer aquelas habilidades ao som de um chicote?
    Quando vão ao zoo com as crianças, também explicam que não é normal o orangotango ter aquele olhar claustrofóbico?
    A caça que é considerada uma “modalidade desportiva”.

    Abraços

    1. Pessoalmente, também sou contra os circos e os zoos. (quer dizer, em zoos gosto só das reservas, ou daqueles zoos enormes ao ar livre, como existem em frança, por exemplo, em que os animais andam à-vontade) 😉

      Eu até sou contra ter animais relativamente grandes em casas pequenas… ou seja, até sou contra ter algumas formas de animais de estimação 😉

      abraços!

    • Renato Romão on 05/10/2012 at 19:55
    • Responder

    Nem mais Carlos,
    Conhece o Badoca Park? Eles respeitam na sua maioria a liberdade dos animais, ou seja, criaram um “micro-sistema” não natural.
    Outro exemplo que me lembro, os huskys siberianos a “sobreviverem” em países em que a temperatura em média no verão ultrapassa os 35 graus Celsius.
    Mas Carlos, sim, eu venero o touro e gosto de touradas (lides a pé e pegas) principalmente. Motivo? Burrice, podia ser. Mas não é, a minha área de formação está directamente ligada à História. A tourada é a veneração ao touro e não à barbárie (como se diz). Desde as grutas de Lascaux até aos dias de hoje. Aceito as opiniões de quem está contra as touradas. São pontos de vista culturais.
    Mas até aí, apelidarem de assassinos, como se ouve por vezes… É deveras ofensivo. O Pluralismo é um valor social.

    Abraços!

    1. Não conheço. Fui ver à net 😉 http://www.badoca.com/

      Bem, tradição e história não podem ser argumentos para manter as touradas. Porque outras coisas tiveram os mesmos argumentos no passado, e hoje também não entendemos como puderam existir.

      Mas eu concordaria com as touradas, se o argumento for de luta entre animal e homem. Não para espectáculo de sangue para outras pessoas verem. Mas concordo que quem queira se ponha à frente do touro: homem vs. touro. E que ambos tenham as mesmas armas. Ou seja, só um homem, sem cavalos, sem amigos a ajudar, sem bandarilhas, sem armas, nada, contra só um touro ;). Aí sim, era uma luta justa. E aí sim, via-se quem eram os valentes 😉

      abraços!

    • Renato Romão on 05/10/2012 at 22:30
    • Responder

    “Mas eu concordaria com as touradas, se o argumento for de luta entre animal e homem”. Exacto, o touro/toiro bravo, sendo a sua bravura venerada e o homem naturalmente na sua pouca força, une-se através de 7 (numero perfeito) de homens para pegar o touro, frente a frente. O homem e o cavalo, é a união de dois animais frágeis perante o touro. Pois os cavalos nos campos verdejantes também eram alvo das investidas dos touros.

    Veja as recentes noticias de bovinos soltos que têm investido contra pessoas.

    1. Sendo o 7 o número perfeito (misticismo), então porque não ter dois 7?
      7 homens para 7 toiros.
      Era duplamente perfeito…

      Por essa ordem de ideias que a luta passa a ser igual se o homem se unir ao cavalo… então nessa ordem de ideias… o Porto quando jogasse futebol, teria que jogar contra 200 jogadores adversários de várias equipas, até fazer o mesmo valor do conjunto.

      Ou seja, o que eu estou a dizer é que 11 contra 11 é que é uma luta igual…
      2 contra 1 não é uma luta justa. São simplesmente dois bullies (na verdade, um bully – homem -, e um escravo – cavalo -) contra um adversário que preferia muito mais andar por esses campos verdejantes, mas que é obrigado a entrar numa arena para delírio de um povo…

        • Renato Romão on 05/10/2012 at 23:12

        O touro tem normalmente 500kg e dois chifres, o homem tem apenas dois braços para envolve-los. Agora aplique as leis da física.

      1. Penso que quando ambos jogavam futebol, o Oceano era muito mais pesado e mais forte que o João Vieira Pinto. No entanto, percebia-se que o João Pinto era melhor jogador.

        O homem tem uma inteligência que o touro não tem. Essa é a vantagem do homem.
        Ainda ir buscar amigos ou cavalos ou “espetos”, não me parece que seja nivelar o campo… pelo contrário, seria ilegal em qualquer campo.

        😉

        • Renato Romão on 05/10/2012 at 23:23

        Concordo Carlos. Como já tinha escrito, apenas por outras palavras, eu não me interesso pela lide a cavalo. Agora banderilheiros e forcados não tenha dúvida que são bravos homens.
        O Carlos é astuto na argumentação. Identifica o alvo e apenas esse, interessa debater.

      • Renato Romão on 05/10/2012 at 23:08
      • Responder

      Só para completar. O touro se não for bravo a lide está comprometida, sendo nas maior parte das vezes retirado da arena. O touro com a sua bravura brindar a arena, ou seja, lutou bravamente terá a sua descendência e linhagem preservada (como os cães de raça e o seu pedigree). Podia explicar muito mais a “base” desta veneração.
      Os “nobres” aliaram-se mais tarde a esta “festa”, mas concordo com o Carlos, de forma covarde. Os campinos utlizam os espetos para controlar animais com 500Kg, os nobres apenas colocaram umas fardas ornamentadas para aparecerem numa festa do povo (que vem já do tempo do paganismo). Foi a tal aproximação da corte ao povo. O hábito assim ficou até aos dias de hoje.

      Nem de propósito, veja esta noticia de hoje e era caçador (tinha arma). 😉 🙂
      http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Castelo%20Branco&Concelho=Idanha-a-Nova&Option=Interior&content_id=2811630

      Abraços!

    • Miguel Pereira Pinto on 30/08/2014 at 11:16
    • Responder

    Não será o caso neste artigo em concreto, mas há quem defenda os animais e aprove o aborto provocado em doses maciças (por via legislativa!) de seres humanos inocentes; mais uma “pequena” incongruência das sociedades “práfrentex”…;mas como “está na moda”…

  1. […] gelado (aqui e aqui). Erros e mais erros. Discutir com pseudos. Jogar xadrez com pombos. Estórias. Touradas irracionais. Money bag. Disparates Virais. Caneta Espacial. Barulhos estranhos. Triângulo na Lua. Sol num […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.