Desmistificar os Extraterrestres do Passado

Já falamos do péssimo programa Ancient Aliens, do Canal História, neste post.
Também já explanamos as mentiras de Erich von Daniken, neste post.

Já existe um livro a expor todas as mentiras desta religião, escrito por Ronald Story: The space-gods revealed.

Há dias atrás, a 28 de Setembro de 2012, foi lançado um filme que mostra a verdade ponto a ponto, sobre o que é alegado na série do History Channel.
O filme foi produzido por Chris White, um ex-crente nesta religião dos extraterrestres antigos, que começou a pesquisar as coisas. Ou seja, ele acreditava piamente nisto e segundo ele diz, durante anos andou a divulgar as alegações disseminadas por Daniken, por Sitchin, e por esta série. Até que resolveu ler realmente sobre o que os cientistas e as evidências dizem sobre cada um destes assuntos. A surpresa dele foi tal sobre o conhecimento que realmente existe sobre estes assuntos, que, apesar dele dizer que ainda há coisas que não se sabe, ele resolveu criar um filme a expor as mentiras da série.

O filme de 3 horas cobre estes tópicos:
– sítios arqueológicos: Puma Punku, Pirâmides no Egipto, Baalbek, Incas, Ilha da Páscoa.
– artefactos antigos: foguetão de Pacal (astronauta de Palenque), linhas de Nazca, jactos de Tolima, lâmpada egípcia, OVNIs na arte antiga, caveiras de cristal.
– textos antigos: a roda de Ezekiel, guerra nuclear, Vimanas indianas, Anunnaki, Nephilim.

O site oficial, é este.
A transcrição de tudo o que é dito, está aqui.

Vejam agora o filme, que vale bem a pena:

Excerto com legendas em português:

31 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • marco antonio grassi on 29/06/2016 at 03:25
    • Responder

    A desinformação pavimenta os caminhos da ignorância.
    São cegos que decidem serem cegos de propósito para não enxergarem a verdade.
    Sem o conhecimento adquirido ao longo do tempo não teríamos chegado ao nível tecnológico atual.
    Nem tudo é somente ciência, também precisamos de valores para evoluirmos como sociedade.
    Nossas diferenças nos faz crescermos.
    Se todos fossemos iguais e pensassemos da mesma forma, jamais teríamos saído da idade da pedra.
    Vide os primitivos que ainda vivem desta maneira pelo mundo afora.

  1. O documentário é bom(Debunked) mas muitas coisas ainda não me convencem totalmente. Percebo q existem muitas coisas que ele não consegue explicar. O fato de ele provar que algumas coisas estão erradas na teoria do Alienígenas do Passado não quer dizer que todo aquele imenso conteúdo esteja errado e a teoria no seu todo. Mas como sei que cada um acredita naquilo que quer acreditar, não discuto.

    Abs

    1. Não há qualquer teoria nessa série. Basta ler o meu último comentário onde já expliquei isso, através dos artigos em links.

      As crenças acabam quando o conhecimento mostra que essas crenças estão erradas.

  2. Olá a todos e em especial a Sr. Carlos!
    Sempre assisti a várias series transmitidas no canal História, Discovery Channel, National Geographic etc. e admito que sempre tive um grande fascínio por toda esta vertente mítica de extraterrestres, organizações secretas, espiritos etc

    (… comentário editado…)

    1. Cara Carolina,

      Antes de escrever dissertações com base em opiniões pessoais, peço-lhe que primeiro leia os nossos artigos. Ler primeiro e só depois comentar é sinal de inteligência.

      Este local, AstroPT, como a própria internet, é feita de conhecimento científico.
      Se não quer compreender o conhecimento científico porque entende que é fundamentalista ou está errado, tem uma boa solução: não entra na internet. Se entra na internet, é porque aceita que o conhecimento funciona, ou então está a ser hipócrita (utiliza algo e diz que não). E, como deveria saber, nós não temos paciência para a hipocrisia.

      A série não tem quaisquer teorias. Uma teoria é algo comprovado milhares de vezes por todas as pessoas no mundo:
      http://www.astropt.org/2013/07/14/lei-vs-teoria/

      A série utiliza uma técnica pseudo, falácias bem conhecidas, para manipular quem os vê:
      http://www.astropt.org/2011/12/13/extraterrestres-antigos/

      Daniken não é vigarista porque eu o digo, mas sim porque foi comprovado que mentiu nos seus livros e forjou objetos para proveito próprio:
      http://www.astropt.org/2012/06/17/erich-von-daniken/

      Aliás, o próprio Daniken já veio dizer que nada do que diz tem evidências. São só opiniões dele. Opiniões não é conhecimento. Crenças não é conhecimento. É sim religião.

      Quanto à Carolina escrever que a série abriu a sua mente, isso só prova que nada entende nem nada quer entender de astrobiologia. Porque se quisesse entender, teria lido já dezenas de artigos aqui no blog em que lhe é explicado que esta série, pelo contrário, limita as pessoas a uma só visão de extraterrestre. Se estudasse astrobiologia, perceberia que felizmente os cientistas têm a mente aberta ao ponto de pensarem em extraterrestres de 1001 formas, e não da forma limitada, ignorante e religiosa como essa série os quer vender.

      abraços

  3. Essa Série,documentario….Realmente não sei oque é isso….Vive no mundo dos própios aliens falando um monte de besteiras….é um “pesquisador” Que mais parece aqueles Cientistas malucos de desenho animado,assisto apenas para dar Risadas com meu pai

  4. Nem entro na discussão, eu assisto, acho realmente que existem coisas inexplicáveis e não me sinto forçado a acreditar pois o programa apenas apresenta teorias, sou entusiasta no assunto porém não fanático e não acho que não há nada o que ser desmascarado, se alguém discorda de um autor ou outro não ligo, apenas assisto e tiro minhas próprias conclusões. Ninguém, NINGUÉM pode provar ou desacreditar NADA a não ser que crie uma máquina do tempo e viva o fato, só podemos especular, imaginar e estudar com nossas mentes do século XX, o que nos torna de certa forma, céticos por natureza. E não adianta me dizer que puma punku foi obra do homem antigo com ferramentas parecidas ou não, houve uso de ferramentas elétricas sim, isso eu não engulo de forma alguma como bem disse pelas minhas conclusões pessoais e esse é o objetivo do programa, nos mostras fatos e teorias, escolha a sua, acredite no que achar razoável e ponto final! Continuarei assistindo e que bom que vem temporadas novas.

    1. “Nem entro na discussão”

      mas entrou…

      “acho realmente que existem coisas inexplicáveis”

      Sim, que cientistas estudam e tentam explicar.
      NUNCA nada foi explicado por tretas de vigaristas, como os que existem neste programa.

      “e não me sinto forçado a acreditar”

      O conhecimento não se faz de acreditar, mas de saber.
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “pois o programa apenas apresenta teorias”

      Não. O programa não apresenta quaisquer teorias. Teorias não são isto.
      http://www.astropt.org/2012/09/15/teoria/
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “NINGUÉM pode provar ou desacreditar NADA”

      Claro que se pode. Eu posso provar que a electricidade existe.O conhecimento faz-se provando as coisas.
      Quanto a desacreditar, tem que ler sobre o ónus da prova, porque está a confundir os assuntos.
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “a não ser que crie uma máquina do tempo e viva o fato, só podemos especular”

      Mentira. O passado pode-se explicar da mesma forma que o presente. Mas pelos vistos, você nem o presente consegue estudar. Falta-lhe esse conhecimento.
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “puma punku foi obra do homem antigo com ferramentas parecidas ou não, houve uso de ferramentas elétricas sim”

      Penso que isto diz tudo sobre a sua ignorância do assunto.

      “esse é o objetivo do programa”

      Mentira.
      O programa vive do “possivel” que é uma estratégia bem conhecida dos vigaristas que vivem do sensacionalismo para enganarem as pessoas. As religiões vivem disso. E este programa baseia-se numa religião.
      http://www.astropt.org/2012/10/11/possivel-vs-provavel/
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “programa, nos mostras fatos e teorias,”

      Mentira.
      O programa não mostra quaisquer factos.
      Assim como não mostra quaisquer teorias.
      http://www.astropt.org/2011/12/13/extraterrestres-antigos/
      Você só mostra não saber a definição nem de factos nem de teorias.
      Isto já está explicado em dezenas de artigos.

      “acredite no que achar razoável”

      Mentira.
      Não é assim que o conhecimento se faz. Isso é a estratégia da religião.

      O seu comentário é importante para se perceber a ignorância e a mentalidade religiosa de quem segue este tipo de programas.
      Sugiro que antes de comentar qualquer artigo, se informe primeiro sobre os assuntos, de modo a não dar tantos erros e escrever tantas mentiras.
      Se não quer ser hipócrita, sugiro igualmente que saia da internet, porque a internet é feita de conhecimento, o mesmo conhecimento que você nega existir sobre o mundo que nos rodeia.

      Fique bem.

  5. Carlos,

    Não percebo porque insiste em falar em pirâmides, ilha da páscoa, etc. Eu não referi isso uma única vez. Até tenho uma novidade para si: os povos antigos não dizem, nem nunca disseram que foram os “deuses” que construíram esses monumentos. Até o ajudo no seu ponto de vista, e ainda me acusa de ser troll. Agora não espere que concorde consigo em tudo sobre este tema.

    1. “Não percebo porque insiste em falar em pirâmides, ilha da páscoa, etc. ”

      São alguns dos assuntos do vídeo, do post.

  6. Caso o meu comentário seja publicado, o Sr. Carlos Oliveira também parece escrever de uma forma quase religiosa: existem os que sabem de ciência e do outro lado os… ignorantes. Os ignorantes seriam todos aqueles que não aplicam o método científico na investigação.

    Mas não é isso que acontece. Existem temas para os quais não existe explicação convencional e os cientistas “sérios” olham para o lado como se nada tivesse acontecido ou fingem ignorar. Alguns dos temas relacionados com a temática dos “antigos astronautas” e dos OVNI enquadram-se nisso, outros não.

    Assim a hipótese dos “antigos astronautas” tem a façanha de incomodar simultaneamente religiosos e cientistas.

    1. Bruno,

      Ignorantes são todos aqueles que ignoram os factos.
      O Bruno não é ignorante por eu dizer. O Bruno é ignorante por se querer mostrar dessa forma.

      Aliás, duvido que tenha sequer visto o vídeo, senão não faria estes comentários.

      Vejamos: estátuas da ilha da Páscoa.
      É claro, porque equipas de investigadores já o provaram, que é fácil fazer e movimentar as estátuas, com simples ferramentas que existiam na época: madeira, cordas, e dezenas de humanos.
      É fácil entender que existiu um período de aprendizagem, porque existem estátuas pela metade, outras muito mal feitas no início, etc.
      Tendo em conta que se sabe que isto é fácil de fazer, então quem nunca lá foi – como o Daniken – pode inventar o que quiser porque é mentira. Porque o conhecimento de como elas foram feitas existe. Não precisamos de estar no passado para o estudar. Podemos estudar perfeitamente o passado a partir do presente. Utilizando para isso a Navalha de Occam e a Lei das Probabilidades. Ambas dão-nos 100% de sucesso todos os dias, milhões de vezes ao dia.
      Se você quer cuspir no método científico de investigação, então você além de ignorante é hipócrita, porque você utiliza-o todos os dias e sempre com 100% de sucesso.

      Isto aplica-se também às piramides do Egipto, linhas de Nazca, etc.
      Existe o conhecimento da sua formação. E depois existem fantasias de seitas religiosas que pelos vistos você segue.

      Daqui a 100 anos, o Bruno vai dizer que quem fez a estátua do Cristo Rei eram extraterrestres ou deuses… só porque não quer saber da forma como os Humanos a fizeram e a colocaram no sítio em que está.

      Isto não é religião. isto é conhecimento.
      Os “antigos astronautas” é que é religião, em que somente se troca o nome dos anjos. É a mesma coisa que Criacionismo. Negam os factos, negam o conhecimento, negam o conhecimento científico (que temos da física, da química, da história, da biologia, da astronomia, da astrobiologia) porque querem difundir o “mistério” com roupagem supostamente extraterrestre (é “supostamente” porque vai contra tudo aquilo que sabemos de astrobiologia).

      Por último, é óbvio que as equipas de investigadores (não é uma pessoa) que nos dão conhecimento têm diversas crenças: uns são ateus, outros cristãos, outros pastafarians, outros mórmons, etc.
      As crenças deles são irrelevantes, já que se tem conhecimento dos assuntos.
      2 + 2 = 4, independentemente da pessoa que o afirme seja ateu, cristão, muçulmano, ou acredite no Pai Natal.

      Se quer aprender, faz bem em vir cá.
      Se quer entrar neste local de conhecimento só para nos fazer perder tempo com comentários sem sentido (em que as respostas já estão dadas neste local em diversos artigos), então iremos a partir de agora ignorá-lo.

  7. O documentário “Ancient Aliens Debunked” está bem feito, mas apresenta muitas falhas. Escolhem vários temas quentes ou “principais” da teoria, mas desmascaram-nos de acordo com um único ponto de vista. Apesar de os teóricos dos antigos astronautas defenderem algo em comum (a visita de extraterrestres na antiguidade), as explicações não são as mesmas. Por exemplo, ao falarem nos vimanas desmascaram o Vaimanika Shastra, esquecendo que se pode estudar vimanas sem recorrer minimamente a esse texto. Ao desmascararem a suposta nave que Ezequiel viu, criticam apenas Joseph Blumrich, voltando a esquecer que existem dezenas de estudiosos que não seguem à letra a interpretação de Blumrich, apesar de concordarem que o profeta viu um engenho voador. Nos restantes temas a mesma filosofia. Um dos temas engraçados é o caso das pinturas de ovnis nos quadros da Idade Média e Renascimento. Tentam desmascarar dizendo que aquilo não são ovnis, mas sim visões de Deus, mais precisamente a “Glória de Deus”. Obviamente que o pintor do Renascimento não estava a pensar “vou pintar um ovni”. Eles inspiravam-se na Bíblia. E lendo-a hoje verificamos que a Glória de Deus era algo luminoso que se deslocava pelo céu, parava, baixava e elevava-se, sendo descrita como uma “coluna de fogo e de nuvem”, e é dentro dela que aparecem os anjos e Iavé. É por isso que muitos autores hoje dizem que essas visões se assemelham aquilo a que chamamos de ovnis. Um céptico poderá dizer que é tudo invenção ou fenómenos atmosféricos, mas esquecem que no documentário AAD recorrem às explicações de Michael Heiser, um suposto entendido em hebraico… que na verdade é um religioso crente em Deus como se pode ver em vários dos seus sites, tal como o produtor do documentário AAD, Chris White, outro religioso. Ambos são cépticos no factor “extraterrestre”, mas quando a explicação é Deus já não existe cepticismo. Aliás as explicações (desculpas) de Heiser no seu site para a pluralidade da palavra Elohim (traduzida vulgarmente por Deus em Latim) são uma verdadeira comédia. O próprio Heiser segue a mesma filosofia do documentário AAD, sendo Zecharia Sitchin o alvo da sua crítica. Uma vez mais escolhem um autor que dê para desmascarar em determinado tema e ficam-se por ali.

    1. Se eu explicar que algumas dessas pinturas do Renascimento com alguns OVNIs (que até tenho em alguns quadros), na verdade eram fenómenos atmosféricos que hoje consideramos como normais e outras vezes (como a Estrela de Belém) eram somente misticismo para fazerem valer o carácter “endeusado” do nascimento (como o nascimento de Reis tinham)… se eu explicar dessa forma, interessa se eu sou adepto do Benfica ou do Porto?

      Não me parece relevante que o realizador seja ateu, creia no Monstro de Esparguete Voador ou acredite no Pai Natal.
      Logo que a explicação mostre que a crença do documentário original seja improvável.

      abraços

        • Bruno on 02/11/2013 at 18:14

        É difícil você demonstrar esses fenómenos atmosféricos, pelo simples facto que não irá investigar esses textos antigos. Simplesmente não tem paciência para isso.

        Os crentes religiosos lêem os textos antigos (raramente diga-se) limitando-se a soletrar o que está escrito. Repetição atrás de repetição, e não colocam nada em causa. O que está escrito é o que está escrito, e o que manda é a posição oficial da sua “igreja”. Podemos dizer que “preferem não falar no assunto”, pois isso de certo modo poderia comprometer a sua fé.

        Cientistas como o Carlos Oliveira, ou mesmo o Sr. que comentou em baixo, Jonas, são precisamente o oposto dos crentes religiosos, mas tem algo em comum. Enquanto os primeiros encaram os textos religiosos como divinos e verdade absoluta, vocês pelo contrário, olham-nos como misticismo e patetice absoluta. Assim os extremos tocam-se. Existem à priori duas opiniões opostas que não permitem fazer um juízo correcto dos textos.

        Os autores de «Ancient Aliens Debunked» não abordam o tema de uma forma objectiva e tentam puxar a brasa à sua sardinha…”não eram extraterrestres, mas sim visões de Deus”. Claro que eles não o dizem abertamente, e sim nas entrelinhas, senão o documentário perdia credibilidade.

        Existe outro autor, Jason Colavito, que é bastante céptico e escreveu livros desmascarando o tema “Ancient Aliens”. A sua visão é de facto imparcial, e tudo indica que deve ser ateu ou próximo disso. Mas lá está, quando aborda textos religiosos antigos precisa de recorrer à opinião “especialistas”. Ora, os especialistas são… religiosos. A investigação está logo minada à partida.

        Pergunta do céptico: «O texto sagrado fala de Et’s? Existem referências a tal coisa?»
        Resposta do especialista em religião: «Não senhor, isto são claras referências a Deus.»

      1. “É difícil você demonstrar esses fenómenos atmosféricos, pelo simples facto que não irá investigar esses textos antigos. Simplesmente não tem paciência para isso.”

        Pelo contrário.
        Se lesse os nossos textos, veria uma provável explicação para a estrela de Belém, por exemplo.
        Vários outros exemplos se encontram por aqui e por toda a história da ciência. Mas pesquisar dá trabalho. É muito mais simples para você, simplesmente comentar algo que não sabe.

        “vocês pelo contrário, olham-nos como misticismo e patetice absoluta. Assim os extremos tocam-se. Existem à priori duas opiniões opostas que não permitem fazer um juízo correcto dos textos.”

        Pelo contrário. Pela ciência, pode estudar o passado.
        Estuda-se o passado da mesma forma que se estuda o presente: através da experiência e da probabilidade.
        Já expliquei isto dezenas de vezes aqui no blog.

        Infelizmente, você mostra não ler os nossos textos nem sequer saber o que é ciência…
        Por isso, confunde fé com ciência, e imagina que são extremos: próprio de quem é ignorante sobre o que é ciência.

        Parece-me que você vê tudo com base numa óptica religiosa: as pessoas têm que ser contra a visão de Deus ou a favor da visão de Deus. Não consegue perceber que há quem se esteja completamente “nas tintas” para essa dicotomia.
        Também demonstra que alguma ignorância sobre a natureza da ciência, e nesse caso só posso recomendar os nossos textos sob a categoria “Literacia Científica”.

        abraços

        • Leticia on 18/07/2014 at 07:47

        A estrela de Belém é muitoo diferente dos OVNIS representados nos quadros, conhece todos os quadros? Me desculpa, mas não é a estrela de Belém. =)

      2. Leticia, aconselho a que veja quadros de nascimento de reis. Nessa altura, percebe o conceito de “inclusão cultural de um símbolo”, em vez de pensar em “objeto fisico”. abraços

    2. Bruno,

      um cético verdadeiro não é um idealista “antitudo”.

      Um cético, no termo correto, é antes de tudo uma pessoa isenta de qualquer ideia preconcebida, ele não desacredita porque quer. A vantagem significativa na leitura de uma análise de um cético é que ele não inventou da cabeça dele motivos para contrariar algo, ele fez pesquisa técnica mesmo, apurado, baseou-se em conhecimento existente comprovado.

      O cético, antes de tudo, isentamente pesquisa, pensa, raciocina, procura evidências, tem muito conhecimento de muitas áreas de forma realista. Ele faz o “dever de casa” de procurar a verdade, doa a quem doer, isso porque ele não quer passar vergonha de ser ludibriado por charlatães ou pessoas com parafusos a menos.

      Um cético nunca vai se basear num relato de um livro arcaico, escrito por ignorantes de milhares de anos atrás, que não sabiam que as estrelas eram iguais ao nosso sol, para relacionar com algo extraterrestre ou sobrenatural. É até infantil o crente que faz ilações tão rápidas e simplórias.

        • Bruno on 02/11/2013 at 18:31

        Um cético nunca se vai basear num relato de um livro arcaico… porque nada entende desse livro arcaico, então manda aquilo para a caixa das velharias inúteis. Não chega a haver investigação. Ele não se interessa pelo assunto porque aquilo está já conotado com o sobrenatural.

  8. Imaginem o universo. Sua idade é estimada em cerca de 15 bi de anos. A Terra só tem 4.6 bi. Agora, imaginem um planeta que tenha cinco ou seis ou dez bilhões de anos, e que tenha características que suportem a vida(só pra lembrar, estima-se que o universo possua mais de 100 bi de galaxias e em cada galaxia tenha mais de 100 bi de estrelas. Isso, matematicamente falando é extremamente possível). Nesse planeta, vamos imaginar que alguma espécie tenha se desenvolvido no mesmo tempo que nós nos desenvolvemos aqui na Terra, respectivamente, naquele planeta. Ele sendo um planeta mais velho do que a Terra um ou dois, ou cinco bilhões de anos, imaginem só a tecnologia que esses seres iriam possuir, tendo em vista o nosso grande avanço tecnológico em tao pouco tempo. Hoje, nossos cientistas já são capazes de clonar, de ver e manipular o DNA. Se há muito tempo nós recebemos a visita de outros povos, vindos das estrelas, quem sabe eles não nos “melhoraram” geneticamente, pra sermos daí em diante á sua imagem e a sua semelhança, ou seja, seres pensantes e raciocinantes. É bom saber também, que a própria genética não explica o “salto” genético da nossa espécie, em tão pouco tempo, isso é fato. Lembrem-se também, o homem já foi a outros mundos, o homem já pisou na lua, e só fez isso pois possuía a tecnologia e a curiosidade pra o fazer. Por que seria diferente com outras espécies? Acho que pensar em nós como a única espécie inteligente em todo o universo é um tremendo equívoco, causado pelo gigantesco ego da nossa raça. Planetas e mais planetas estão por aí, e nós mesmos já exploramos uma insignificante parte do universo, acredite, não seria diferente com outras raças, espalhadas pelo vasto universo.
    Se ponham agora no lugar de um camponês no ano 10.000 a.C, se vissem um avião, como explicariam isso?(obs: o metal, pelo menos como é mostrado em um avião, ainda não existia pra você, aquilo nunca havia passado em sua mente) Voando rápido com todo aquele barulho. ou melhor, como explicaria um foguete da NASA naquele tempo, subindo aos céus? Explicaria através de coisas da época, coisas que conhecia.
    Deixando muitos assuntos de lado e finalizando aqui, existem diversas culturas antigas, que tem nas suas crenças, ao pé da letra, a seguinte explicação para sua origem: fomos “criados/fomos trazidos aqui pelo povo das estrelas”. Isso está escrito em diversas taboas de argila, em escrita cuneiforme e outras, e também passada de geração em geração como tradição, crença por esses povos. A bíblia realmente tem muitas verdades, mas também e sem dúvida, tem muitas mentiras, como por exemplo, o mundo não tem o tempo que a bíblia fala. Pensem, abram a mente para tudo, absorvam conhecimento, mas não dê para nada certeza absoluta, mas dê alguma certeza. Acredito em Deus, da minha forma. Acredito em diversas passagens da bíblia, com as minhas interpretações. E dou também certo crédito a teoria do astronauta antigo. Mas não acredito concretamente em nada, isso me motiva a estudar os mais diversos assuntos, e eu digo, a ignorância traz a incerteza ABSOLUTA, você sendo um leigo em um assunto se deixa levar pelo que falam a você naquele momento, com o mínimo de provas concretas.

    1. O post é sobre um programa cheio de mentiras facilmente comprovadas pelo conhecimento que temos do assunto.
      Sim, o mesmo conhecimento que nos faz ter aviões, foguetões, computadores e internet, permite-nos perceber que o programa em causa está cheio de mentiras facilmente comprovadas por experiências e provas concretas.

      O seu comentário seria interessante se fosse contra a vigarice destes programas.
      Em vez disso, enveredou por pensamentos que já estão explicados noutros posts como sofrendo de geocentrismo.

      abraços

    • Fernando Ferreira on 25/01/2013 at 13:59
    • Responder

    Não tinha reparado nisto.. Se as respostas para as minhas perguntas no outro blog estiverem no filme já não precisa respobder, mas mesmo assim gostava de saber a sua opinião

    Abraços
    FF

  9. http://www.bookess.com/read/14671-all/

    Ess livro fala sobre uma suposta civilização alienigena, no começo dava pra ler todo mas agora so as primeiras paginas qu nao fala do assunto

    1. Existem vários livros de ficção científica que falam em civilizações alienígenas…

      A palavra mais importante é: ficção.

      abraços

  10. Uma série de autoria do Erich von Däniken, é obviamente sensacionalista.

    Baseia-se em pseudo ciência, que credita tudo o que não conseguimos explicar a criaturas misticas ou ET’s. Assim como os antigos religiosos faziam, creditavam o desconhecido a obra de deuses. A serie credita tudo o que não conseguimos explicar aos extra terrestres.

    É pura especulação e sensacionalismo. Não tem nenhum embasamento cientifico.

      • Fernando Ferreira on 25/01/2013 at 15:48
      • Responder

      A verdade é que grande parte já tem explicação e se nos dedicássemos mais decifravamos o resto… Mas admiro a visão que algumas pessoas têem para fazer dinheiro sem mt esforço valendo-se da ignorancia públea. A verdade é que eu esta fascinado pelo que passou no história e ia comprar os livros, mas como ha net fui ao wiki ver oque se dizia sobre o van D. depois vi estes artigos e fiz umas perguntas ao Prof Carlos e lá me safei da burla

      Quantas pessoas chegaram mesmo a comprar o os livirs pq confiaram na credibilida daquele canal

      Outro problema é que o cientista sério, depois de encontrar a resposta verifica, testa e reverifica, não vai logo escrever um livro. Equnto isso os burlos vao ganhando a vida

      Estou muito decepciona com o canal Histótia.. quando saiu a série ele ja tinha tado na cadeia e ja se sabia que era ficcao
      Fernando Ferreira

  11. Também acredito que seja mais lógico qualquer visitante montar um “acampamento” com materiais leves e resistentes, com instrucções tipo mobiliário do Ikea e quando acabado o estudo ou exploração do local, toca a fazer as malas e partir. A ideia de se vir gastar recursos energéticos a partir pedra e a posicioná-las para depois as estruturas ficarem abandonadas é pouco eficaz em termos de gestão dos mesmos!
    Se algum visitante quizer deixar um recado, de certeza que arranjava uma solução duradoira e menos volumosa com provas tecnológicas inequívocas, a explicar que tinham alterado os macacos genéticamente para produzirem escravos… e se tem tecnologia avançada para que é que necessitam de escravos???!!!!
    O principio KISS é o melhor…keep It Simple, Stup… e é isso que este documentário faz!

    1. O que sempre me pergunto é porque uma civilização ultraavançada viria aqui para fazer monumentos, pedras, casas, construções, tão arcaicas, na verdade?

      Vamos fazer um exercício de imaginação mais realista, sem precisar ir pelo caminho dos ETs?

      Se eu sou um mero terráqueo morando no ano 2500 e tenho conhecimento de uso de tecnologia para construir uma residencia usando nanotecnologia, e resolvo dar uma forcinha aos povos antigos tão sofridos….rs… pego o equipamento e uma maquina do tempo para ir a qualquer um desses lugares citados, tendo um conhecimento ultraespecializado que ainda não existe hoje, mas dá para imaginar como seria, o que digo é que ter esse conhecimento citado não me dá nenhuma condição de saber fazer as construções que tanto dizem que foram alienígenas.

      Vou saber fazer uma pirâmide? Não.

      Vou estar com um conhecimento tão especializado que as referências de como construir e o que construir são totalmente diferentes do que se espera que cada sociedade citada no documentário vivia em cada tempo.

      Vou sim, usar a minha ultratecnologia para gerar algo totalmente diferente do esperado, há milhares de anos, que estudada hoje diriam, “realmente não foram os egipcios, foi uma tecnologia muito diferente e nada a ver com as ferramentas que tinham à mão”.. Mas é isso que acontece? Não. Espantam-se com o tamanho do projeto, com o corte da pedra e alguns encaixes perfeitos da camada externa das pirâmides.

      Tà, e eu desço da máquina e o instrumento quebra. Vou saber fazer uma casa de sapê (barro) ao menos? Nem isso. Não vou poder fazer nada se o equipamento da minha tecnologia quebrar.

      Também, saber uma ultratecnologia não quer dizer que vou ter condições de criar solucoes técnicas mais “inteligentes” para os problemas dos aborigenes ou egipcios. Vou entender se uma pedra é granito e como corta-la? Vou ter de aprender com eles..

      Outro exemplo… o fato de eu entender de projetos de chips de computadores quânticos não significa que eu possa ajudar uma civilização antiga com um projeto do famoso ábacus, o máximo que poderia fazer com madeira talhada. Não conheço o ábacus, nem sei como funciona, não é do meu tempo, já foi, mas no caso de uma civilização antiga poderia ser a ferramenta que alguém poderia aprender a usá-la com aquelas cabeças.

      A referência dessa gente que fala em ETs é um acinte até à capacidade dos aborigenes ou egípcios de fazer o que fizeram;

      È muito mais aceitável que alguém da sociedade deles tenha aprendido uma técnica nova vinculada aos recursos que têm, por conhecimento acumulado, como aconteceu com os egipcios e suas pirâmides, que foram dinastias e dinastias aprendendo a projetar pirâmides cada vez mais complexas e maiores, há um visível histórico de provas lá ainda de pé de como aconteceu, do que vir alguém do além para fazer algo que os próprios egipcios poderiam fazer por conhecimento acumulado. Eu não poderia nem ajudá-los a fazer uma polia para levantar pedras pesadas. Eu não, mas os ETs podem tudo, claro.. kkkk;;

        • Fernando Ferreira on 25/01/2013 at 15:40

        Concordo que não vale a pena procurar evidências de ETs antes de explicar o q temos em casa.

        Mas por outroa lado é bem porvavel que nos ultimos 100 000 anos um grupo especifico de homo sapien tenha atingido um nival cultural e cientifico e tenham sido responsáveis pelo que ainda não conseguimos perceber.. depois disso.. é só olhar para nós.. ainda estamos ancorados a este calhau e se alguma coisa acontecer poucos vao sobrevivier..

        O que queria mesmo referir é que se eu pudesse escolher sguia o exemplo dos antigos.. Se houver um terremosto de 12 ou mais pouca coisa feita por nós fica de pé e esses monumentos vão continua lá.. Se se quiser fazer uma afirmação para o futuro, que seja em pedra bem dura e em no centro da placa tectonica mais grossa q se encontar..

        Não consigo conceber que uma só tecnologia ‘milagrosa’ como levitação por ultrason’ como se sugere ou outra qualquer seja a explicação para tudo. Tinha que haver um conjunto de ciencias interligadas e uma metodologia mt evoluida q as ligasse. Quanto a quem, não descarto que tenham vido doutro planeta, talvez marte ou ou um ramo dos nossos antepassados que até podem não estar extintos. Podem ter chegado à conclusão que conseguiam viver cá e bos obrservar sem ser vistos. Civilizacoes debaixo de mares e montanhas ainda a evoluir e ver as crianças o q andam a fazer. Sr a tecnologia não nos permite fugir pra cima, vamos tentar pra baixo 😀

        Abraço

  12. Obrigada. A série está bem feita tecnicamente e é muito convincente. Tenho-me interrogado como podia algo tão radical estar a passar no canal História…estive sempre de pé atrás apesar de a ideia ser cativante. Ainda bem que se está a questionar e a descontruir. É assim que as ideias e teorias evoluem.

  1. […] Já expliquei a parvoíce do programa Extraterrestres Antigos, do chamado Canal História, aqui, aqui e aqui. […]

  2. […] Barbies Humanas. Money bag. Disparates Virais. Barulhos estranhos. Extraterrestres Antigos. Desmistificar. Erich von Däniken. Dogons. Anel Negro. Dois Sóis. Alinhamento planetário sobre Pirâmides de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.