Viajar no Tempo, mas não no Espaço?

Este cartoon mostra uma ideia sobre a qual já tenho falado aqui no blog algumas vezes.

Adoro histórias sobre viagens no tempo. No entanto, quer os livros quer os filmes de ficção científica sofrem de um tremendo mal: mostram as viagens no tempo de forma muito limitada.
A maior parte das histórias baseia-se muito na famosa história de H. G. Wells, A Máquina do Tempo, em que a personagem principal viaja no tempo sem sair do mesmo local na Terra e vai vendo como as coisas evoluem de forma natural e cultural naquele local específico do planeta.
Ora, isso é um disparate! Porque a Terra viaja pelo espaço a uma incrível velocidade. Assim, amanhã, na próxima semana, no próximo ano, ou daqui por 10.000 anos, a Terra não vai estar no mesmo local do espaço. Por isso, um viajante no tempo que não saísse do mesmo local, vá para o futuro ou vá para o passado, o certo é que chegaria ao seu destino sempre no “vácuo” do espaço, ou quiçá, se tivesse “sorte” até “pararia” dentro de um planeta ou estrela, que estivesse naquele local na altura de “chegada” do viajante.

Para se viajar no tempo sem sair do mesmo local terrestre donde partimos, temos necessariamente que viajar imenso no espaço ao mesmo tempo que viajamos no tempo.

Este é também um dos problemas das estórias contadas por pessoas que dizem que “vêem o futuro” ou “vêem o passado”. Elas imaginam que estariam no mesmo local a sentir “energias” de um outro tempo.
Isto é novamente mais um enorme disparate. É que a pessoa não poderia estar a “ver os acontecimentos naquele local”, porque naquele “local” a Terra nunca esteve nem estará mais. Esses “visionários” teriam que estar “a ver” eventos que se passaram a triliões de quilómetros do sítio onde se encontram actualmente.

3 comentários

7 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Outro espectacular vídeo sobre o assunto:

    https://www.youtube.com/watch?v=0M7z1t4kdPM&feature=share

    A mesma questão.

    Obrigado,

  2. Boa Noite a toda a equipa astro-pt.

    Viajar no tempo é tema que me despertou sempre alguma curiosidade em entender se possível ou impossível. Há dois dias fiquei algo maravilhado quando vi este vídeo sobre o assunto, e alguns outros sobre a teoria da relatividade e da gravidade interessantíssimos. Disse maravilhado porque convenceram-me totalmente da sua veracidade científica.
    https://www.youtube.com/watch?v=L-sAeWjXzFI&feature=share
    Procurei o assunto aqui e a postagem mais recente do tema que encontrei é esta. Deixo a minha questão. Qual a credibilidade científica do vídeo?
    Sempre grato, um abraço.

    • Fernando Simões on 16/01/2013 at 22:42
    • Responder

    É caso para dizer: nunca aqui estivemos e nunca mais aqui vamos voltar, aqui a este sitio onde estamos agora. 🙂

  1. […] O único problema destes filmes com viagens no tempo é serem cientificamente incorretos. […]

  2. […] Pessoalmente, por defeito, gosto bastante das histórias com viagens no tempo… apesar de cientificamente incorretas. […]

  3. […] Pessoalmente, por defeito, gosto bastante das histórias com viagens no tempo… apesar de cientificamente incorretas. […]

  4. […] Pessoalmente, por defeito, gosto bastante das histórias com viagens no tempo… apesar de cientificamente incorretas. […]

  5. […] por defeito, gosto bastante das histórias com viagens no tempo…. apesar de cientificamente incorretas. No entanto, este filme é […]

  6. […] – o meu maior problema com as histórias de viagens no tempo, é que os viajantes viajam no tempo, mas não no espaço – supostamente mantém-se no mesmo local. Ora, cientificamente, isso não faz qualquer sentido, como já expliquei neste artigo. […]

  7. […] – Tempo (tag): Viajar no Tempo sem viajar no espaço. Máquina do Tempo. Consequências. Dilatação do Tempo. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.