Naus portuguesas em Marte

Cratera São Gabriel vista pelo robot Opportunity a 13 de Julho de 2012 (sol 3010).
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell University/Arizona State University/Sérgio Paulino.

É já uma tradição as crateras visitadas pelo robot Opportunity receberem nomes de grandes navios de exploração. Depois de terem homenageado embarcações históricas como o veleiro Endurance da expedição de Ernest Shackleton à Antártida, ou a nau Victoria da armada de Fernão de Magalhães (a primeira embarcação a circum-navegar a Terra), a equipa da missão parece estar agora a escolher apenas nomes de naus portuguesas para as crateras de Cabo York. Até agora figuram entre os nomes utilizados os das três naus da armada de Vasco da Gama na sua primeira aventura até à Índia (as naus São Gabriel, São Rafael e Bérrio), e os das duas caravelas da frota de Bartolomeu Dias (as caravelas São Pantaleão e São Cristovão), as primeiras embarcações europeias a atingirem a ponto mais meridional do continente africano.
Podem ver na imagem de baixo a localização destas cinco crateras.

Mapa do percurso do robot Opportunity no cabo York com os principais pontos de interesse assinalados.
Crédito: NASA/JPL/UA/MSSS/E.Tesheiner.

4 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Dinis Ribeiro on 03/01/2016 at 19:12
    • Responder

    Uma sugestão ligada á utilização de navios para fugir á poluição luminosa:

    http://www.space.com/30953-science-cruises-offer-pristine-cosmic-views.html?cmpid=514630_20160103_56814766&adbid=10153236400846466&adbpl=fb&adbpr=17610706465

    A new line of science-themed cruises lets passengers stargaze from the open ocean, a unique location far away from city lights.

    Princes Cruises and Discovery Channel have created a line of science-themed cruises called “Discovery at Sea.” The excursions feature activities like diving with sharks, spending time with exotic wildlife, looking at auroras and stargazing.

    Viewing the night sky from a location far away from city lights can be a magical experience, but it usually requires traveling to very remote locations (which, for some people, is part of the fun).

    But stargazing on a cruise ship is unique, because the vessel can travel to locations completely devoid of light pollution, and yet viewers are never more than a few steps away from the ship’s accommodations.

  1. Então os americanos não baptizam as coisas com os nomes do Ninã, Pinta e Santamaria, as naus do Colombo? Estranho… 😉

    1. Olá Maria João,

      A nau Santa Maria já consta entre os nomes escolhidos para as crateras do Opportunity: http://www.astropt.org/2010/12/27/santa-maria-em-marte/. 😉

      1. Merci! 😀

  1. […] – Marte (tag): Spirit e Opportunity (aniversário, naus portuguesas). Curiosity (entrevista, 7 minutos de terror, chegou, alegria, disco voador, alta definição, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.