Asteróide 2012 D14 com risco de bater na Terra?

da14

Já sabemos que o asteróide 2012 D14 irá “raspar” a Terra no dia 15 de Fevereiro de 2013 quando forem 19h25m em Portugal.
Irá passar abaixo da órbita dos satélites geoestacionários. Mas não bate!
Podem ler tudo sobre este asteróide, nos artigos deste tag.

da14 diagram

Se é verdade que não existe qualquer risco de colisão nesta passagem, isso pode não ser verdade para o futuro.

Existe um risco incrivelmente mínimo de ele bater já no ano 2110, mais precisamente a 16 de Fevereiro de 2110.
Marquem nas vossas agendas 😉

O risco de colisão nessa data é de 1 em 7.692.308.000. Ou seja, o risco é de 0,00000000001. Não é bem 0, mas é praticamente 0, por isso o risco é insignificante,
No entanto, isto lembra-nos que este mesmo asteróide, mesmo sendo seguro agora, poderá no futuro ter uma “palavra a dizer” na evolução da Humanidade.

21 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Tiago Trindade on 16/02/2013 at 05:52
    • Responder

    Olá Carlos!
    Inicialmente parabéns pelo blog.

    Parace-me que o asteróide2012 -DA14 atualmente, esta com sua máxmia aproximação prevista para 16/02/2040 (míseros 448km) . Levando em consideração os efeitos em terra que o asteróide na Russia causou passando a previsto 15 mil km de distância. A passagem do 2012-DA14 a tão reduzida distância não poderá causar danos mais extensos ?

    http://astronomy-universo.blogspot.com.br/

    1. Eu sou-lhe sincero: eu não sei onde o autor foi buscar essas informações.

      A 16 de Fevereiro de 2040, o asteróide 2012 DA14 estará bastante longe da Terra.
      Como sei? Consultei os parâmetros gravitacionais dele 😉
      http://ssd.jpl.nasa.gov/sbdb.cgi?sstr=2012+DA14&orb=1
      Nessa data estará a 67 milhões de quilómetros de distância da Terra.

      Fiz-lhe uma imagem das posições da Terra e do asteróide nessa data:
      asteroid 2012 da14

      abraços!

  1. Gostaria de saber se este evento será visível por nós aqui da Terra.Por gentileza, sou leiga no assunto, por isso perdoe minha ignorância!Obrigada

    • alessandro alves on 15/02/2013 at 06:09
    • Responder

    povo fica falando tanta coisa que nimguem sabe o que e verdade ja nem leio mais essa besteira se for viver lendo tudo que uns troll posta fica e doido intao melhor deixar rolar pra ver o que da asteroides sempre caiu e vai cair na terra e o inevitavel ….

  2. Olá, como faço para localizar o asteróide DA14 no meu telescópio no dia 15?

        • Joyce on 14/02/2013 at 15:23

        Não dá mesmo para ver nada daqui do Brasil?

  3. estando a passar tão perto, se por acaso batesse, seria possivel calcular em qual sitio da terra seria afectado pelo impacto?

    1. Sim 😉

      Com alguma incerteza, mas sim.

  4. Obrigada pelos esclarecimentos, Carlos!!

  5. TÁ havendo um rumor que um cometa devera se chocar com marte em 2014 segundo o jpl da nasa ,essa informação procede e caso sim,podera nos afetar.obrigado.

  6. Olá,
    E o que significa “reduzindo o seu período orbital de 368 para 317 dias”? Há algum risco de ele mudar a sua rota e cair aqui?
    Outra dúvida, há algum meio, dentre os métodos existentes de desviar asteroide, de desviá-lo no futuro?
    Só mais uma dúvida, acho que muito boba essa, mas é bom perguntar á quem sabe. Esses terremotos, tsunamis, mesmo que pequenos, podem ser causados por alguma coisa do espaço? Ou é só dentro de nossa atmosfera que influencia mesmo, como o clima?
    Abraços e obrigado

    1. Quer dizer que a sua órbita ficará mais pequena.
      Da mesma forma que a Terra tem uma órbita em redor do Sol de 365 dias. Se reduzir para 300, passa a ter uma órbita de 300 dias. Não bate no Sol, simplesmente está um pouco mais perto, e por isso demora menos tempo a orbitar.

      Formas de desviar asteróides:
      http://www.astropt.org/2011/11/11/formas-de-desviar-asteroides/

      Só se bater é que influencia a Terra.

      abraços

  7. Já se sabe que o 2012 D14 não baterá na Terra. E já se sabe também que é possível, porém muito improvável, que ele colida com um ou mais satélites geoestacionários . Minha pergunta não questiona sobre essa remota possibilidade de colisão com os satélites artificiais, mas gostaria de saber se um objeto desse tamanho colidisse com um ou mais satélites durante sua aproximação, o que poderia acontecer? Além de causar danos fatais aos satélites (claro…), esse choque poderia, por exemplo, influenciar em sua trajetória?
    Outra pergunta, é muito raro que asteroides colidam os outros asteroides (ou até cometas) durante sua aproximação com a Terra? Afinal existem tantos objetos circulando por aí que acho estranho que hajam tão poucos “acidentes de trânsito”, apesar das “avenidas” serem infinitamente largas…. ;o) Isso já ocorreu antes?

    1. O espaço é muito grande. As coisas passam a muitos kms umas das outras. Sejam asteróides entre si, seja entre asteróides e satélites. Por isso é que os riscos de colisão são mínimos.

      Neste caso específico, ele vem numa órbita em que não passa pelos satélites. Tem que imaginar o espaço a 3 dimensões. A 3 dimensões, pode-se atravessar a órbita de algo sem passar por essa “linha” de satélites. 😉

      Caso o asteróide batesse num satélite, iria modificar um pouco, mas teria que se ver, por exemplo, a rotação dele.

      abraços

    • Luís Gonzaga Parente Ribeiro Moreira on 06/02/2013 at 08:09
    • Responder

    Bom dia Astro Pt que em boa hora nos informa com sabedoria e precisão de um relógio atómico, coisas e acontecimentos importantíssimos, que ocorrem nas áreas da cosmologia e astrofísica, mandando às malvas o estado ou o espírito do medo e do receio de uma possível queda do asteroide 2012 D14, no dia 15 do corrente mês. Dei comigo a pensar se o dito asteroide souber da possibilidade do risco de colisão calculado de 0,00000000001 e mandar às favas os dez zeros que antecedem a unidade, por causa da sua “esquizofrenia”, ainda não detetada ou estar com uma bebedeira de radiações diversas recebidas na sua viagem louca. Pondo de parte a brincadeira, os nossos amigos poderão informar qual a velocidade que o “bicho” tem, na passagem perto do nosso Planeta, no próximo dia 15 e se essa mesma velocidade sofrerá alterações por influência da gravidade terrestre. Um abraço a todos e muito obrigado.
    Luís Gonzaga.

    1. Olá Luís

      O asteróide passará a uma velocidade relativa de 7,82 km/s. Esta passagem pela Terra provocará uma alteração na sua trajectória, reduzindo o seu período orbital de 368 para 317 dias. 😉

  8. Certamente, o avatar do sr. Bruce Willis protegerá os habitantes aqui residentes nesta data…

    😛

  1. […] 2012. 2013. 2014. 2014. 2016. 2017. 2019. 2020. 2021. 2023. 2027. 2032. 2036. 2040. 2060. 2061. 2110. 2182. 2880. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.