Sol produz a mais intensa fulguração deste ano

fulguracao_classeX_Sol_AIA131_193_304_335_SDO_130513aFulguração classe X1,7 vista a 13 de Maio de 2013 pelo instrumento Atmospheric Imaging Assembly do Solar Dynamics Observatory, através de filtros para o ultravioleta extremo (131, 193, 304 e 335 Å).
Crédito: SDO(NASA)/AIA consortium/montagem de Sérgio Paulino.

O Sol produziu na madrugada passada a primeira fulguração classe-X deste ano! O fenómeno teve origem numa região activa ainda não numerada, localizada no extremo nordeste do disco solar. Imagens obtidas pelo coronógrafo C2 do SOHO mostram uma brilhante ejecção de massa coronal a emergir do local da erupção. Estiveram ainda associados a este evento um surto de pequenos bloqueios nas comunicações rádio no hemisfério diurno, e uma chuva de partículas energéticas detectada pelo observatório STEREO-B. Dados preliminares sugerem que a ejecção de massa coronal não produzirá qualquer efeito significativo na magnetosfera terrestre.

3 comentários

1 ping

  1. Olá,
    Essa chuva de partículas energéticas ocorre onde? E o que traz para a Terra?

    Obrigado

  2. Boa tarde,

    Obrigada pela explicação.

    Cumprimentos

  1. […] horas (hora de Lisboa) quando o Sol produziu uma segunda fulguração classe-X, mais intensa que a ocorrida apenas 14 horas antes. O fenómeno teve origem na mesma região, entretanto designada AR1748, e foi a terceira maior […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.